Jogadores do Figueirense lamentam pouca produção ofensiva contra Coritiba

Zagueiro Marquinhos e goleiro Gatito Fernández afirmam que rendimento do Figueira não foi o esperado

Jogadores do Figueirense lamentam pouca produção ofensiva contra Coritiba
Zagueiro Marquinhos não gostou do desempenho da equipe (Foto: Luiz Henrique / Figueirense FC)

No estádio Orlando Scarpelli, nem Figueirense e nem Coritiba conseguiram colocar a bola no fundo das redes. O empate foi ruim para as ações de ambos no Campeonato Brasileiro 2016, pois o Figueira fica com 14 pontos, na 14ª colocação. Já a equipe Coxa Branca permanece em penúltimo, com 10.

O Figueirense teve o desfalque do meia Ferrugem, que marcou gol na vitória sobre o Internacional, no domingo anterior. A escalação e as mexidas de Vinicius Eutrópio não deram produção suficiente para almejar os três pontos nesta noite de domingo.

A luta do atacante Rafael Moura contra os zagueiros não deu resultado e o alvinegro, pior ataque da competição com 10 gols marcados, amarga o empate em casa nesta 12ª rodada do Brasileirão.

Marquinhos, zagueiro do Figueirense, lamentou a atuação considerada abaixo do habitual: "Hoje não jogamos da maneira que vínhamos jogando", analisou. Apesar do empate, o Figueira segue sem perder em casa no Orlando Scarpelli. Porém, a aproximação da zona de rebaixamento preocupa o torcedor.

O lateral-esquerdo Marquinhos Pedroso "A gente se dedica muito. A gente obritatoriamente precisava ter vencido, mas agora é enfrentar o Palmeiras de igual para igual para somar pontos". O duelo com o líder é na quinta-feira, às 19h30, no Allianz Parque, quando o Verdão contará com sua verdadeira casa no Brasileirão 2016.

"Nosso time não conseguiu produzir o que produzimos contra os outros times. Pagamos com o empate, deixamos de fazer dois pontos. É continuar focado e ficar concentrados para pontuar", disse o meia Dudu, bastante criticado pelo torcedor quando saiu do gramado do estádio Orlando Scarpelli.

O goleiro paraguaio Gatito Fernández foi o último a sair de campo e analisou o empate sintomático pela pouca criação do Figueira. "Não é o que nós queríamos, um pontinho, que é melhor do que uma derrota. Quase não tivemos oportunidades de gol e, quando tivemos, não completamos", disse o guarda-redes estrangeiro do Alvinegro.