Milton Cruz valoriza ponto conquistado contra Chapecoense: "Importante é chegar no final líder"

Treinador do Figueirense afirma que equipe precisa melhorar, mas comemora ponto conquistado após empate com Chapecoense

Milton Cruz valoriza ponto conquistado contra Chapecoense: "Importante é chegar no final líder"
Milton Cruz comemora ponto conquistado em casa contra Chapecoense. (Foto: Divulgação/Figueirense F.C)

O Figueirense ficou no empate sem gols na partida decisiva contra a Chapecoense, no estádio Orlando Scarpelli, nessa quarta-feira (14). Mesmo sem o resultado positivo, o treinador Milton Cruz valorizou o ponto conquistado em casa contra um "adversário difícil" e pondera que o importante é terminar na liderança no final.

"Tem muita coisa para melhorar, começamos trabalho dia 17, hoje é dia 14, não tem nem um mês e já fizemos nove jogos, muita coisa para trabalhar e mudanças. Mas o resultado é um pontinho, estamos na liderança, importante é chegar no final líder. Hoje jogamos contra um time preparado desde ano passado, jogou Brasileiro, Libertadores, nós estamos começando agora, então temos que valorizar o ponto contra uma equipe difícil. Denis não fez nenhuma defesa, o goleiro deles também não. Jogo ficou no meio de campo. Bola aérea, faltas, cruzamentos na área e nosso time se portou bem.", disse Milton.

O treinador também agradeceu o apoio da torcida do Figueirense no Orlando Scarpelli nessa quarta-feira de cinzas: "Quero parabenizar a torcida. Quase set mil em uma 4ª de cinzas. Fazia tempo que a torcida não vinha apoiar como hoje. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas pegamos um grande adversário e esperamos continuar pontuando daqui em diante", completou.

Milton Cruz também falou sobre a atuação do time na partida. Ele admitiu que sua equipe criou pouco e afirma que isso ocorreu por conta dos desfalques para o jogo de hoje, mas em sua opinião, a equipe do Figueirense foi melhor em campo do que a Chapecoense.

"Emoção quem tinha que criar eram eles. Estão há mais e ano jogando juntos, jogando Libertadores e a gente sem jogadores de criação: Jorge Henrique, Felipe Amorim e Renan Mota, jogadores que quebram linhas, não jogaram. Hoje senti falta desses jogadores de ligação, mas acredito que o time se portou bem. Não demos chance para eles criarem, fazerem gols. Eles são experientes, rodavam a bola. Legal o treinador adversário elogiar o trabalho, a equipe. Também ver a torcida comparecer assim", afirmou.