Guerrero reforça confiança após julgamento de quatro horas na Suíça: "Sou inocente"

Camisa 9 do Flamengo e do Peru foi a Zurique apresentar sua defesa diante do tribunal da Fifa; resultado só deve sair na próxima segunda (4), após fim da suspensão preventiva do atacante

Guerrero reforça confiança após julgamento de quatro horas na Suíça: "Sou inocente"
(Foto: Daniel Apuy via Getty Images)

Após um longo julgamento de 4 horas nesta quinta-feira (30), Guerrero está mais confiante do que nunca. O camisa 9 foi a Zurique, na Suíça, apresentar sua defesa para resultado adverso no antidoping diante da Fifa. Ao deixar o tribunal, o peruano reafirmou sua inocência para as câmeras de imprensa.

"Estou tranquilo, porque sou inocente. Vim até a Suíça para demonstrar essa inocência. Graças a Deus consegui todas as provas que são fundamentais. Com certeza (estou seguro da absolvição). (...) Foi um julgamento de quatro horas. Durou muito tempo, mas graças a Deus provamos tudo. A Fifa descartou o uso de cocaína. Isso não conta mais. Agora só falta a decisão da Fifa", afirmou.

Durante o julgamento, Guerrero prestou depoimento ao júri, além de outras testemunhas convocadas por sua equipe de defesa. Segundo o atacante, algumas das estratégias utilizadas por seus advogados foram um exame de cabelo e o baixo nível de concentração da benzoilecgonina presente em sua urina.

Em meio a polêmica com Guerrero, entenda como funciona o passo a passo de exames antidoping

(Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images)
(Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images)

A decisão judicial deve ser divulgada apenas na próxima segunda (4), após o fim da suspensão preventiva de 30 dias de Guerrero. Muito emocionado, o camisa 9 ainda mencionou o período afastado dos gramados e seu desejo de disputar a Copa do Mundo com a seleção do Peru

"Estou resolvendo essa questão da minha carreira antes de pensar em ir à Copa. Quero resolver, porque minha vida é jogar futebol. Nesses 30 dias me cortaram as pernas, porque não pude jogar. Primeiro é resolver isso, e depois veremos", completou Guerrero.

Relembre o caso 

No dia 3 de novembro, Guerrero tomou conta das notícias por um resultado analítico adverso no antidoping. Posteriormente, foi comprovado que a substância em questão era a benzoilecgonina, um metabólito da cocaína.

A Fifa manteve a suspensão preventiva do camisa 9 (30 dias longe dos gramados) após a abertura da contraprova do atacante, que atestou novamente a presença da substância ilícita. Com o fim do julgamento, o peruano aguarda o parecer da entidade sobre sua inocência (ou não); a pena máxima para o uso de estimulantes é de quatro anos.