Argel considera empate injusto e afirma que Cássio merecia ter sido expulso

Treinador do Figueirense gostou da atuação da equipe, que, segundo ele, jogou de igual para igual com Corinthians em Itaquera

Argel considera empate injusto e afirma que Cássio merecia ter sido expulso
Foto: Divulgação / Figueirense

A partida entre Corinthians e Figueirense, disputada no estádio de Itaquera, em São Paulo, ficou marcada por um lance de arbitragem. Quando o Figueirense vencia por 1 a 0, o árbitro Marielson Alves não expulsou Cássio em uma falta violenta sobre o atacante Dodô, do Figueira. O jogador do clube catarinense ia em direção ao gol, já havia tocado a bola para driblar o goleiro e foi derrubado pela perna de Cássio. A arbitragem marcou a falta e aplicou somente o cartão amarelo, não excluindo o arqueiro.

Na cobrança de falta, Cássio ainda espalmou a bola para evitar a ampliação. Ainda no segundo tempo, o Corinthians conseguiu o empate por 1 a 1, placar final da partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o jogo, o técnico Argel considerou o empate injusto e comentou o lance da não expulsão do goleiro Cássio.

"Tivemos um lance crucial da partida, um lance para expulsão, a arbitragem não expulsa o goleiro do Corinthians. É uma expulsão de concurso. Se expulsa, seria outro jogo. Esse lance capital nos tirou a vitória, mas mesmo assim a equipe se comportou bem, agrediu o adversário. Sofremos o gol de empate em uma bola parada. Saio satisfeito, a equipe fez uma partida equilibrada, confiante e segura, pois aqui não é fácil. Foi um time valente, time de soldadinhos, como a gente diz", analisou Argel Fucks.

Argel afirmou que o Figueirense queria a vitória, mas saiu satisfeito com o rendimento proposto pela equipe, que, segundo ele, jogou de igual para igual. "A equipe fez uma partida boa. Terceiro jogo nosso, mostrou evolução, uma equipe organizada, que suportou a pressão, não é fácil jogar aqui, um caldeirão. A equipe mostrou uma maturidade, os jogadores deram uma boa resposta. Foi um jogo equilibrado. Claro que a gente gostaria da vitória e trabalhamos para isso. Absovermos a pressão e jogamos como gente grande", disse.

O comandante do alvinegro de Florianópolis também elogiou individualmente alguns de seus atletas e comentou a situação do meia Ortega.

"O Pará (lateral-esquerdo) foi bem, jogou em grandes clubes, o Jefferson fez gol comigo no Horto. O Bady conseguiu dar uma sustentação no meio. O Dodô é diferenciado, dá uma versatilidade e na etapa final ele foi muito bem. No coletivo de quarta, o Ortega me chamou a atenção e você precisa dar chance, uns dois jogos pelo menos", afirmou Argel, que considera importante colocar o atleta colombiano em campo para adaptação e analisar rendimento.