Em jogo de seis gols, Cruzeiro busca igualdade e empata com Grêmio no Mineirão

Tricolor gaúcho sai na frente, mas desperdiça chance de assumir a liderança do Brasileirão, enquanto equipe mineira permanece no meio da tabela ao empatar em Belo Horizonte

Em jogo de seis gols, Cruzeiro busca igualdade e empata com Grêmio no Mineirão
Foto: Washington Alves / E.C. Cruzeiro
Cruzeiro
3 3
Grêmio
Cruzeiro: Fabio; Ezequiel, Léo, Luis Caicedo e Diogo Barbosa; Ariel Cabral, Lucas Romero, Thiago Neves e Robinho (Ábila); Rafael Sobis (Elber) e Alisson.
Grêmio: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann (Rafael Thyere) e Bruno Cortez; Arthur (Maicon), Michel, Ramiro, Luan, Pedro Rocha (Fernandinho) e Everton.
Placar: 0-1, Everton. 0-2, Michel. 1-2, Thiago Neves. 2-2, Rafael Sobis. 2-3, Ramiro. 3-3, Robinho.
ÁRBITRO: Rafael Klaus (SP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017, disputada no estádio do Mineirão em Belo Horizonte (MG)

Uma noite de muitos gols no estádio do Mineirão. Assim foi a emocionante partida entre Cruzeiro e Grêmio nesta segunda-feira (19), para encerrar a 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Grêmio esteve na frente por diversas vezes, mas a Raposa mineira não queria deixar por menos e conseguiu o empate por 3 a 3 no segundo tempo. Os gols dos gremistas foram de Everton, Michel e Ramiro. Os gols do Cruzeiro de Thiago Neves, Rafael Sobis e Robinho.

Com o resultado, o Tricolor gaúcho é vice-líder do Campeonato Brasileiro com 19 pontos somados, um a menos que o líder Corinthians. Enquanto isso, o Cruzeiro é o 8º colocado com 11 pontos na tabela da Série A.

Na próxima jornada, o Grêmio volta a jogar em casa diante do Coritiba, em nova chance de tentar a liderança do torneio. A Raposa de Minas Gerais encara a Ponte Preta em duelo fora de casa, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Os jogos das duas equipes ocorrem na quinta-feira.

Grêmio abre vantagem, mas sofre na defesa e Cruzeiro desconta

O Cruzeiro começou o jogo em cima. A Raposa recuperou uma bola com lucidez no meio de campo, Thiago Neves passou em finta por Geromel e tocou para Alisson, que driblou Edilson e carimbou a lateral da trave de Marcelo Grohe aos 3 minutos. Ainda no ataque, Sobis chutou de fora da área minutos depois e a bola passou à esquerda da meta.

Mas o Grêmio tentou se encontrar na partida e diminuía a pressão inicial exercida pelos mineiros. Em uma saída de trás, houve um escanteio. Cobrança do camisa 7 Luan, a bola viajou, foi escorada de cabeça, acertou a trave e Everton estava esperto no rebote para completar nas redes. De dentro da pequena área o atacante cearense fez 1 a 0 ao Tricolor gaúcho, aos 16 minutos.

Aos 20', Pedro Rocha serviu passe para Luan, ele veio em velocidade pela esquerda do ataque, chutou cruzado para entrada dos companheiros, mas Fabio espalmou com uma cortada na bola, que foi afastada por sua defesa na sequência do lance. Outra jogada semelhante veio aos 23 minutos, mas Pedro Rocha chutou forte demais e Ramiro não conseguiu cabecear para concluir a gol, deixando a bola fugir pela lateral do campo.

O Cruzeiro, entretanto, não era presa fácil e tinha bom controle do meio de campo em troca de passes. Mesmo próximo da área, a situação era de penetração em passes. Em um lance, eles vieram por cima até chegar em Thiago Neves, o maior finalizador do campeonato, que mandou sobre o travessão, pela linha de fundo, aos 28 minutos.

Rafael Sobis recebia um lançamento no fundo de campo, deu o toque na bola, forçou contato com Kannemann que tentava um carrinho e pediu pênalti. O árbitro Rafael Klaus marcou a simulação do atacante e puniu-o com o cartão amarelo. Aos 35', outra vez o Cruzeiro forçava lances na área em bolas vindas das laterais, Ramiro cortou mal de cabeça e Sobis chutou para Grohe espalmar em magnífica defesa para escanteio.

Aos 36', o Cruzeiro desperdiçou um escanteio e o Grêmio aproveitou os espaços para sair em contra-golpe. Pedro Rocha ganhou de dois marcadores, correu e tocou para Luan, o atacante fintou, entrou na área, tocou para Ramiro e este chutou errado, mandando de cobertura, na rede pelo lado de fora, por cima da meta desejada. Quase o Grêmio ampliou no Mineirão.

O jogo era o chamado lá e cá, com espaços e vantagem dos ataques sobre as apavoradas defesas. Em outra bola na área gremista, Alisson pegou a sobra e chutou forte, acertando a trave de Marcelo Grohe outra vez. Foi a segunda batida cruzeirense de Alisson na moldura gremista no jogo.

Após uma reclamação exagerada do nervoso Mano Menezes, o técnico da Raposa acabou expulso e seguiu ao vestiário. Assim, nem viu o Grêmio cobrar a falta da direita sofrida por Ramiro, em bola que viajou à área no cruzamento de Luan, sobrou para Everton, que chutou cruzado, fez a redonda passar pelo goleiro Fabio e encontrar o volante Michel, que apenas cutucou aos barbantes: 2 a 0.

O domínio só não foi total no placar porque o Cruzeiro tinha insistência. Em investida pela esquerda, o cruzamento veio por baixo, Kannemann falhou e a bola se ofereceu para o oportunista Thiago Neves, que chutou forte e venceu o goleiro: desconto cruzeirense e 2 a 1 no marcador aos 45 minutos. Após três minutos de acréscimos, o jogo foi para o intervalo para interromper o ritmo alucinante de chances e movimentações.

Foto: Washington Alves / E.C. Cruzeiro

Cruzeiro reage e busca o empate duas vezes para definir

Aos 2 minutos da volta, a defesa gremista voltou a vacilar. Thiago Neves dominou e passou para Rafael Sobis, ele recebeu dentro da área e chutou forte, no canto da meta para igualar o marcador: 2 a 2. Era o que faltava para chamar de vez o torcedor ao jogo. Entretanto, os instantes seguintes buscavam ser apaziguados pelo Tricolor, após ver a vantagem construída esmorecer.

Em troca de passes, Ramiro recebeu e chutou de fora da área para Fabio fazer firme defesa no centro da meta. A partida era com investidas do Cruzeiro contidas em passes errados ou uma melhora de marcação gremista, que não queria voltar a ser vazada na noite onde encontrou problemas. A estratégia cruzeirense, segundo o técnico Mano antes do jogo, era retirar a referência (Ábila) para dificultar a precisa dupla de zaga do Grêmio e estava funcionando.

Mas o Grêmio voltou à frente no marcador aos 14 minutos. Em contra-ataque, Luan serviu Pedro Rocha, que chutou, Fabio deu rebote e Ramiro completou o terceiro tento na pequena área. A partir disso, a coisa não estava resolvida e o zagueiro Kannemann, que já havia falhado na noite, sentiu lesão. Rafael Thyere entrou no lugar dele.

Minutos depois, o empate em 3 a 3 veio. Robinho aproveitou jogado dos inspirados Thiago Neves e Rafael Sobis para deixar tudo na igualdade. A partida prosseguia em menos chances. No Grêmio, entrou Fernandinho para tentar desbravar espaço. No Cruzeiro, a volta da referência era a chegada de Ábila na vaga deixada por Robinho. Com os gaúchos, oportunidade em cruzamento achado por Luan e cabeçada de Ramiro para fora.

Maicon, pelo Grêmio, e Elber, pelo Cruzeiro, também pisaram no campo de jogo em trocas propostas. O Tricolor teve uma falta sofrida por Luan a ser cobrada aos 42. Após o desvio na barreira, a redonda sobrou para o impedido Ramiro, que chutou cruzado e Fernandinho completou de carrinho para fora. O jogador Leo reclamou do impedimento e recebeu cartão amarelo.

Aos 46', no primeiro dos quatro de acréscimos, Elber pegou uma sobra na área e chutou por cima, em bola que ainda triscou o travessão gremista na tentativa de virada cruzeirense. Foi a última chance clara do jogo e a partida terminou no movimentado placar de 3 a 3, em exibição para enaltecer os ataques e preocupar as defesas.


Share on Facebook