Em jogo morno, Cruzeiro e Vitória empatam no Mineirão

Equipe celeste tropeça em casa contra o vice-lanterna; Manoel e Élber deixam o campo lesionados

Em jogo morno, Cruzeiro e Vitória empatam no Mineirão
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Cruzeiro
0 0
Vitória
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Léo, Manoel (Murilo), Diogo Barbosa; Henrique, Ariel Cabral, Thiago Neves; Élber (Rafinha), Sassá, Rafael Sóbis. Técnico: Mano Menezes.
Vitória: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Wallace Reis, Juninho; Ramon, Uillian Correia, Carlos Eduardo (René), Yago (Patric); David, Trelléz. Técnico: Vagner Mancini.
ÁRBITRO: Dewson Fernando Freitas da Silva-PA (Fifa). Cartões amarelos: Sassá, Ariel Cabral, Thiago Neves e Diogo Barbosa (Cruzeiro); Uillian Correia, Fernando Miguel, Cleiton Xavier e Wallace (Vitória).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, realizada no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte/MG. Público: 10.046 pagantes.

Na noite deste domingo (30), o Cruzeiro recebeu o Vitória, no Mineirão, em Belo Horizonte. Em partida onde os goleiros foram os grandes destaques, as equipes não conseguiram abrir o placar. O duelo foi válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, a equipe celeste chega a 23 pontos e permanece na nona colocação. Já a equipe rubro-negra vai a 13 pontos e continua na vice-lanterna do campeonato, a seis pontos do Coritiba, primeira equipe zona do Z-4.

A próxima partida da Raposa será contra o Vasco, na quarta-feira (3), às 20h, no Rio de Janeiro. O Vitória, por sua vez, voltará a campo contra a Ponte Preta, na terça-feira (2), às 21h, no Estádio do Barradão.

Em primeiro tempo equilibrado, lesões atrapalham equipe celeste

Com o retorno de Manoel na zaga celeste, Cruzeiro começou a partida pressionando o Vitória no ataque. A equipe de Mano Menezes fechava os espaços e dificultava a saída de bola rápida do time baiano. 

Aos poucos, o Vitória encontrava espaços no setor defensivo da Raposa e trocava passes rápidos para tentar surpreender o time da casa. Em resposta, o Cruzeiro descia em contra-ataque, mas não levava grande perigo para o gol de Fernando Miguel.

Já nos dez minutos finais da etapa inicial, Élber e Manoel acusaram dores e Mano Menezes foi obrigado a queimar duas substituições ainda no primeiro tempo. Por conta dos jogadores machucados, o juiz sinalizou dois minutos de acréscimo. 

Fernando Miguel e Fábio fecham os gols e decretam o empate da partida

Na volta dos vestiários, o Vitória tinha as melhores chances para abrir o placar. Sem inspiração, o Cruzeiro encontrava dificuldades de chegar ao gol rubro-negro. 

Ambas equipes tentavam chegar ao primeiro gol, mas Fernando Miguel e Fábio operavam grandes defesas. Em jogo tenso, o camisa 1 rubro-negro alegou falta, como forma de tentar acalmar os ânimos. 

Sem conseguir furar o bloqueio baiano, Thiago Neves arriscava de longe, mas sem perigo. Em resposta, Uillian Correia comandava as ações no ataque, porém sem sucesso. Após cinco minutos de acréscimo, o juiz apitou o fim da partida.


Share on Facebook