Flamengo e Portuguesa duelam por vaga na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior

Disputa será nesta segunda (22), às 17h30, no Canindé; vencedor do confronto entre Portuguesa e Flamengo irá avançar à grande decisão do torneio sub-20

Flamengo e Portuguesa duelam por vaga na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior
(Foto: Staff Images/Flamengo)

Podendo chegar à primeira decisão de 2018, o Flamengo encara a Portuguesa (SP) pela semifinal da Copa São Paulo de Futebol Júnior nesta segunda-feira (22). O jogo acontecerá no Estádio do Canindé, casa da Lusa, às 17h30. Vale lembrar que quem avançar à decisão encara o vencedor do confronto entre Internacional e São Paulo.

Mandante da partida, a Portuguesa já possui dois títulos de Copa São Paulo e vai em busca do terceiro - mesmo número de títulos que o Flamengo possui. O Rubro-Negro levantou o troféu nos anos de 1990, 2011 e 2016; neste último, a equipe da Gávea desbancou o Corinthians, atual campeão do torneio sub-20.

Para chegar até a semifinal, o Flamengo se classificou em primeiro do grupo 21 e teve de superar por Ji-Paraná, Oeste e Aimoré. Nas fases de mata-mata venceu Elosport, Coritiba, Audax e Avaí. A Portuguesa, se classificou na liderança da chave 32, vencendo América-MG, Remo e Teixeira de Freitas. Nas disputas eliminatórias, superou São Paulo-AP, América-MG, Goiás e Palmeiras.

Mudança no planejamento e "novos" destaques: o Flamengo até aqui na Copinha

Com o destaque de alguns atletas na primeira fase da Copinha e o início do Campeonato Carioca, o elenco de Maurício Souza sofreu algumas alterações à pedido do treinador Paulo César Carpegiani, que comanda o grupo profissional. O técnico dos juniores perdeu alguns jogadores em definitivo, ao passo que outros foram "emprestados" ao elenco de cima.

Dentre os chamados para o time profissional está o destaque principal do elenco: Lucas Silva. O atacante, que é o artilheiro da equipe na Copinha, subiu de vez ao principal e estreou com gol contra o Volta Redonda no Campeonato Carioca. Lucas ainda iniciou como titular na partida do último domingo contra a Cabofriense, junto de outros jovens mais conhecidos do torcedor, como Vinícius Junior e Lincoln.

Do time que enfrentou o Volta Redonda pelo Carioca, apenas Jonas não foi formado no clube. (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Além da perda de Lucas Silva, o técnico Maurício Souza "divide" alguns atletas com o Carpegiani. Casos de Patrick, Matheus Dantas, RamonHugo Moura, Vitor Gabriel e Wendel, que jogaram contra o Volta Redonda na estreia do estadual. Bernardo, Theo Luiz Henrique também foram chamados, mas apenas completaram o banco.

Com a modificação do planejamento e as perdas, nomes antes tidos como reservas puderam mostrar seu valor, ganhando grande papel de destaque no atual time titular da Copinha. Vitor Gabriel, autor do gol da classificação contra o Avaí, será peça fundamental na semifinal e posteriormente em um possível final.

Baixo orçamento e time montado às pressas: como chega a Portuguesa

Apesar do time profissional viver péssimo momento, a Portuguesa, semifinalista com menor investimento entre as outras equipes, chegou até a semifinal com uma história curiosa: o time foi montado em sete meses e com um custo muito baixo (cerca de R$ 400 mil anuais), comparado aos outros três candidatos ao título.

O principal nome por trás dessa montagem do elenco hoje semifinalista é Márcio Zanardi, técnico da Lusa e ex-treinador da base do Corinthians. O comandante, com sete anos de experiência no Timão, levou toda sua comissão e viu um mercado a ser explorado para a captação de jogadores.

"Quando assumi em maio, trouxe minha comissão técnica inteira do Corinthians. Mudamos alguns conceitos de trabalho, pegamos os jogadores que os grandes mandavam embora e formamos essa base que já foi bem no Paulista Sub-20. Fomos eliminados pelo Corinthians, mas com dois empates. Eles só passaram porque tinham melhor campanha", explicou Zanardi.

Hoje a Lusa conta com um  quarteto de confiança do técnico Zanardi: Matheus Brunetti, Matheus Franca, Cesinha Tawhan, todos dispensados pelos rivais paulistas. Brunetti e Franca, que formam a dupla de zaga, vieram de São Paulo e Palmeiras, assim como o meia Tawhan. Já o lateral Cesinha veio do Corinthians.