Figueirense cede empate para Chapecoense e chega a seis jogos sem vitória na Série A

Duelo catarinense no Scarpelli termina em 1 a 1 e Figueira corre risco de terminar rodada na zona de rebaixamento

Figueirense cede empate para Chapecoense e chega a seis jogos sem vitória na Série A
Confronto terminou em 1 a 1 no Scarpelli pela segunda vez em 2016 (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Figueirense
1 1
Chapecoense
Figueirense: Thiago Rodrigues; Ayrton (Jefferson, min. 37/2ºt), Werley, Bruno Alves, Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Jocinei (Ermel, min. 4/2ºt), Yago, Bady (Dodô, min. 19/2ºt); Rafael Silva, Rafael Moura. Técnico: Argel Fucks
Chapecoense: Marcelo Boeck; Gil (Martinuccio, min. 18/2ºt), Demerson, Felipe Machado, Dener; Josimar, Sérgio Manoel, Cleber Santana (Gimenez, min. 30/2ºt), Artur Maia (Lucas Gomes, min. 14/1ºt); Ananias, Kempes. Técnico: Caio Júnior
Placar: 1-0, min. 45/1ºt, Rafael Moura. 1-1, min. 25/2ºt, Dener
ÁRBITRO: Sandro Meira Ricci (SC), auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP). Amarelos: Marquinhos Pedroso (FIG); Gil, Filipe Machado, Ananias, Kempes (CHA)
INCIDENCIAS: 15ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, SC. Público total: 6.325 torcedores; Renda: R$ 73.955,00

Em partida equilibrada - como é costumeiro neste confronto -, Figueirense Chapecoense ficaram no 1 a 1 no duelo catarinense do Campeonato Brasileiro. Rafael Moura, de pênalti, abriu o placar para os mandantes e Dener empatou. Com o resultado, o Figueira, na primeira partida de Argel na Série A, foi a 16 pontos e é o 16º colocado, mas ainda pode terminar a rodada no Z-4. A Chape tem 19 e está no 13º lugar.

Na próxima rodada, o Figueirense visita o vice-líder Corinthians, no sábado (23), às 16h. A Chapecoense joga na quinta-feira (21) contra o Atlético-PR em Curitiba pela terceira fase da Copa do Brasil. Pela Série A, a Chape recebe o Botafogo, no domingo (24), às 16h.

O Figueirense foi ligeiramente superior no primeiro tempo. Com mais posse de bola (57%), o time da casa teve as melhores chances dda primeira etapa, com Rafael Moura sendo o jogador mais perigoso. A Chape, logo aos 13, teve que fazer uma alteração por lesão - Artur Maia saiu para a entrada de Lucas Gomes. A primeira chance mais clara foi aos 13, quando Cleber Santana recebeu dentro da área e bateu cruzado, mas Thiago segurou firme.

Aos 21, em bola alçada na área, Boeck saiu mal e Rafael Moura desviou de cabeça, por cima do gol. Aos 32, novamente o atacante do Figueira conseguiu ganhar no alto e tocar de cabeça, mas o desvio fraco foi direto nas mãos do goleiro. Já no fim do primeiro tempo, quando o 0 a 0 parecia certo para o intervalo, após cruzamento para a área o estreante zagueiro Filipe Machado levantou o braço e acertou a bola dentro da área, cometendo pênalti. Rafael Moura cobrou no canto direito, Boeck caiu para o esquerdo e o placar foi aberto no Scarpelli.

Já no segundo tempo, a Chapecoense teve a iniciativa do jogo e o Figueirense apostou nos contra-ataques. Aos 18, após escanteio cobrado para a área e corte da defesa alvinegra, Ananias bateu forte da entrada da área, mas mandou por cima. Sete minutos depois, Lucas Gomes fez grande jogada pela direita e cruzou para trás onde o lateral-esquerdo Dener finalizou colocado de pé direito, deixando o goleiro Thiago Rodrigues plantado e marcando um belo gol para empatar o jogo em Floripa.

A partir daí, o Figueira se lançou para o ataque novamente e o jogo ficou mais aberto. Aos 29, Elicarlos avançou pelo meio e tocou para Rafael Moura, que bateu forte de pé esquerdo, mas Boeck espalmou. Logo na sequência, Rafael Silva girou para cima da marcação dentro da área e chutou forte, acertando o travessão da Chape. Três minutos depois foi a vez da Chape perder grande chance. Após bola alçada na área por Kempes, Lucas Gomes desviou mal já na pequena área e a bola sobrou para Martinuccio, que novamente bateu fechado, mas outra vez Lucas Gomes tocou mal e perdeu a chance da virada.

No fim, o Figueira tentou criar chances, principalmente com cruzamentos, mas não conseguiu precisão e acabou ficando apenas no empate diante da sua torcida, chegando a seis jogos sem vencer na Série A.