Noite apagada e TN30 pouco criativo: confira notas para atletas do Cruzeiro contra Caldense

Raposa não saiu do zero com a Veterana na noite desse sábado (21), pela segunda rodada do Estadual

Noite apagada e TN30 pouco criativo: confira notas para atletas do Cruzeiro contra Caldense
Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro

Depois de vencer o Tupi em sua estreia no Campeonato Mineiro de 2018, o Cruzeiro viajou até Poços de Caldas e empatou com a Caldense em 0 a 0. O placar refletiu o que foi o duelo, um jogo de pouca criatividade e sem grandes chances para ambos os lados. A partida aconteceu nesse sábado (20), pela segunda rodada do torneio.

A equipe celeste criou pouco, mas, ainda assim, o goleiro adversário foi o melhor em campo por algumas defesas difíceis. No interior, o técnico Mano Menezes experimentou algumas mudanças, como já havia sinalizado ao longo da semana. Por tudo isso, a VAVEL Brasil vai analisar a atuação individual dos atletas da Raposa.

Fábio: nota 5
O goleiro do Cruzeiro pouco fez no jogo. O arqueiro celeste encaixou algumas defesas tranquilas em finalizações que não ofereceram muito perigo à meta celeste e não teve muitas demandas no decorrer da partida em Poços de Caldas para ser avaliado de forma mais criteriosa.

Lucas Romero: nota 6
Volante improvisado na lateral direita, o argentino foi bem defensivamente, com boa recomposição e atenção nos lances próximos à área de Fábio. No entanto, no quesito 'ofensividade', o jogador deixou a desejar. A transição da Raposa pelo lado direito foi falho, a começar pela comissão de trás que deveria sair jogando.

Léo: nota 6
Como a Caldense criou pouco, tanto quanto o Cruzeiro, o jogo ficou mais concentrado no meio-campo e pouco atrapalhou as zagas. No entanto, quando requisitado, Léo atuou bem e não comprometeu a defesa celeste.

Manoel: nota 6,5
O técnico Mano Menezes afirmou nessa semana que vai rodar a equipe, e assim o fez contra a Caldense. Quatro modificações foram promovidas, dentre elas Manoel na vaga de Murilo. O experiente defensor foi bastante seguro em Poços de Caldas nas vezes em que a Raposa precisou dele.

Egídio: nota 5
A atuação de Egídio em Poços de Caldas divide opiniões. O jogador não foi bem ofensivamente, com pouca ousadia pelo lado esquerdo. Ainda, pecou nos cruzamentos e na qualidade das subidas.

Henrique: nota 7
O Cruzeiro não jogou muito bem em Poços de Caldas, mas, em meio a isso, o volante Henrique conseguiu mostrar uma boa atuação. Sólido no meio-campo, o jogador reforçou a marcação e a recomposição celeste, protegendo bem a ala frente à zaga do time.

Lucas Silva: nota 4,5
Assim como Manoel substituiu Murilo, Lucas Silva pegou a vaga de Ariel Cabral nessa rotação de elenco. Uma das fortes características do argentino é o bom passe, o que Lucas não conseguiu fazer. O jogador apelou por bolas alçadas, mas ainda assim teve uma atuação ruim.

Bruno Silva: nota 4,5
Na vaga de Robinho, quem atuou foi o volante Bruno Silva. O jogador, desde a época em que defendia o Botafogo, já atuava pela meia-direita, e deve também fazer essa função na Raposa. Contra a Caldense, o atleta teve uma atuação apagada, com pouco engajamento, apesar de boa marcação.

Robinho: nota 5
Ao entrar no lugar de Bruno Silva, o meia Robinho possibilitou mais jogadas à Raposa pelo lado direito, além de bolas alçadas na área pela qualidade do cruzamento. Ainda assim, não mudou muito o panorama do jogo a favor do Cruzeiro.

Thiago Neves: nota 4,5
Um dos atletas mais apagados do Cruzeiro em Poços de Caldas, o meia Thiago Neves teve uma noite sem brilho frente à Caldense. O camisa 30 não conseguiu se desvencilhar da marcação adversária e pouco criou, tampouco armou com qualidade. O gramado desfavoreceu bons toques de bola e triangulações rápidas, mas, ainda assim, a noite de TN30 não foi boa.

Arrascaeta: nota 5
Opção de Mano no decorrer do jogo, o meia Arrascaeta entrou no lugar de Rafinha e gerou alguma movimentação pelo lado esquerdo. Depois, caiu mais para o meio com a saída do TN30. Apesar disso, não criou com qualidade, nem serviu seus companheiros à frente com chances realmente perigosas.

Rafinha: nota 6,5
Em meio ao apagado setor de armação do Cruzeiro, o agora camisa 18 tentou algo no primeiro tempo. No entanto, ainda assim, não conseguiu criar nada de muito perigo a favor da Raposa porque praticamente não teve com quem jogar. A nota para o jogador vai mais de acordo com a sua entrega em campo.

Fred: nota 5
Assim como na estreia do Cruzeiro, o atacante Fred teve mais uma noite em branco. Mesmo exercendo o papel de pivô e escorando bola lá na frente, o atleta ficou mais isolado em certos momentos do duelo e não somou uma boa atuação.

Rafael Sóbis: nota 4,5
Opção de Mano no segundo tempo, o atacante Sobis acertou um chute de longe contra a meta de Omar, mas parou nisso. O jogador substituiu o meia Thiago Neves e dividiu o ataque com Fred, mas teve pouco tempo em campo para mostrar serviço.