Botafogo e Albirex não chegam a acordo por Rony, e Cruzeiro terá que pagar para clube carioca

Raposa terá de desembolsar R$ 1 milhão em compensação e pode ainda mandar um outro atleta para o clube alvinegro; atacante estava ligado à contratação de Bruno Silva

Botafogo e Albirex não chegam a acordo por Rony, e Cruzeiro terá que pagar para clube carioca
Foto: Divulgação/Botafogo

Envolvido na negociação que levou o volante Bruno Silva, ex-Botafogo, para o Cruzeiro, o atacante Rony, do Albirex Niigata-JAP, deve retornar para o clube japonês. A Raposa detém 40% dos direitos do atleta e o integrou nas tratativas com o time carioca pelo meio-campista, mas, em meados de janeiro, o time estrangeiro exigiu o retorno do jogador, alegando que ele tinha deixado o Japão antes do tempo acordado.

Com isso, Albirex e Botafogo seguirem em conversas por uma renegociação desse panorama. Na última segunda-feira (29), em uma reunião entre representantes dos clubes e do atleta, um retorno ao Brasil ficou praticamente descartado. A reportagem entrou em contato com Bichara Neto, advogado que cuidou do caso junto a Hercules Junior, empresário de Rony, que comentou sobre a situação.

"Houve uma reunião esta semana. Botafogo e Albirex não se resolveram por questões envolvendo valores", disse Bichara à VAVEL Brasil. Com isso, o Cruzeiro segue tendo 40% dos direitos de Rony, mas precisará resolver com o Botafogo, já que o atacante esteve envolvido na contratação de Bruno Silva. As possibilidades, com isso, são as seguintes: 1 milhão de reais ao clube carioca ou outro atleta.

O diretor de futebol do Cruzeiro, Marcelo Djian, afirmou à reportagem que o clube celeste ainda não foi notificado quanto ao desfecho das conversas entre Albirex Niigata e Botafogo, mas que a solução será mesmo pagar um valor ou envolver um novo jogador.

"Vamos ver com o Botafogo para saber sobre isso e saber qual decisão tomar. Ainda não decidimos, mas a princípio temos que mandar algum jogador ou pagar o valor. Estou aguardando a decisão do empresário. Quanto ao Botafogo, se eles quiserem algum jogador, vamos ver para mandar. Precisamos aguardar para tomar uma decisão", afirmou Marcelo Djian.

Entenda o caso

O Cruzeiro contratou o volante Bruno Silva no começo de 2018 junto ao Botafogo após um novela que já se estendia desde o ano passado. A Raposa pagou 4 milhões de reais ao time carioca e ainda 1 milhão à Ponte Preta, que detinha 60% dos direitos do atleta. A diretoria mineira envolveu, ainda, o atacante Rony, que iria para o clube do Rio de Janeiro - equipe celeste é dono de 40% dos direitos do atleta.

Com isso, Rony deixou o Albirex Niigata e chegou a ser integrado ao elenco carioca. O time japonês, porém, enviou uma notificação extraoficial ao clube mineiro, dizendo que o atacante tinha saído do Japão antes do tempo previsto em contrato. Com isso, ou a Raposa devolvia o jogador, ou pagava uma multa de 10 milhões de dólares (cerca de R$32 milhões).

Cruzeiro se isenta de responsabilidade em ‘caso Rony’ e garante parcialidade no negócio

Mas, e quanto ao Botafogo? Havia uma cláusula de resguardo ao time carioca que obrigava o Cruzeiro a desembolsar mais 1 milhão de reais o envolvimento de Rony não desse certo. Com o atacante fora da jogada, a situação agora fica entre as diretorias da Raposa e do Botafogo, e por isso a equipe mineira cogitou mandar algum atleta para o Rio de Janeiro em vez de pagar.