Pouca criatividade: Caldense e Cruzeiro não tiram o zero do placar em Poços de Caldas

Veterana deixa poucos espaços para a Raposa, que sofre com o gramado pesado do estádio Ronaldão

Pouca criatividade: Caldense e Cruzeiro não tiram o zero do placar em Poços de Caldas
Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro
Caldense
0 0
Cruzeiro
Caldense: Omar; Jefferson Feijão, Marcelo, Robinho e Jhonathan; Jean, Mineiro e Marquinhos (Min. 00, Charles, 2ºT); Juninho, Neílson (Min. 32, Willian, 2ºT) e Anderson Rosa, Técnico: Zezito
Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Léo, Manoel e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Bruno Silva (Min. 00, Robinho, 2ºT), Thiago Neves (Min. 32, Rafael Sóbis, 2ºT) e Rafinha (Min. 23, Rafinha, 2ºT); Fred. Técnico: Mano Menezes
ÁRBITRO: Igor Júnio Benevenuto, auxiliado por Ricardo Junio de Souza e Magno Arantes Lira. Cartões amarelos: Marquinhos (Caldense); Robinho (Cruzeiro)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 2ª rodada do Campeonato Mineiro, disputada no estádio Ronaldão, em Poços de Caldas/MG, neste sábado (20)

Caldense e Cruzeiro entraram em campo, na noite deste sábado (20), pela 2ª rodada do Campeonato Mineiro. Ao contrário do meio de semana, quando as duas equipes venceram pela estreia da competição, ninguém alterou o placar no estádio Ronaldão, em Poços de Caldas. Faltou criatividade aos times, para a decepção das torcidas.

O resultado deixou o Cruzeiro com a liderança provisória do Estadual, com quatro pontos. A Caldense aparece logo atrás da equipe celeste, com a mesma pontuação, levando desvantagem apenas no saldo de gols (2 a 1).

A Caldense seguirá jogando no Ronaldão na próxima rodada. Na quarta-feira (24), a Veterana recebe o Tombense, às 20h30. Mais tarde, às 21h45, será a vez do Cruzeiro entrar em campo contra o Uberlândia, no Mineirão.

Marcação da Caldense e aparições de Omar marcam 1º tempo

Enquanto Zezito optou por manter a base da Caldense que venceu o Democrata-GV no meio de semana, Mano Menezes preferiu 'rodar' o Cruzeiro por questões de desgaste e sacou alguns titulares, como o zagueiro Murilo, o volante Ariel Cabral e os meias Robinho e Arrascaeta. Em seus respectivos lugares, entraram Manoel, Lucas Silva, Bruno Silva e Rafinha, que marcou um dos gols da vitória da Raposa sobre o Tupi, na última quarta-feira (17), na estreia do Estadual.

A Caldense começou a partida marcando o Cruzeiro de perto, sobretudo Thiago Neves. Os jogadores da Veterana deixavam poucos espaços para a Raposa trabalhar a bola. Mas quem assustou primeiro foi justamente a equipe celeste, após cabeceio de Fred para a grande defesa do goleiro Omar. Na cobrança do escanteio, Manoel, novamente de cabeça, mandou rumo ao gol e o arqueiro da equipe de Poços de Caldas, de maneira excepcional, impediu o gol dos visitantes.

O Cruzeiro perdeu um pouco do ímpeto e a Caldense aproveitou para atacar, usando Jefferson Feijão como principal válvula de escape. Aos 21, Neílson desperdiçou uma grande chance após bater de primeira na entrada da área ao mandar por cima do gol defendido por Fábio. Dois minutos depois, o atacante da Veterana voltou a incomodar o goleiro ao finalizar de fora da área. Thiago Neves e Fred pouco apareceram. O primeiro sofria com a marcação. Desta forma, a bola não chegava para o centroavante, que se movimentou menos do que na estreia do time na temporada.

A primeira etapa findou com mais uma bela defesa de Omar, após tabela entre Thiago Neves e Lucas Romero. O volante argentino bateu firme da entrada da área para a aparição do arqueiro da Veterana.

Muitas faltas e pouca criação: ritmo cai nos últimos 45 minutos

Após tomar cartão amarelo na primeira etapa, Marquinhos foi substituído pelo também meio-campista Charles, pelo lado da Caldense. Já no Cruzeiro, Bruno Silva, cansado, deixou o campo para a entrada de Robinho. Apesar das substituições, nada mudou nos primeiros minutos da segunda etapa: a Veterana permanecia deixando poucos espaços para a Raposa trocar passes, mas também não criava oportunidades de gols.

Após os dez minutos, a partida começou a ficar mais pegada, sobretudo no meio-campo. Muitas faltas e pouca criatividade. O Cruzeiro, então, passou a ocupar mais seu campo de ataque, principalmente após a entrada de Arrascaeta, que atuou pelo lado esquerdo. A Raposa quase abriu o placar aos 32, quando Léo aproveitou falha da zaga da Caldense para finalizar, mas acabou errando o alvo.

O Cruzeiro ainda tentou mais duas vezes: na primeira, Rafael Sóbis bateu da entrada da área para a defesa firme do goleiro Omar. Já na segunda e última chance do jogo, Fred cabeceou por cima do gol após cruzamento de Lucas Silva.