Clubes árabes acionam Cruzeiro na Fifa por transferências de Thiago Neves e Denílson

Al Jazira pede R$ 34 milhões por Thiago, enquanto o Al Wahda pede cerca de R$ 3 milhões por volante

Clubes árabes acionam Cruzeiro na Fifa por transferências de Thiago Neves e Denílson
Ex-clubes de Thiago Neves e Denílson querem ao todo R$ 37 milhões de reais do Cruzeiro (Foto: fotomontagem nas fotos de Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Virou rotina os ex-clubes de jogadores que fazem ou fizeram parte do elenco do Cruzeiro entrarem com ação na Fifa para cobrar o clube. Dessa vez a cobrança vem da Arábia. A Raposa está sendo denunciada pelo Al Jazira e Al Wahda, que cobram valores pelo meia Thiago Neves e pelo volante Denílson, respectivamente. Através da Fifa, o Al Jazira cobrou uma dívida de 9 milhões de euros, cerca de R$ 34 milhões, alegando que o contrato de Thiago Neves, que era válido até 2018, foi rescindido com base apenas no interesse do meia, o que teria prejudicado o clube.

Já pelo volante Denilson, que defendeu o Cruzeiro enfre julho e novembro de 2016, quem cobra é o Al Wahada. Na época, o clube celeste fechou o valor de R$ 850 mil euros, cerca de R$ 3,2 milhões, com o time árabe, para contar com o jogador. Porém, a equipe árabe alegou que o clube brasileiro não pagou a quantia determinada.

Thiago Neves é uma das estrelas do elenco atual do Cruzeiro (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)
Thiago Neves é uma das estrelas do elenco atual do Cruzeiro (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Quem apareceu para esclarecer essas situações por parte do Cruzeiro, foi o o diretor jurídico do Cruzeiro, Fabiano de Oliveira Costa, que em entrevista ao site Superesportes explicou o processo contra o Cruzeiro, por parte do ex-clube de Thiago Neves, dizendo que o clube foi citado como responsável solidário, sendo acusado de induzir o jogador a encerrar o vínculo com o time árabe, fato que foi negado pelo advogado. “O Al Jazira já estava descumprindo obrigações. Eles não pagavam salários, por exemplo. O Cruzeiro, em momento nenhum, exerceu influência sobre a saída dele” Informou.

Já por parte do processo envolvendo a equipe de Denílson, Fabiano de Oliveira Costa confirma o débito pendente do Cruzeiro, que já apresentou a defesa. “Há realmente o processo. Eles cobram o valor do empréstimo, que é de 850 mil euros, e não foi pago. Isso é sem os juros. Os juros estabelecidos pela Fifa são de 5% ao ano. Em todas as ações são assim” apontou.

Árabes não são os primeiros a cobrar a Raposa na FIFA em 2017

Ainda este ano o Cruzeiro já passou por casos parecidos com a atual cobrança dos times do Oriente Médio. O time estrelado também foi acionado pelo Tigres do México por conta de uma dívida referente a transferência do atacante Rafael Sobis.

Ábila deixou o Cruzeiro por causa de uma dívida não paga com o Huracán-ARG (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)
Ábila deixou o Cruzeiro por causa de uma dívida não paga com o Huracán-ARG (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O caso mais emblemático foi o do atacante argentino, Ramón Ábila. O clube tinha uma dívida de US$ 1,5 milhão (R$ 4,69 milhões) pela compra do centroavante com o Huracán, que acionou a FIFA, conseguiu que o jogador voltasse à Argentina e logo depois o negociou. Nessa confusão toda, a Raposa abriu mão de direitos que tinha e repassou a dívida para o novo clube do ex-camisa 9.