Análise: Cruzeiro de Mano aposta movimentações intensas e laterais agudos para auxiliar Fred

Sólido defensivamente em 2017, time mineiro deve melhorar seu arsenal ofensivo para esta temporada

Análise: Cruzeiro de Mano aposta movimentações intensas e laterais agudos para auxiliar Fred
Thiago Neves é tido como titular absoluto do Cruzeiro (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Em meio à transição de diretorias, o Cruzeiro fez a manutenção da equipe que venceu a Copa do Brasil no ano passado e a fortaleceu trazendo jogadores de alto nível para brigar pela titularidade nesta temporada. A base do time de Mano Menezes foi mantida, o que facilita o trabalho do treinador. Agora, a missão do comandante gaúcho é manter a solidez defensiva que marcou o futebol dos mineiros em 2017 e encontrar o ataque ideal da equipe para privilegiar Fred, principal contratação do clube.

No entanto, a entrada de um centroavante pivô – estilo de jogo de Fred – implicará em mudanças significativas no estilo de jogo da equipe celeste, já que no ano passado Mano optou por um atacante de mais movimentação? Para tentar responder a essa pergunta, a VAVEL Brasil preparou este especial, onde iremos destrinchar o atual time cruzeirense.

Espinha dorsal mantida

Foto: LineupBuider

Para começar, é preciso destacar que Mano Menezes não pretende abrir mão do 4-2-3-1. O técnico manteve o esquema tático da última temporada nos três primeiros jogos da equipe no Campeonato Mineiro de 2018. Mas houve momentos em que o time se postou num 4-3-3, sendo o meia Robinho a peça essencial para que essa variação acontecesse. Sem a bola, o Cruzeiro se posta num 4-4-2, com duas linhas bem compactadas para dificultar o processo de infiltração do adversário.

Em 2017, a Raposa tinha uma proposta de jogo reativa, ou seja, atraía o adversário a seu campo e o contra-atacava quando surgia a oportunidade. Em apenas três partidas do Mineiro e diante de equipes inferiores tecnicamente, não é possível delinear claramente qual será a ideia de jogo da equipe mineira neste ano.

Mas, por outro lado, a tendência é que o time esteja mais entrosado no ataque, de modo que os meias Thiago Neves, Robinho e Arrascaeta flutuem e troquem constantemente de posição para confundir o adversário e gerar tabelas junto a Fred.

Fred, aliás, saiu bastante da área nos três jogos do Mineiro e, apesar de não ter balançado as redes, criou boas oportunidades de gol. O camisa 9, jogando de costas para a marcação, distribuiu passes que muitas vezes romperam o sistema defensivo dos rivais.

Contratamos um jogador, o Fred, que tem uma maneira muito definida de jogar. E com um jogador como esse é preciso entender algumas mudanças necessárias para tirar o melhor proveito. É um jogador de área e a bola precisa chegar, é um dos melhores definidores do país. Para fazer essa bola chegar, temos que ter uma composição de meio-campo diferente do que fazíamos antes. A chegada desses jogadores, como Mancuello e Bruno Silva, visam a mudar a formação para que tenhamos êxito lá na frente”, disse Mano Menezes, antes do início do Estadual.

Solidez defensiva e forte pelas laterais

'Volância'
Após perder Hudson, que voltou ao São Paulo, a cúpula celeste buscou o argentino Mancuello no Flamengo. Porém, o jogador terá de lutar bastante por uma camisa de titular, já que o capitão Henrique e o compatriota Ariel Cabral devem seguir intocáveis na espinha dorsal da equipe de Mano Menezes.

Henrique é o volante que auxilia a saída de bola da Raposa. Em alguns momentos da goleada sobre o Uberlândia, no Mineirão, ele chegou a recuar à defesa para buscar a bola e, assim, executar uma saída de três zagueiros (Manoel, Henrique e Murilo), com os laterais avançados para gerar amplitude.

Cabral, por sua vez, dá dinamismo à meiuca da equipe. O gringo controla bem seu espaço e consegue romper linhas com facilidade através do passe.

Lateral
As laterais do Cruzeiro têm novos donos em 2018. Jogadores com características mais ofensivas do que defensivas, Edilson e Egídio serão importantes na construção do jogo pelos lados de campo. Ambos desfrutam de forte poder de infiltração e também cruzam bem, fato que privilegia Fred, cujo cabeceio é uma de suas armas.

Defesa
Como adiantamos anteriormente na VAVEL Brasil, a zaga foi o único setor ao qual a diretoria do Cruzeiro não perdeu nem contratou jogadores. Com isso, Mano Menezes tem uma "dor de cabeça boa". Isso porque o treinador dispõe de seis jogadores que atuaram constantemente em 2017, seja por lesão de um companheiro ou opção técnica: Murilo, Léo, Manoel, Dedé, Digão e Artur. A briga promete ser boa por uma vaga de titular.