Fator Rueda: comandante do Flamengo esteve em três das últimas quatro finais da América

Campeão da Libertadores em 2016 pelo Atlético Nacional, Rueda esteve na final da Sul-Americana cancelada pelo acidente da Chape e comandará o Flamengo na decisão desta temporada

Fator Rueda: comandante do Flamengo esteve em três das últimas quatro finais da América
(Foto: Hugo Alves/Editoria de Arte VAVEL Brasil)

Flamengo e Independiente (ARG) fazem o primeiro jogo da final da Sul-Americana nesta quarta-feira (6). Além da chance rubro-negra de alcançar uma glória continental, um fato é curioso: o técnico Reinaldo Rueda chega à sua terceira final continentais em dois anos.

O colombiano esteve presente em três das últimas quatro decisões na América: participou da final da Libertadores e da Sul-Americana de 2016 (que acabou não sendo jogada pelo acidente com a Chapecoense), e agora carimba presença na final da Sula em 2017 com o Flamengo. Rueda só não foi à final da Libertadores deste ano, vencida pelo Grêmio sobre o Lanús.

Pensando nisso, nós da VAVEL Brasil preparamos um especial contando a trajetória do comandante do Rubro-Negro nas últimas quatro competições continentais: desde a Libertadores de 2016 até a final da Sul-Americana de 2017. Além disso, falaremos um pouco sobre a carreira do treinador colombiano.

Campeão em 2016, Atlético Nacional encanta a América com seu futebol

Rueda ganhou destaque após o título da Libertadores (Foto: LatinContent WO/Gabriel Aponte/Getty Images)

Em 2016, quando a Libertadores começou, o então pouco conhecido Atlético Nacional surpreendeu a todos. Com um futebol moderno, de marcação alta, toques rápidos entre as triangulações e taticamente aplicado, o time comandado por Reinaldo Rueda concluiu a fase de grupos com 16 pontos - foram cinco vitórias e um empate.

Para chegar ao tão sonhado título, o time de Rueda teve que passar por Huracán, Rosário Central, São Paulo e Independiente Del Valle, (este último na final). No elenco, havia nomes que hoje são conhecidos dos torcedores brasileiros: Berrío está no Flamengo junto do treinador, enquanto Borja e Guerra estão no Palmeiras.

Tragédia e homenagem: a final de Sul-Americana que nunca aconteceu

Na edição de 2016 da Copa Sul-Americana, Rueda comandava o mesmo Atlético Nacional - campeão da Libertadores e vice-campeão do campeonato colombiano. Com Guerra, Berrío e Borja, Rueda se classificou para a final invicto, com campanha semelhante à do Flamengo nesta edição.

Rueda participou de uma das diversas homenagens à Chapecoense (Foto: AFP/Raul Arboleda/Getty Images)

A final da Sul-Americana de 2016 tinha tudo para abrigar um grande jogo de futebol. De um lado, o invicto Atlético Nacional comandado por Rueda e do outro estava o 'azarão' brasileiro: a Chapecoense.
Entretanto, a partida foi cancelada devido ao acidente envolvendo o avião do clube catarinense. No fim, o Atlético Nacional abdicou do título e pediu que ele fosse entregue à equipe catarinense.

De campeão a eliminado na fase de grupos: a Libertadores de 2017 para Rueda

Rueda após perder para o Botafogo, confirmando a quarta colocação (Foto: AFP/Yasuyoshi Chiba/Getty Images)

Libertadores deste ano já tinha começado, e uma das poucas certezas que se tinha era que o Atlético Nacional tinha deixado uma belíssima impressão para a América. Entretanto, o clube colombiano sucumbiu à força do embalado Botafogo, ao modesto Barcelona de Guayaquil e ficou em quarto, atrás do argentino Estudiantes.

Após ser eliminado da Libertadores e campeão do Torneio Apertura
do Campeonato ColombianoRueda se afastou do clube alviverde para estudar na Alemanha e cuidar de sua saúde - o treinador tem um sério problema de quadril, o que o obrigou a passar por intervenções cirúrgicas e por vezes interfere em sua presença na beira do gramado.

Invicto, Rueda comanda Flamengo na final da Sul-Americana

O Flamengo de Rueda chega à final da Sul-Americana invicto e com o melhor retrospecto da competição. O Rubro-Negro tem oito jogos no torneio - são seis vitórias dois empates, com 22 gols marcados. Apesar dos números positivos, a trajetória do time da Gávea na competição não foi tão fácil quanto aparenta.

Rueda acertou na escalação de César e na estratégia adotada para a partida (Foto: AFP/Luis Acosta/Getty Images)

Com todos os requisitos de um roteiro de filme, o Flamengo venceu o Junior Barranquilla por 2 a 0 na Colômbia em jogo difícil para o Rubro-Negro. Em campo, brilhou a estrela de César e de Rueda, que deu voto de confiança a um goleiro que não disputava uma partida oficial há dois anos. Menção honrosa a Felipe Vizeu, que marcou os dois gols da vitória carioca.

Seleções, Copa do Mundo e indicação a prêmio da Fifa marcam carreira de Rueda

Na Copa de 2014, o Equador de Rueda caiu ainda na fase de grupos (Foto: Matthew Lewis/Getty Images Sports)

Não é só de Flamengo e Atlético Nacional que Reinaldo Rueda vive. O treinador já esteve no comando das seleções da ColômbiaHonduras
Equador. Por Honduras, Rueda assumiu em 2006 e classificou a seleção para a Copa após 28 anos. Já com o Equador, o técnico 
participou da Copa do Mundo de 2014.

Pelos clubes, além de Flamengo e Atlético Nacional, o treinador 
comandou as equipes do CortuluáDeportivo Cali  e Independiente
Medellín
. Porém, foi pelo Atlético Nacional que Rueda esteve perto de conquistar um prêmio individual: o colombiano foi indicado pela Fifa
ao prêmio de melhor técnico do ano em 2016.