"Garçom" de Arrascaeta, Edílson aponta entrosamento do Cruzeiro e parabeniza torcida celeste

Lateral deu a assistência que resultou no gol do uruguaio contra o América-MG no último domingo (4), pelo Campeonato Mineiro, duelo que contou com mais de 50 mil torcedores

"Garçom" de Arrascaeta, Edílson aponta entrosamento do Cruzeiro e parabeniza torcida celeste
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Um dos responsáveis pela vitória do Cruzeiro no último domingo (4) sobre o América-MG, o lateral Edílson foi quem deu a assistência na medida para o voleio de Arrascaeta que sacramentou o triunfo celeste. O resultado no Mineirão manteve a equipe na liderança, agora de forma isolada, e o garçom do tento do uruguaio comentou sobre o lance, digno de ser visto por repetidas vezes.

"Isso é pelo entrosamento que a gente vem adquirindo. É normal uma evolução tanto na parte física quanto na parte técnica. Quando a gente começa a ficar melhor fisicamente e conhecer os colegas, a gente só tem a crescer. Fiquei feliz pela assistência e espero dar muitas assim neste ano", pontuou Edílson.

No Gigante da Pampulha, mais de 50 mil torcedores acompanharam a vitória do Cruzeiro por 1 a 0 sobre o América. Em 2018, a Raposa fez três jogos em casa, somando ao todo cerca de 107 mil torcedores no Mineirão: 42 mil contra o Tupi e 25 mil frente ao Uberlândia, além do ótimo público na partida diante do Coelho. 

"Nós temos que parabenizar a torcida, porque para nós, jogadores, é muita satisfação ver o Mineirão lotado. O torcedor precisa ter a consciência que eles podem fazer a diferença para nós na temporada. Desde o início do ano, o Itair fez contratações e manteve a qualidade do elenco. [A diretoria] nos deu e deu ao Mano uma condição muito boa, sempre pedindo o apoio do torcedor, e ele vem nos apoiando. Esse ele entre diretoria, torcedor e jogador vem dando certo e a gente espera colher frutos", colocou.

Apresentação tardia e Libertadores

Campeão da Libertadores de 2017 com o Grêmio, Edílson disputou o Mundial de Clubes com o tricolor gaúcho em meados de dezembro. Como teve férias mais curtas, ganhou uma folga da Raposa no começo desta temporada, juntando-se ao novo elenco mais tarde. Desde quando estreou, contra o Uberlândia, o lateral fez três partidas completas, mostrando bastante disposição. Apesar disso, Edílson afirmou que ainda não chegou ao ápice de seu condicionamento.

"Ainda tenho muito que evoluir fisicamente, porque ainda estou cansando no fim do jogo. Mas, isso está dentro da normalidade porque tive um período menor de férias, e depende de treinamento. Tenho que elogiar o Dudu [preparador físico Eduardo Silva] e os outros preparadores físicos pelos trabalhos, porque me sinto bem e consigo jogar 90 minutos. Acredito que em dois jogos já vou começar a voltar ao meu ápice da parte física", projetou.

Sobre Libertadores, Edílson não esconde que quer atingir com o time mineiro a glória conquistada com o esquadrão tricolor. Mas, apesar de esperar um mesmo desfecho, o lateral sabe que os caminhos agora serão diferentes. No caso da Raposa de 2018, a estreia será contra o Racing, fora de casa, no dia 27 de fevereiro.

"Quero de novo [a Libertadores]. A gente tem um elenco muito qualificado, e eu tenho certeza que a gente vai chegar. Esse jogo contra o Racing vai ser importantíssimo e é bom que a gente faça a nossa estreia contra um adversário muito qualificado e fora de casa, porque isso vai testar bastante a nossa equipe. [...] A ressaca passou, e o pensamento agora é no Cruzeiro", colocou.

O Cruzeiro, líder do Campeonato Mineiro com 13 pontos, vai viajar até Governador Valadares para enfrentar o Democrata na sexta (8), às 21h30, pela sexta rodada do Estadual.