Fifa intima Cruzeiro a pagar restante da dívida junto ao Huracán pela compra de Ábila

Raposa tem 30 dias para pagar valor de US$ 1,5 milhão (R$ 4,9 milhões) mais os juros estipulados pela entidade; clube celeste vai recorrer

Fifa intima Cruzeiro a pagar restante da dívida junto ao Huracán pela compra de Ábila
Foto: Washington Alves/Cruzeiro

Segundo a imprensa argentina, a Fifa intimou o Cruzeiro, por meio de uma carta, a pagar o restante da dívida de US$ 1,5 milhão ao Huracán, da Argentina, referente à compra do atacante Ramón Ábila, em junho de 2016. De acordo com o documento, o clube tem o prazo de 30 dias para pagar o valor, além dos juros pelo atraso. Na moeda do Brasil, a quantia está hoje em R$ 4,9 milhões.

O atacante argentino teve 50% dos seus direitos econômicos comprados pelo Cruzeiro, na temporada passada. O valor da transação ficou em US$ 4,2 milhões (R$ 13,7 milhões). Entretanto, a Raposa só efetuou o pagamento de uma parte do acordo, US$ 2,7 milhões, em agosto. No final de 2016, o clube de Buenos Aires havia cobrado o Cruzeiro essa segunda parte da dívida, que deveria ter sido paga no início de dezembro.

Impossibilitado de efetuar o pagamento, o clube estrelado tentou refinanciar o débito com o Huracán, mas a proposta foi recusada pelo presidente do El Globo. Com a decisão da Fifa, a Raposa tem 30 dias para pagar, contando da data da intimação, o valor da segunda parcela acrescido 10% de juros anuais pelo atraso, com base na data de 6 de dezembro de 2016, como previamente definidos pelos clubes.

O portal Superesportes divulgou uma entrevista feita com o advogado Breno Tanure, que defende o Cruzeiro. Ele afirmou que a Raposa vai recorrer e que o processo ainda vai se estender. "Primeiro vamos iniciar o procedimento para recorrer. Temos 21 dias para entrar com o pedido na Corte Arbitral do Esporte. Uma decisão sai em 8 a 12 meses. Depois tem o comitê disciplinar, de 6 a 8 meses. E assim vai. É um processo lento. Não é simples", disse.

A negociação entre os clubes ainda prevê a compra do restante dos direitos econômicos do atleta por US$ 4 milhões até dezembro deste ano. Segundo informação apurada pelo Superesportes junto ao presidente da equipe argentina, Alejandro Nadur, caso o Cruzeiro não efetue o pagamento do valor devido, o camisa 9 celeste terá que retornar ao Huracán, como definido por uma cláusula do contrato firmado no ano passado.