Éverton Ribeiro e Diego avaliam tempo de parceria após chegada de Rueda: "Podemos jogar juntos"

Principal contratação na atual temporada, camisa 7 virou reserva desde chegada de treinador colombiano e entrou depois dos 40' no empate com a Chape; Diego tem mais uma atuação abaixo do esperado

Éverton Ribeiro e Diego avaliam tempo de parceria após chegada de Rueda: "Podemos jogar juntos"
Éverton Ribeiro entrou aos 42' do segundo tempo, errou um passe e tomou cartão amarelo | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

A cada partida que passa sob o comando de Reinaldo Rueda no Flamengo, fica clara a ideia do treinador colombiano que Diego Éverton Ribeiro disputam a mesma posição no time titular. Recentemente, o camisa 7 tem levado a pior na "briga" e ficado no banco de reservas; a última vez ocorreu nesta quarta-feira (13), no empate em 0 a 0  pelas oitavas da Copa Sul-Americana.

Rueda não revela publicamente que ambos brigam pela mesma posição, mas as escolhas recentes dão a entender que Berrío é o dono da ponta direita - local que Éverton Ribeiro atuava com Zé Ricardo.

No entanto, tanto o camisa 7 quanto o camisa 10 rechaçam qualquer problema, e julgam que podem atuar juntos. ""Sim (podemos jogar juntos). Depende muito do que o professor pedir, vai querer para o jogo, das circunstâncias. Mas depende dele. Estamos aí para ajudar. Juntos ou não, queremos o melhor para o Flamengo sempre", disse Éverton Ribeiro

Nesta quarta, a principal contratação da atual temporada jogou pouco mais de cinco minutos, entrando depois dos 40' da etapa complementar, justamente no lugar de Diego.

"Tentei dar o meu melhor pra ajudar a equipe, quem entra tem que tentar mudar o jogo. Infelizmente não conseguimos, foi um resultado que poderia ser melhor, mas agora é pensar no próximo jogo porque a gente tem tudo pra se classificar", comentou o camisa 7.

Segundo o jogador, a opção de Rueda por colocá-lo no banco diante da Chape foi para dar ritmo e mais entrosamento para o time que será titular na final da Copa do Brasil - ele não está inscrito.

"Lógico (que quero jogar), mas tem a situação da Copa do Brasil. Vou sempre estar à disposição, me dedicar" , complementou; o jogo de volta da decisão da competição acontece daqui a duas semanas, dia 27, diante do Cruzeiro no Mineirão.

Para Rueda, Berrío é o titular na ponta direita; Diego e Éverton Ribeiro lutam pela função do "camisa 10" | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo
Para Rueda, Berrío é o titular na ponta direita; Diego e Éverton Ribeiro lutam pela função do "camisa 10" | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

"Nunca ouvi que não podemos jogar juntos", diz Diego

Mais uma vez, Diego ficou devendo. Sem conseguir suas boas atuações que o elevaram a status de ídolo para alguns torcedores rubro-negros, o camisa 10 tem sofrido nas tomadas de decisões, tendo uma queda de rendimento no produto final - seja finalização ou último passe.

Diego foi substituído nesta quarta e comentou sobre a questão envolvendo Éverton Ribeiro e valorizou as oportunidades de gol perdidas por seus companheiros.

"Nunca ouvi de nenhum jogador que eu e o Éverton não podemos jogar juntos. Foi um jogo muito disputado, até com faltas violentas. A Chape teve chances, mas nós também, com Réver, Juan de cabeça", destacou.

De volta ao Rio ainda na noite desta quarta, o Fla retorna aos treinamentos na tarde de sexta-feira (15), virando a chave novamente para o Campeonato Brasileiro. Havia treino agendado para a tarde desta quinta-feira (14), mas os jogadores receberam folga.

O rubro-negro carioca recebe o Sport na Ilha do Urubu às 16h do próximo domingo (17), tentando se recuperar da derrota no clássico para o Botafogo na rodada anterior.

Diego teve atuação abaixo do que é capaz e prejudicou desempenho do setor central rubro-negro | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo
Diego teve atuação abaixo do que é capaz e prejudicou desempenho do setor central rubro-negro | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo