Novo treinador do Chile, Reinaldo Rueda foi décimo estrangeiro a comandar o Flamengo

Rueda foi o primeiro colombiano a comandar a equipe da Gávea; lista de treinadores "gringos" no Flamengo inclui sete nacionalidades distintas

Novo treinador do Chile, Reinaldo Rueda foi décimo estrangeiro a comandar o Flamengo
(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Atualmente, muito se discute sobre a "importação" de estrangeiros para cargos de treinador em clubes no Brasil. Reinaldo Rueda, agora ex-comandante do Flamengo, ajudou a reacender a discussão - mas engana-se quem pensa que o colombiano foi o primeiro gringo a estar à frente da equipe da Gávea.

Rueda foi o décimo técnico estrangeiro - e o primeiro colombiano - a treinar o Rubro-Negro. Ao longo da história, outros nove treinadores de seis nacionalidades diferentes ocuparam o comando do time profissional do Flamengo. 

Estrangeiros que já estiveram no comando do Flamengo:

- Armando "Renga" Renganeschi (Argentina): Nascido em Buenos Aires, o ex-zagueiro e treinador comandou o Flamengo entre os anos de 1965 e 1967. Renga fez sua estreia como comandante em um clássico diante do rival Botafogo, no dia 22 de agosto de 1965 - a partida, que era válida pela Taça Guanabara, terminou com derrota rubro-negra por 1 a 0.

Em dois anos na equipe da Gávea, o argentino disputou 125 partidas: foram 55 vitórias, 32 empates e 38 derrotas. Armando Renganeschi levantou o caneco do Campeonato Carioca em 1965, além de ter sido vice-campeão estadual no ano de 1966.

- Charles Williams (Inglaterra): Pioneiro, o treinador inglês tornou-se o primeiro técnico profissional do futebol brasileiro ao dirigir o rival Fluminense em 1911/1912 - marcando presença, inclusive, no primeiro Fla-Flu da história. No Rubro-Negro, Williams assumiu o comando em 1929, acumulando 45 partidas e 16 vitórias. 

- Izidor "Dori" Kürschner (Hungria): Comandou o Flamengo em 71 jogos entre 1937 e 1938. Não conquistou grandes títulos - apenas a Taça da Paz em 1937 - , mas entrou para a história como um inovador. O húngaro, que também treinou o rival Botafogo, revolucionou o futebol brasileiro ao implementar o sistema tático "WM", uma espécie de 3-4-3. 

- Fleitas Solich (Paraguai): O "Feiticeiro" teve quatro passagens como treinador do Flamengo, todas entre 19531971 (53-57; 58-59; 60-62 e 71). Sua principal conquista no Rubro-Negro foi o segundo tricampeonato carioca da história do clube, nos anos de 1953/54/55. Além disso, o paraguai recebe o crédito por ter revelado jogadores como Dida, Zagallo, Evaristo, entre outros. Foram 526 partidas à frente da equipe da Gávea, com 306 vitórias.

Freitas Solich (Foto: Divulgação/Flamengo)
Fleitas Solich (Foto: Divulgação/Flamengo)

- Modesto Bria (Paraguai): Atleta do Flamengo na conquista do tri carioca em 1942/43/44, o paraguaio também ficou marcado por suas passagens no comando do clube. Responsável pela descoberta de Junior nas areias de Copacabana, Bria treinou o clube em 1959, 1967, 1971 e 1981. Em 1981, ano mais vitorioso do Rubro-Negro, o paraguaio foi técnico interino da Gávea e depois auxiliar de Paulo César Carpegiani. Ao todo, foram 84 duelos à frente do grupo rubro-negro.

- Ernesto Santos (Portugal): O português treinou o Flamengo no ano de 1947. Em sua passagem no comando do clube carioca, Ernesto Santos esteve à frente do Rubro-Negro em 48 jogo, com 27 vitórias. Não conquistou nenhum título.

- Cândido de Oliveira (Portugal): Uma das passagens gringas mais discretas. Um dos grandes nomes da história do futebol português, Cândido de Oliveira treinou o Flamengo no ano de 1950 em apenas 13 oportunidades. 

- Juan Carlos Bertoni (Uruguai): Levou o Flamengo à conquista do Campeonato Carioca em 1925 e 1927. Em 109 jogos à frente do Rubro-Negro, o treinador e ex-jogador da Seleção Uruguaia conquistou 63 triunfos. 

- Ramón Platero (Uruguai): Foi o primeiro técnico a comandar sozinho uma equipe do Flamengo. Apesar da enorme fama que rodeava sua chegada, Platero obteve resultados ruins no Rubro-Negro. A equipe da Gávea foi comandada pelo uruguaio em apenas nove jogos, todos no ano de 1921. Fez sucesso no rival Vasco, onde conquistou o Carioca de 1923; além disso, colecionou passagens por Fluminense e São Paulo.

- Reinaldo Rueda (Colômbia): Muito requisitado pela torcida após a demissão de Zé Ricardo, Reinaldo Rueda comandou o Flamengo durante os vices da Copa do Brasil e da Sul-Americana. Apresentado em agosto de 2017, o colombiano esteve à frente do Rubro-Negro em 13 vitórias, dez empates e oito derrotas. No Campeonato Brasileiro, a equipe da Gávea terminou sua campanha em 2017 na sexta posição, com 56 pontos.

Rueda se despediu do Flamengo nesta sexta (8) (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Rueda se despediu do Flamengo nesta sexta (8) (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)