Nomes de peso, artilheiros e decisão: diferenças e semelhanças entre Flamengo de 2013 e 2017

Rubro-negro participa da sua segunda final da Copa do Brasil em quatro anos, e a VAVEL Brasil mostra as principais semelhanças e diferenças entre os times de 2013 e 2017

Nomes de peso, artilheiros e decisão: diferenças e semelhanças entre Flamengo de 2013 e 2017
Arte: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

Nesta quinta feira (7), o Flamengo encara o Cruzeiro pela da final da Copa do Brasil, no Maracanã. Essa é a segunda final em quatro anos que o Rubro-Negro participa. Desde o jogo contra o Atlético-PR em 2013 até a final deste ano contra o Cruzeiro, o clube carioca se modificou bastante, elevando seu patrimônio e qualificando seu elenco.

Flamengo e Cruzeiro entram em campo a partir das 21h45, iniciando a busca pelo título da Copa do Brasil; o decisivo jogo de volta acontece daqui a três semanas, no dia 27 no Mineirão.

Com elencos diferentes, atual Flamengo tem grandes estrelas

Time baseado no último jogo da semifinal da Copa do Brasil; mudanças podem acontecer (Arte: Hugo Alves/VAVEL)

O Flamengo se modificou tanto em quatro anos que nenhum jogador da final de 2013 está no provável time rubro-negro, escalado para enfrentar o Cruzeiro.

A única ressalva é a do meia Gabriel, camisa 10 em 2013, que permanece no elenco atual porém sem grandes chances (com Rueda o meia só atuou uma vez, na derrota para o Paraná pela Primeira Liga e foi escalado como lateral direito).

Com elenco visivelmente superior ao de 2013, o Flamengo deste ano conta com ótimas peças mas que não podem jogar a Copa do Brasil por conta do regulamento que não permite a inscrição de jogadores contratados após o término do prazo (casos de Diego Alves, Éverton RibeiroGeuvânio e outros), o que limita em parte a qualidade atual do plantel rubro-negro na competição.

Mudam os jogadores mas não as funções

Se em 2013 os principais destaques eram Elias, Paulinho e Hernane, em 2017 as funções dos jogadores de destaque se mantém com algumas melhorias. Diego, Éverton e Guerrero possuem características de jogo semelhantes ao trio de 2013 porém com maior qualidade técnica e poder de decisão.

Hernane e Elias eram dois destaques do Rubro-Negro em 2013. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
Hernane e Elias eram dois destaques do Rubro-Negro em 2013. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Diego se assemelha a Elias nos quesitos passe e liderança, mas finaliza melhor, além de ser o cobrador de faltas do Rubro-Negro; Éverton possui as mesmas características de lado de campo que Paulinho, porém ajuda mais em momentos defensivos, cobra escanteios e possui uma regularidade enorme; por fim, sem tanta estrela quanto Hernane mas com outros atributos, Paolo Guerrero trabalha muito bem de pivô, possui uma vasta experiência e qualidade técnica superior, além de aparecer muito bem nos lances aéreos.

Vale lembrar que o atacante Guerrero está suspenso do primeiro jogo da final e só pode jogar o segundo. Felipe Vizeu, substituto direto do peruano, também pode ser cortado do primeiro jogo por conta de um pisão em falso no último jogo contra o Paraná, Paquetá é uma opção.

Jayme e Rueda: qualquer semelhança é mera coincidência

Rueda e Jayme observam treino; Jayme foi campeão em 2013 e hoje é auxiliar (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Outro ponto relevante entre as duas últimas disputas de final da Copa do Brasil é a questão dos técnicos no Flamengo. Em 2013, o técnico que levou o clube ao título foi o auxiliar Jayme de Almeida, que substituiu Mano Menezes, curiosamente atual técnico do Cruzeiro, após toda a polêmica envolvendo o treinador, que declarou que sairia do Rubro-Negro porque "não conseguia passar para o grupo aquilo que pensava sobre futebol".

De forma diferente, mas nem tanto, Reinaldo Rueda chegou ao Flamengo recentemente, substituindo Zé Ricardo. O colombiano chegou após sucessivas atuações ruins dos comandados de Zé Ricardo e sob a sua batuta ainda não soube o que é a derrota (perdeu apenas para o Paraná na Primeira Liga, porém a derrota veio através dos pênaltis).

Momentos parecidos: atual Flamengo busca afirmação como em 2013

Se em 2013 a afirmação era pautada na gestão fora de campo, com o pagamentos de dívidas e qualificação futura do elenco, em 2017 o plano de afirmação é outro. Com o sucesso do planejamento de 2013, o Rubro-Negro conseguiu diminuir sua dívida e elevou o patamar de seu elenco em níveis inimagináveis há alguns anos atrás.

Entretanto mesmo com Diego Alves, Rhodolfo, Rômulo, Diego, Conca, Éverton Ribeiro, Geuvânio e Guerrero o time não engrenou até o momento e a torcida deposita em Rueda, técnico recém chegado, a confiança de tirar o qualificado elenco rubro-negro do papel e extrair o melhor de cada jogador.

Dito tudo isso, só cabe esperar o grande confronto entre Flamengo e Cruzeiro pela final da Copa do Brasil de 2017. O jogo acontece na quinta feira (7) às 21h45 no Maracanã e você pode acompanhar tudo pela VAVEL Brasil em tempo real.