É tetra! Com gol de Wendel no início, Flamengo bate São Paulo e conquista título invicto da Copinha

Em sua quarta final da história da Copinha, o Rubro-Negro conquistou o quarto título da Copa São Paulo de Futebol Júnior em um Pacaembu lotado, com gol de Wendel

É tetra! Com gol de Wendel no início, Flamengo bate São Paulo e conquista título invicto da Copinha
p(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)
São Paulo
0 1
Flamengo
São Paulo: Júnior; Tuta, Walce, Rodrigo e Bruno Dip (Gabriel Novaes); Luan, Liziero e Gabriel Sara (Fabinho); Igor, Toró (Oliveira) e Helinho (Antony). Técnico: André Jardine
Flamengo: Yago; Bernardo (Aderlan), Dantas, Patrick e Pablo (Michael); Hugo Moura, Theo e Pepê (Patrick Alviverde); Lucas Silva, Wendel (Luiz Henrique) e Bill (Yuri Gabriel). Técnico: Maurício Souza
Placar: Wendel (2'1ºT - 0 x 1)
ÁRBITRO: Lucas Canetto Bellotte

No dia do aniversário da cidade de São Paulo, a final da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2018 foi disputada por dois dos maiores campeões da competição. Nesta quinta (25), São Paulo Flamengo foram em busca do tetracampeonato no Pacaembu lotado, com mais de 33 mil torcedores. Com gol logo no primeiro lance de Wendel, o Rubro-Negro conquistou o título, em sua quarta final, ao vencer por 1 a 0. O Tricolor amargou o sétimo vice-campeonato. 

A campanha da equipe da Gávea foi marcada por superações - cinco atletas foram promovidos ao profissional e deixaram o sub-20 já com a Copinha em andamento. Mesmo assim, o Flamengo se superou e garantiu o tetracampeonato invicto: foram oito vitórias e apenas um empate na fase de grupos.

Gol no primeiro lance dá vantagem ao Rubro-Negro em grande primeiro tempo

A final da Copinha não podia ter começado melhor. No primeiro lance, aos dois minutos, o placar foi aberto. Pepê cobrou escanteio na cabeça de Wendel que tocou no canto de Júnior, Flamengo 1 a 0. O gol não afetou o Tricolor que partiu em busca do empate e quase conseguiu com Liziero, em cobrança de falta, e Toró, tocando na saída de Yago, acertando a trave. Wendel respondeu para a equipe carioca, mas chutou para fora, tudo isso em dez minutos.

Enquanto o São Paulo preferiu chegar tocando a bola, o Flamengo escolheu como tática, atacar com muita velocidade. E assim quase ampliou aos 19, quando Pepê lançou Bill e o atacante finalizou com perigo, por cima do gol. Aos 27, Gabriel Sara cruzou para Igor Gomes chutar e Hugo Moura salvou a pátria rubro-negra. A partir disso a partida ficou mais sob controle da equipe paulista, com o Tricolor passou a pressionar muito a saída de bola do Rubro-Negro, mas não conseguiu aproveitar para conseguir o empate.

Tricolor pressiona muito, Yago brilha e Flamengo conquista o tetracampeonato

A segunda etapa começou com o São Paulo em cima, buscando o empate. No primeiro minuto, em cobrança de falta, Rodrigo subiu mais alto e tocou para fora. Na tentativa de retardar o jogo e fazer o tempo passar, Pepê levou amarelo e irritou o técnico Mauricinho. Os primeiros 10 minutos do segundo tempo foram de total domínio do Tricolor, que encurralou o Flamengo, mas não conseguiu finalizar.

O primeiro bom ataque do Rubro-Negro veio aos 13, em um contra-ataque, onde Wendel quase achou Lucas Silva na pequena área, mas a defesa cortou. Um minuto depois, Toró entortou Bernardo, cruzou mas Dantas desviou e a bola ficou com Yago Darub. Buscando sair da pressão são-paulina, Mauricinho colocou Michael e Luiz Henrique em campo. A partida ficou mais disputada, e o árbitro Lucas Bellote passou a ser um dos personagens da partida, irritando os dois times.

Em busca do empate, Jardine viu um dos seus principais jogadores na partida, Helinho, sentir dores na perna e teve que fazer a mudança, colocando Antony. Aos 24, Yago ficou na indefinição se saia do gol ou não, e a bola sobrou para Toró que bateu com perigo, para fora. Três minutos depois, Liziero cruzou direto para o gol e o goleiro do Flamengo espalmou para escanteio.

Aos 29, Gabriel Novaes, livre e na pequena área, tocou de cabeça para uma grande defesa de Yago Darub. Aos 37, em uma das raras falhas da zaga rubro-negra, Gabriel Novaes apareceu nas costas de Matheus Dantas e tocou para fora. Um minuto depois, Antony cruzou e Gabriel Saras cabeceou por cima do gol. Desesperado em busca do empate, Jardine colocou suas últimas apostas e aos 42, Yago Darub salvou o Flamengo mais duas vezes, em chances de Fabinho e Rodrigo.

Aos 44, foi a vez de Antony parar na muralha rubro-negra. Por conta das mudanças e dos atendimentos médicos, o árbitro deu seis minutos de acréscimos, deixando as duas torcidas com o coração na boca. Aos 50, Gabriel Novaes desviou e a bola saiu pela linha de fundo, na última chance do empate. No fim, foi a torcida do Flamengo que soltou o grito de campeão no Pacaembu.