Apesar de pré-temporada curta, Mano aprova atuação do Cruzeiro em estreia no Mineiro contra Tupi

Raposa bateu Galo Carijó por 2 a 0 no primeiro jogo do ano com gols de Rafinha e Robinho, em noite que teve casa cheia e estreia de Fred

Apesar de pré-temporada curta, Mano aprova atuação do Cruzeiro em estreia no Mineiro contra Tupi
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Com a realização da Copa do Mundo no meio deste ano, o calendário das equipes começou a funcionar mais cedo. No caso do Cruzeiro, por exemplo, a apresentação oficial para 2018 ocorreu em 3 de janeiro, com o primeiro jogo da equipe acontecendo nessa quarta (17). A Raposa bateu o Tupi por 2 a 0 em casa, exatos 14 dias após o começo da pré-temporada. Diante desse tempo curto, o técnico Mano Menezes aprovou o que viu de seu grupo frente ao Galo Carijó.

Com Mineirão cheio e três reforços em campo, Cruzeiro vence Tupi na estreia no Campeonato Mineiro

“Conseguimos vencer e jogar bem, o que não é fácil para uma partida de estreia, com menos de 14 dias de treinamento. Essa é a outra questão que incentiva o torcedor a voltar na próxima partida, era o que queríamos. Fizemos um 2 a 0, criamos mais dez oportunidades de marcar e isso tem a ver com a base que mantemos, certamente, uma ideia de trabalho com pequenas modificações no jeito de jogar e qualidade dos jogadores que é indiscutível”, afirmou Mano em coletiva.

Uma das grandes expectativas para esse duelo era a possibilidade do atacante Fred marcar em seu retorno ao clube celeste. Ele foi contratado pela Raposa no fim do ano passado logo após rescindir com o rival Atlético-MG, voltando ao Cruzeiro após 13 anos - defendeu o time em 2004 e 2005. O camisa 9 não conseguiu marcar, mas Mano afirmou que isso será um processo natural para o atacante.

"Todo mundo sabe que o camisa 9, com o histórico do Fred, é o cara que vai marcar em momentos importantes. Então, às vezes você quer acelerar um pouco. Quando Thiago Neves chegou, até pênalti para ele fazer o primeiro gol, eu coloquei para bater, e ele errou. A experiência ensina que não precisa tanto isso, que naturalmente as coisas vão acontecer. Mas Fred participou de triangulações, fez o pivô, ajudou nas jogadas dos gols. A equipe naturalmente vai achar seus caminhos", analisou o comandante celeste.

Se Fred não marcou, uma dupla do meio-campo do Cruzeiro assumiu a responsabilidade. Robinho e Rafinha deixaram seus nomes nas redes do goleiro Vilar e construíram o triunfo celeste no Mineirão, que contou mais de 42 mil torcedores. "Temos mais jogadores para dividir com ele [Fred] essa responsabilidade. Temos um time com um poder de criação bastante grande. Logo logo a bola entra para ele também, como aconteceu com Robinho e Rafinha hoje", completou o treinador.