Mano Menezes lamenta chances perdidas pelo Cruzeiro diante do Botafogo: "Temos que aproveitar"

Treinador afirmou que o time precisa aproveitar as chances que cria nos jogos e reclamou do físico do árbitro

Mano Menezes lamenta chances perdidas pelo Cruzeiro diante do Botafogo: "Temos que aproveitar"
Mano quer que o time aproveite as chances que cria em casa (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Mais um empate sem gols do Cruzeiro no Mineirão diante do Botafogo, como aconteceu também com o Vitória, fez com que o técnico Mano Menezes lamentasse na coletiva de imprensa. Em mais um jogo em que o ataque celeste passou em branco em casa, o comandante celeste disse que o time tem que aproveitar melhor os momentos positivos nas partidas.

“Nós não conseguimos construir a vitória, aliás é um fato que vem se repetindo. Nos dois últimos jogos em casa nós criamos situações suficientes e controlamos os jogos suficientemente para vencê-los. Mas não estamos conseguindo definir o lance, o jogo, em momentos importantes. Hoje, por exemplo, tivemos um início avassalador”, disse ele.

Mano diz que tem que consertar a falta de objetividade do time nos jogos em casa. (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)
Mano afirma que tem que consertar a falta de objetividade do time nos jogos em casa (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Mano lembrou do jogo contra o Vasco, fora de casa, e disse que o time tem que aproveitar melhor os momentos em que é “dono” da partida.  “Nós temos que aproveitar melhor o momento. Na quinta-feira contra o Vasco nós aproveitamos. Fizemos 2 a 0 e o jogo ficou todo como a gente queria, com todos os espaços do mundo. Tivemos chances suficientes para botar a bola para dentro hoje. Tivemos duas bolas no poste, tivemos bola passando na frente do gol várias vezes. O que faltou foi isso e é isso que nós temos que consertar”, completou.

Mano também falou de arbitragem. Ele saiu na bronca com o árbitro Claudio Francisco Lima. Para o comandante celeste, o físico do juiz o prejudicou e favoreceu uma partida mais lenta, o que seria mais benéfica para os cariocas. “Ele é meio pesado, tem dificuldade para correr com intensidade 90 minutos. E quanto mais tempo o jogo estiver parado, para ele melhor", disse.

"O ruim é quando você pega um árbitro desse em um jogo na sua casa, que você tem que imprimir o jogo e ele para. Depois, acrescenta cinco minutos. Quando somos penalizados, deixamos de fazer. Quando você ganha 10 minutos, passa a ter um prejuízo muito grande: perde o jogo nesses acréscimos. Você inibe quem quer fazer. Eu não estou criticando quem faça. O que não pode acontecer é o arbitro permitir como permitiu hoje”, completou.


Share on Facebook