Figueirense vence CRB com facilidade e respira na luta contra rebaixamento

Figueira aproveita falhas defensivas do adversário para construir vitória importante dentro de casa; Galo segue em queda livre e próximo da degola

Figueirense vence CRB com facilidade e respira na luta contra rebaixamento
Foto: Divulgação|Figueirense FC
Figueirense
3 1
CRB
Figueirense: Saulo; Dudu (Abuda, min. 77), Naylhor, Leandro Almeida e João Lucas; Dudu Vieira, Zé Antônio, Jorge Henrique, João Paulo e Renan Mota (Marco Antônio, min. 75); André Luís (Henan, min. 67). Técnico: Milton Cruz.
CRB: Edson Kölln; Edson Ratinho, Flávio Boaventura, Adalberto e Pedro Botelho; Rodrigo Souza, Olívio, Danilo Pires, Tony (Tinga, min. 60) e João Paulo Penha (Chico, min. 60); Neto Baiano (Zé Carlos, min. 68). Técnico: Mazola Júnior.
Placar: 1-0, João Paulo, min. 46. 2-0, Jorge Henrique, min. 48. 3-0, Naylhor, min. 70. 3-1, Adalberto, min. 73.
ÁRBITRO: Raphael Claus (Fifa/SP), auxiliado por Alberto Poletto Masseira (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (Fifa/SP) | Cartões amarelos: João Paulo Penha (CRB, min. 40), Edson Ratinho (CRB, min. 62), Olívio (CRB, min. 68)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2017, disputada na noite desta sexta-feira (27), no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis/SC

Uma vitória bastante importante na noite desta sexta-feira (27), em continuação da 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2017. Em jogo realizado no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis/SC, o Figueirense bateu o CRB por 3 a 1. João Paulo (pênalti), Jorge Henrique e Naylhor marcaram os gols da equipe catarinense, enquanto Adalberto descontou para os alagoanos.

Com o resultado, o Figueira ultrapassou o adversário na tabela de classificação, soma 39 pontos e subiu para o 12º lugar. Além disso, o time alvinegro não tem o risco de entrar na zona de rebaixamento com os outros resultados da rodada. O Galo também não entra na degola, mas estaciona nos 38 pontos e cai para o 16º lugar, com a possibilidade do Luverdense, primeiro time no Z-4, empatar em pontos e ficar à frente dos mato-grossenses apenas nos critérios de desempate.

A próxima rodada será disputada no decorrer da semana que vem. O CRB tem outro páreo complicado e enfrenta o Internacional, no jogo que pode valer o retorno dos Colorados à elite do futebol brasileiro, às 19h15 da sexta-feira (3) no Beira-Rio, em Porto Alegre/RS. Por sua vez, o Figueirense recebe o Brasil de Pelotas às 16h30 do sábado (4), em mais um jogo no Orlando Scarpelli. Os jogos estão de acordo com o horário brasileiro de verão.

Foto: Divulgação|Figueirense FC
Foto: Divulgação|Figueirense FC

Figueira abre vantagem de pênalti

O jogo começou muito fechado. As equipes buscavam o ataque, mas esbarravam na marcação e com isso, os ataques eram mais difíceis de acontecer; a bola rolava pouco. As tentativas eram nos lances de bola parada. O Figueirense tentou chegar por meio do jogo aéreo, mas o goleiro Edson Kölln afastou quando acionado. Apesar de ter bem menos posse de bola, o CRB levou mais perigo na primeira parte em duas jogadas consecutivas. Na primeira, Neto Baiano chutou de longe em cobrança de falta e a bola desviou na defesa. Em seguida, Dudu cortou mal cruzamento e João Paulo Penha ficou com a sobra, mas mandou longe da meta.

A resposta veio na jogada seguinte quando Jorge Henrique foi acionado em cruzamento, mas não alcançou. O Regatas voltou a ameaçar quando Danilo Pires fez lançamento rasteiro para Neto Baiano, mas o centroavante não chegou a tempo de emendar de primeira. Os donos da casa tiveram três chances seguidas em dez minutos para abrir o placar. Renan Mota arriscou de longe com o pé esquerdo e Edson Kölln defendeu. Na cobrança de escanteio, Zé Antônio subiu sozinho e o goleiro alvirrubro mais uma vez interveio. No rebote, sozinho na linha da pequena área e com o gol aberto, o zagueiro Leandro Almeida isolou a chance mais clara da partida até então. Depois, João Paulo carregou para o meio e bateu rasteiro, com muito perigo.

Após tanta insistência na metade final da primeira etapa, o Figueirense conseguiu abrir o placar. Aos 43 minutos, o atacante André Luís caiu na área e a arbitragem assinalou penalidade máxima. Depois de muita reclamação, João Paulo bateu no canto esquerdo. Edson Kölln foi no mesmo lado, mas não impediu o gol catarinense.

Foto: Divulgação|Figueirense FC
Foto: Divulgação|Figueirense FC

Edson Kölln falha e Figueirense garante vitória

O CRB tinha a estratégia de reparar os danos da desvantagem adquirida. Ainda que não realizasse nenhuma modificação, os alagoanos tinham o objetivo de avançar, mas os planos não deram certo e ficaram ainda mais complicados. Logo aos três minutos, Renan Mota levantou bola na área, o goleiro Edson Kölln falhou e Jorge Henrique apenas escorou de cabeça para marcar o segundo gol do Figueirense no confronto.

O técnico Mazola Júnior promoveu alterações para deixar o time alagoano mais ofensivo. Embora estivesse em total desvantagem, o Figueira cadenciou o resultado e tentou segurar a vantagem, com o objetivo de incomodar apenas nos contragolpes. Os regatianos cresceram no jogo e levaram perigo. Em cruzamento na área, Neto Baiano desviou para o meio da área, mas a jogada não teve sequência. Depois, Tinga tentou decidir sozinho e arriscou de longe. Assustou, mas não diminuiu o placar.

Pelo contrário, mais uma vez a estratégia foi atrapalhada por um gol catarinense aos 25 minutos. Em cobrança de falta, João Paulo levantou na área, a defesa do CRB desistiu do lance e Naylhor aproveitou saída tardia do arqueiro alvirrubro para desviar de cabeça e aumentar a vantagem. Três minutos depois, o Galo conseguiu diminuir. Saulo saiu mal do gol e Leandro Almeida chutou em cima de Adalberto. A bola bateu no zagueiro e entrou.

Na parte final, o confronto ficou mais aberto. Os visitantes ainda acreditavam em balançar as redes mais vezes e buscar um resultado heroico enquanto os donos da casa sustentavam o plano de transformar a vitória em goleada a partir dos contra-ataques. Os alagoanos quase chegaram ao segundo gol quando Chico arriscou de longe e a bola passou perto do travessão. Depois, Tinga avançou em velocidade no lado direito de ataque e cruzou forte. Zé Carlos foi acionado, mas não conseguiu completar para o gol. As oportunidades eram desperdiçadas, o tempo passava e o Figueirense segurou a vitória importante para a reta final da competição nacional.