Zé Ricardo projeta duelo ante Grêmio e lamenta confusão em São Januário

O técnico do Flamengo não concedeu a coletiva como de costume pois a sala de imprensa não foi liberada; Geuvânio se destaca em jogo-treino contra o Barra Mansa

Zé Ricardo projeta duelo ante Grêmio e lamenta confusão em São Januário
(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Flamengo venceu o Vasco no último sábado (8), por 1 a 0, e ao fim do jogo os torcedores do cruzmaltino se envolveram em brigas com policiais, onde arremessaram objetos no campo e impediram os jogadores do Flamengo de deixarem os gramados. 

Após um dia de folga neste domingo, nesta segunda-feira (10) o treino foi intenso, onde fizeram um jogo enfrentando o Barra Mansa e venceram por 7 a 1, com gols de Willian Arão, Mancuello, Berrío, Leandro Damião, Vinicius Júnior, Felipe Vizeu e contra do zagueiro adversário. O treino aconteceu no campo 5 do Ninho do Urubu e dividiu-se em três tempos de 30 minutos. Na parte final, os meninos do sub-20 jogaram. 

Ainda sem estrear, Geuvânio é destaque do jogo treino

Com problemas pela falta das documentações de seu ex-clube da China, o jogador vem sendo prejudicando e adia cada vez mais sua estreia, mas mesmo assim o meia vem treinando e aprimorando suas habilidades com a equipe. O entrosamento está sendo um ponto chave e o jogador conseguiu se enturmar bem com a equipe.

No jogo treino, Geuvânio foi um grande destaque jogando pela esquerda, onde Everton costuma jogar. O jogador mostrou muita velocidade e eficiência, dando assistência e criando jogadas. 

Zé Ricardo lamenta o ocorrido em São Januário

O técnico acredita que mudanças precisam ser tomadas e atitudes também, já que havia crianças no local passando por sufoco: "Ainda bem que não aconteceu nada de mais grave. Demorei mais de 2h para sair de São Januário, mas acho que dentro de tudo, as proporções poderiam ter sido piores. O que a gente quer é que a torcida possa ir ao estádio, pois é triste ver mulheres e crianças tendo que correr. Apesar de torcer para que isso mude, se não houver iniciativas duras, ativas, daqui a pouco a gente vai ver acontecer de novo em outro estádio. Tivemos agonia de não poder estar próximo de quem a gente quer. Todo jogo temos parentes, e nesse sabíamos que era arriscado. Pedi para que ninguém da minha família fosse, pois estava um clima diferente das partidas normais. Mas muitos parentes de jogadores foram, e não digo só do Flamengo. Estava próximo ao vestiário do Vasco, e eles também estavam prejudicados."

Zé Ricardo acredita que o Vasco tem o direito de jogar em São Januário mas acredita que a melhor opção para os clássicos é o Maracanã. O técnico comentou sobre a falta de união entre os clubes, principalmente por conta de não terem liberado a sala de imprensa para a coletiva.

"Uma solução para a violência no futebol requer um esforço de todas as partes, e cada clube têm sua responsabilidade. O que soubemos antes do jogo é que a coletiva seria dentro de campo. A sala não estava liberada e eu não sei o motivo. Por causa dos acontecimentos, não tinha possibilidade, e a do Milton também foi cancelada. Então todos saem perdendo. O jogo ficou em segundo plano. Uma boa partida nossa, sacrificante. Tínhamos muitos atletas que jogaram na quarta-feira, sabíamos que ia ser um final de jogo complicado. Nossos jogadores fizeram o gol e conseguiram segurar o resultado. Pode não ter sido uma vitória tecnicamente brilhante, mas em termos de confiança foi muito importante."

Confira outros trechos da coletiva do Zé Ricardo:

- Conca:

"Jogador gosta de jogar. Ter um adversário é uma estratégia. O desenvolvimento do Conca continua como todos os atletas. Temos limitações burocráticas no Brasileirão (cinco estrangeiros relacionados por jogo). Mas fazemos igual com todo mundo que é uma disputa sadia pela vaga. Avaliamos de acordo com o que vimos nos treinamentos. Vai depender exclusivamente dele para voltar a jogar."

- Everton Ribeiro e Éverton:

"Não tem uma forma específica de jogar em relação aos homens abertos. Já jogamos com homens de característica de meia, pés invertidos, pés certos. Depende o que quer trabalhar. Tentamos potencializar nossa equipe. Everton Ribeiro se entrosou muito rápido. Éverton se doa bastante, volta pra marcar, está sempre presente para finalizar as jogadas. Vai depender da estratégia da equipe para cada jogo. Na quinta-feira, esperamos poder contar com todos eles."

- Liderança do Corinthians:

"O Carille conseguiu montar a equipe de forma equilibrada, muito difícil de ser batida. Quando está à frente, se fecha muito bem. Um clube que tem sua forma de jogar há pelo menos quatro ou cinco anos, com Mano, Tite e Carille e está fortalecido com o trabalho do mesmo. Sem dúvida que a porcentagem de aproveitamento que é merecida a campanha. Mas não podemos pensar no Corinthians. Pensamos jogo a jogo. O Grêmio vem fazendo um futebol vistoso, ofensiva, leve. Está bem na Libertadores. Precisamos nos preparar bem porque teremos muita dificuldade na Ilha, mas com o apoio da nossa torcida esperamos sair felizes no final", avaliou.