Em jogo nervoso e com duas expulsões, Figueirense e Atlético-MG empatam em Floripa

Fred e Yago foram expulsos com vermelho direto em partida que terminou 1 a 1 no Orlando Scarpelli

Em jogo nervoso e com duas expulsões, Figueirense e Atlético-MG empatam em Floripa
Empate mantém o Figueira perto do Z-4 e Galo longe do G-4 (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)
Figueirense
1 1
Atlético-MG
Figueirense: Gatito Fernández; Ayrton, Bruno Alves, Werley, Marquinhos Pedroso (Pará, min. 40/2ºt); Elicarlos, Jocinei (Matheus Henrique, min. 24/2ºt), Yago, Bady; Everton Santos (Guilherme Queiroz, min. 23/2ºt), Ermel. Técnico: Vinícius Eutrópio
Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo, Douglas Santos; Eduardo, Júnior Urso; Cazares (Hyuri, min. 36/2ºt), Clayton (Carlos, min. 10/2ºt), Robinho (Patric, intervalo); Fred. Técnico: Marcelo Oliveira
Placar: 0-1, min. 7/1ºt, Fred. 1-1, min. 6/2ºt, Ermel
ÁRBITRO: Rafael Traci, auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Luciano Roggenbaum, todos do PR. Amarelos: Werley, Jocinei (FIG), Leonardo Silva, Júnior Urso, Erazo, Eduardo (CAM). Vermelhos: Fred (CAM); Yago (FIG)
INCIDENCIAS: 14ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro 2016, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC. Público total 5.506 torcedores. Renda: R$ 66.550,00

Em Florianópolis, Figueirense Atlético-MG ficaram no empate em 1 a 1, resultado que não é suficiente para nenhum dos times. Fred, aos 7 do primeiro, e Ermel, aos 6 do segundo, marcaram os gols da partida no Scarpelli. O próprio Fred e o meia Yago ainda foram expulsos.

Com esse ponto, o Figueira, que não vence a quatro jogos, ocupa a 16ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 14 pontos, um acima da zona de rebaixamento. Já o Atlético-MG, após quatro vitórias seguidas, fica com 20 pontos, no 9º lugar.

Na quarta-feira (6), o Figueirense recebe o Sampaio Corrêa, às 19h30, na partida de volta da segunda fase da Copa do Brasil, após ter vencido no Maranhão por 2 a 1. Pela Série A, os dois times jogam no domingo (10), às 11h. O Figueira visita o Grêmio, enquanto o Galo visita Brasília para enfrentar o Flamengo.

Galo sai na frente logo no começo em primeiro tempo de poucas chances

Pressionado pela sequência de derrotas seguidas, o Figueirense entrou em campo muito modificado e com a necessidade da vitória por ter entrado no Z-4 durante a rodada. Mas, logo aos 7, Douglas Santos recebeu pela esquerda de Cazares e cruzou na pequena área para Fred, que apareceu livre para desviar de cabeça e vencer Gatito para abrir o placar para o Galo.

O Figueirense tentou pressionar em busca do empate, mas os cruzamentos não foram eficientes e as finalizações foram fracas ou para fora. Aos 16, em contra-ataque rápido, Cazares recebeu de Fred e arriscou de fora da área, mas Gatito caiu no canto esquerdo e espalmou, evitando o segundo dos visitantes.

No total, o Figueirense teve mais posse de bola no primeiro tempo - 56% - e finalizou mais vezes - cinco a quatro -, mas não teve grandes chances na primeira etapa. Aos 35, Ayrton cruzou da direita e a bola pegou efeito, quase mandando para o gol, mas Victor acompanhou e a bola acertou a rede pelo lado de fora. Oito minutos depois, Cazares bateu escanteio e Júnior Urso cabeceou na primeira trave, mandando com perigo. No fim da primeira etapa, o Figueira saiu atrás do placar e aumentou a impaciência da torcida alvinegra.

Figueira empata no início em tempo com expulsões

Para a volta do intervalo, Marcelo Oliveira trocou Robinho, que pediu para sair, por Patric. Mas, logo aos 6, em contra-ataque puxado por Jocinei, Ermel recebeu grande passe nas costas da defesa e saiu livre de frente para Victor e tocou na saída do goleiro para empatar no Scarpelli.

Aos 13, o árbitro viu cotovelada de Fred no rosto de Elicarlos e o árbitro Rafael Traci expulsou o atacante do Galo com cartão vermelho direto. A partir daí, o Figueirense tentou pressionar, mas, assim como no primeiro tempo, errou em momentos cruciais para buscar a virada, ainda com mais posse de bola e mais finalizações.

O Galo conseguiu assustar aos 28, quando, após lançamento de Cazares para a área, Werley afastou mal e a bola sobrou para Carlos, que bateu forte, mas Gatito conseguiu fazer a defesa. Cinco minutos depois, Ayrton fez boa jogada pela direita, cruzou para a área e Pedroso ajeitou para Guilherme Queiroz tocar de cabeça, mas Victor pegou sem problemas. Esse foi o padrão das finalizações do Figueirense durante o jogo, levando pouco perigo à Victor.

Mesmo com as alterações ofensivas do técnico Vinícius Eutrópio, o Figueirense não conseguiu aproveitar a vantagem numérica para virar o jogo. Já nos acréscimos, Yago deu um tapa nas costas de Júnior Urso, foi expulso, igualando o número de jogadores na partida, que foi finalizada no 1 a 1.