Em jogo de arbitragem contestada, Figueirense e Sport empatam no Scarpelli

Equipes fazem partida equilibrada, marcam no segundo tempo e terminam igualadas, ficando fora da zona de rebaixamento

Em jogo de arbitragem contestada, Figueirense e Sport empatam no Scarpelli
Foto: Divulgação/Figueirense
Figueirense
1 1
Sport
Figueirense: Thiago Rodrigues; Jefferson, Bruno Alves, Marquinhos e Marquinhos Pedroso; Elicarlos, Jackson Caucaia, Dodô (Werley, min. 80) e Carlos Alberto (Yago, min. 71); Rafael Silva (Lins, min. 10) e Maurides. Técnico: Argel Fucks.
Sport: Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Ronaldo Alves e Rodney Wallace; Rithely, Serginho (Rodrigo Mancha, intervalo), Everton Felipe (Edmílson, min. 75), Gabriel Xavier e Mark González (Túlio de Melo, min. 76); Rogério. Técnico: Oswaldo de Oliveira.
Placar: 1-0, Carlos Alberto, min. 45; 1-1, Túlio de Melo, min. 82
ÁRBITRO: Flávio Rodrigues de Souza (SP). Cartões amarelos: Serginho (min, 20), Ronaldo Alves (min. 44), Dodô (min. 45), Jackson Caucaia (min. 55), Carlos Alberto (min. 61), Everton Felipe (min. 61), Marquinhos Pedroso (min. 62) e Bruno Alves (min. 74)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, realizado no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, Santa Catarina

Na noite deste domingo (7), Figueirense Sport mediram forças no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016. Em duelo com a arbitragem sendo contestada pelas duas equipes, o placar terminou igualado em 1 a 1 no fechamento do primeiro turno, com gols assinalados por Carlos Alberto Túlio de Melo, respectivamente.

O resultado fez o Furacão sair da zona de rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro, ao ocupar a 16ª colocação, com 21 pontos. Já o Leão segue na 12ª posição, com 23 pontos, terminando a metade do torneio distante da degola, onde viveu durante boa parte do certame nacional.

Os times voltam a campo, pela 20ª rodada do Brasileirão, no próximo fim de semana. Os catarinenses tem compromisso no sábado (13), às 18h30, diante da Ponte Preta no Moisés Lucarelli, em Campinas, já os pernambucanos vão enfrentar o Flamengo, às 16h, na Ilha do Retiro, em Recife.

Equipes fazem etapa morna e não conseguem balançar as redes

O duelo começou sem grande movimentação, mas com o Figueirense buscando impor seu ritmo para fazer valer o fator casa diante de um Sport, cauteloso, que tentou bloquear os espaços para sair em direção para o ataque no erro do adversário. Os mandantes não conseguiram construir boas jogadas, tentando lançamentos do campo de defesa. Já o Leão foi colocando a bola no chão e tramando boas possibilidades.

Em um dos lançamentos alvinegros, aconteceu o lance mais polêmico com apenas quatro minutos de bola rolando. Maurides recebeu livre pelo lado esquerdo, Magrão saiu do gol e dividiu com o atacante. O goleiro, no entanto, tocou na bola com a mão e o árbitro não marcou a irregularidade, para desespero do torcedor do Figueira, apesar de uma falta no goleiro. A primeira oportunidade do Leão aconteceu aos 14 minutos, quando Gabriel Xavier fez uma boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Rogério chutar de primeira para fora.

A equipe rubro-negra foi tomando conta e do meio-campo, por conta disso, passou a ser mais ativa em todo setor ofensivo. Everton Felipe recebeu na entrada da área e chutou colocado no canto, com muito perigo. O camisa 97 era uma das principais opções leoninas no setor de ataque, porém faltou tranquilidade para segurar um pouco mais a bola esperando a chegada dos meias. 

Boa oportunidade de abrir o placar mesmo só veio acontecer aos 29 minutos. Rogério aproveitou uma falha defensiva do Figueira, entrou na área e cruzou rasteiro para Everton Felipe tentar de letra e quase marcar um golaço. Logo em seguida, o Leão desperdiçou sua melhor chance. Gabriel Xavier cobrou escanteio, Mark González desviou no meio e Ronaldo Alves finalizou ao gol, entretanto a defesa salvou no momento certo.

O alvinegro melhorou na partida durante a parte final. Lins passou a aparecer como boa opção pelo lado, já Carlos Alberto distribuiu bem as jogadas. Apesar disso, a equipe anfitriã seguiu sem construir boas possibilidades de gols, enquanto os visitantes começaram a errar na saída de bola. Assim, o primeiro tempo foi encerrado no empate sem gols.

Times marcam um gol cada e jogo termina igualado

Para o segundo tempo, Oswaldo decidiu por promover a entrada do volante Rodrigo Mancha na vaga de Serginho, que foi mal durante o primeiro. A mexida, entretanto, não surtiu o efeito esperado, já que o Furacão abriu o placar com menos de um minuto. Maurides bateu de fora da área e Magrão rebateu. Na sobra, Carlos Alberto só precisou empurrar ao fundo do barbante.

O gol deixou o Figueirense animado e, com isso, chegou bem próximo de ampliar a vantagem construída. Marquinhos Pedroso recebeu de Dodô e ficou de frente para Magrão. O lateral arrematou em direção à meta e a bola ainda tocou no goleiro antes de ir pela linha de fundo, porém o árbitro não viu o toque e deu tiro de meta.

Motivado para buscar o empate, o Sport foi para cima e se aproximou de deixar tudo igual. Rogério fez boa jogada dentro da pequena área, brigou com os adversários e conseguiu recuperar. No rebote, Gabriel Xavier ficou sozinho para o chute e com ângulo, no entanto apostou em colocar, parando em Thiago Rodrigues.

Buscando seguir com força no ataque, o técnico dos rubro-negros fez duas alterações, colocando Edmilson Túlio de Melo nos lugares de Everton Felipe e Mark González. As mudanças fizeram o Leão ir mais para cima e, dessa maneira, deixaram o marcador igualado. Rogério, que fez bom lance, acabou derrubado por Marquinhos. Túlio encheu o pé na cobrança e Thiago ainda tocou na bola, que estufou a rede.

Os minutos finais seguiram dramáticos e com os dois times com boas chances de marcar pela segunda vez. Quem mostrou mais disposição foram os visitantes, depois de contra-ataque veloz. Edmilson acertou bom passe para Rodney Wallace, que entrou livre e cruzou rasteiro para que o atacante finalizasse, mas o goleiro fez a defesa e Rogério, ao pegar o rebote, foi derrubado na área, contudo a arbitragem não marcou. Logo depois, o camisa 90 recebeu na esquerda, puxou para o meio e chutou forte no canto, obrigando o arqueiro alvinegro a fazer ótima intervenção.