Algozes celestes: quando a Copa do Brasil escapou das mãos do Cruzeiro

Palmeiras, em 1998, e Atlético-MG, em 2014, superaram a equipe celeste e levantaram a taça da competição; relembre

Algozes celestes: quando a Copa do Brasil escapou das mãos do Cruzeiro
Foto: Rodrigo Rodrigues/ Editoria de Arte VAVEL Brasil

Na próxima quinta-feira (7), o Cruzeiro vai enfrentar o Flamengo pelo primeiro confronto da final da Copa do Brasil. A equipe mineira está em sua sétima final no torneio e busca seu quinto título para se igualar ao Grêmio como maiores vencedores da competição nacional. A glória celeste poderá se concretizar na Copa do Brasil em 2017, mas, em duas ocasiões, a competição escapou das mãos da Raposa na decisão.

A primeira delas foi em 1998, quando o clube mineiro perdeu o título do torneio para o Palmeiras. A segunda, 16 anos depois, em 2014, foi a queda diante do maior rival, Atlético-MG, que conquistou sua primeira taça na Copa do Brasil justamente em cima da Raposa. A VAVEL Brasil, já no clima decisivo da competição, relembrou os momentos em que algozes celestes impediram o título da Raposa.

De virada, Palmeiras vence e leva seu primeiro título da Copa do Brasil

Foto: Agliberto Lima/Estadão Conteúdo
Foto: Agliberto Lima/Estadão Conteúdo

Cruzeiro e Palmeiras decidiram a Copa do Brasil de 1996, que culminou em título da Raposa. Dois anos depois, no entanto, a história foi outra. Em 1998, ambas as equipes fizeram ótimas campanhas no decorrer do torneio e se encontraram na final: o Palmeiras chegou de forma invicta, e o Cruzeiro, por sua vez, acumulava apenas uma derrota simples, por 1 a 0, contra o Vitória, fora de casa.

No Mineirão lotado, a Raposa levou vantagem e venceu por 1 a 0 a partida de ida, com gol de Fábio Júnior. Já no jogo de volta, no Estádio do Morumbi, o Palmeiras abriu o placar no início de duelo, o que levava a disputa do título para os pênaltis. 

Nos minutos finais de partida, Oséas marcou um gol quase sem ângulo e garantiu o título palmeirense diante da Raposa. Coincidentemente, dois anos depois, o atacante foi contratado pelo Cruzeiro e levantou a taça da Copa do Brasil pela equipe celeste (vitória sobre o São Paulo na final), além de levar a artilharia da competição.

Contra o maior rival, Cruzeiro perde o título da Copa do Brasil

Foto: Bruno Cantini/Atlético
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Um Atlético x Cruzeiro em campo nem precisa de motivo. Clássico é clássico. No entanto, em 2014, os rivais mineiros se enfrentaram pela primeira vez em uma final a nível nacional, pela Copa do Brasil. A Raposa tinha conquistado o bicampeonato brasileiro e vinha de um jogo eletrizante contra o Santos pelas semifinais da Copa do Brasil. O Galo, por sua vez, chegava embalado com as viradas surpreendentes nas fases anteriores diante de Flamengo e Corinthians e ainda com o título da Copa Libertadores de 2013.

Com mando alvinegro, o Atlético levou o jogo de ida para a Arena Independência, onde venceu por 2 a 0, com gols de Luan e Dátolo. O Cruzeiro carregou a desvantagem para a segunda partida e precisava de vencer por mais de dois gols de diferença para levantar a taça da Copa do Brasil. Com quase 40 mil pessoas no Mineirão, o Galo novamente não deu chances para o rival e venceu por 1 a 0, com gol de Diego Tardelli. Resultado: Atlético campeão, e Cruzeiro vice pela segunda vez em seis finais. 

Agora, diante do Flamengo, o Cruzeiro joga sua sétima final, em que busca seu quinto título. O retrospecto da Raposa em finais é positivo, com quatro conquistas em seis disputas. Obviamente, entra em campo nos dias 7 e 27 de setembro para deixar esses números ainda mais favoráveis a si e dar ao seu torcedor uma glória neste segundo semestre de 2017.