Guerrero ou Dourado: quem foi melhor em 2017?

Pequeno comparativo entre o novo reforço do Flamengo, e último artilheiro do Brasileirão, com o camisa 9 da temporada rubro-negra passada

Guerrero ou Dourado: quem foi melhor em 2017?
Foto: Gettyimages.com

Henrique Dourado foi anunciado nesta última quinta-feira (1) pelo Flamengo. A contratação gira em torno de R$11,5 milhões e o atacante chega para suprir a necessidade de um centroavante ao longo do ano, visto que Vizeu está acertado com a Udinese (Itália) e Guerrero fora do time até maio, por suspensão por doping.

O novo reforço recebeu um contrato de 4 anos com a equipe rubro-negra e parece ter sido escolhido como o Plano A para as competições enfrentadas durante o ano. Até o meio de 2018, o atacante irá concorrer à vaga com Felipe VizeuLincoln Vitor Gabriel. Depois disso, Vizeu se transferirá para o time italiano e ainda não se sabe qual futuro terá o peruano.

O Ceifador terá, então, pelo menos cinco meses para mostrar a todos que seu retrospecto na temporada passada não foi só fase e provar que pode substituir bem o centroavante Paolo Guerrero. Para isso, comparamos o desempenho dos jogadores na temporada de 2017 para assegurar que o novo camisa 19 pode ser a solução do ataque rubro-negro para esta e as próximas temporadas.

Guerrero e Dourado disputam bola na final do Carioca (Foto: Getty Images)

O que parecia um excelente ano, virou uma frustração

Sempre criticado pela sua baixa média de gols em sua carreira- 0,40 por jogo-, Guerrero vivia seu melhor ano pelo Flamengo e um dos melhores de sua trajetória. Começou sendo o artilheiro do Campeonato Carioca, conquistado pelo próprio rubro-negro contra o Fluminense, de Henrique Dourado. Na Copa do Brasil, o atacante ajudou o Flamengo durante a competição com apenas dois gols, mas foi considerado por muitos o melhor da equipe por conta de suas boas atuações e assistências importantes. Pela Libertadores da América, Paolo foi um dos poucos a sair em crédito com a torcida com a campanha vexatória flamenguista em virtude de suas aparências. Com 2 gols, o camisa 9 fez boas atuações nos jogos, mas não conseguiu fazer com que o time passasse da fase de grupos. Mesmo assim, suas boas participações continuavam a acontecer pelo clube, porém, no segundo semestre começou a desfalcar por muitos jogos a equipe, por conta dos jogos eliminatórios de sua seleção. Pelo Peru, o atacante virou mais ídolo do que nunca após levar a seleção para a Repescagem da Copa do Mundo ao fazer o gol de empate contra a Colômbia, dentro de casa. O jogo terminou 1 a 1 e as duas equipes se classificaram. Vinte e quatro dias após a histórica classificação, a pior notícia de sua carreira: havia sido pego no exame antidoping. Com 20 gols em 44 jogos, o ídolo peruano teve seu ano encerrado no dia 3 de novembro por conta de uma substância detectada em seu exame antidoping após defender a seleção de seu país contra a Argentina. Na ocasião, o teste deu positivo para a substância benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína. O peruano inicialmente foi suspenso por 1 ano pela FIFA, porém, teve a redução de 6 meses na pena e o jogador só poderá exercer novamente suas atividades a partir de Maio.  Com a punição, Guerrero ficou de fora dos Jogos de Repescagem da Copa do Mundo e dos jogos finais do Flamengo na temporada, entre eles, as finais da Sulamericana. Paolo ainda tenta a absolvição do caso na Corte Arbitral do Esporte(CAS).

Foto: Gettyimages.com

Do outro lado, melhor impossível

Henrique Dourado nunca teve um ano tão bom quanto o de 2017. O ‘Ceifador’ terminou o ano com 32 gols em 59 jogos, sendo o artilheiro do ano no Brasil. Mesmo com a marca, o antigo camisa 9 tricolor pouco conseguiu junto de sua equipe. Tendo seu atual time como carrasco durante todo o ano, Dourado foi vice-campeão do Campeonato Carioca e eliminado da Copa Sul-Americana pelo rubro-negro. Na Copa do Brasil, saiu da competição para o Grêmio nas oitavas-de-final, ou quinta fase. Mas foi no Campeonato Brasileiro onde Henrique Dourado mais teve destaque com a camisa do time das Laranjeiras. Artilheiro do campeonato, o atacante terminou a competição com 20 gols, ao lado de Fred. O Fluminense brigou contra o descenso na competição e, graças ao seu camisa 9, terminou na décima quarta posição.

Henrique Dourado contra o Flamengo na Sulamericana Foto:Gettyimages.com

Sendo assim, Dourado foi melhor individualmente e Guerrero, coletivamente. No bom time que faz parte, com diversas opções no elenco, Paolo poderia ter acabado 2017 ainda melhor se não tivesse sido flagrado no exame antidoping e ajudado o Flamengo na campanha da Sul-Americana, talvez acabando o ano com um título de expressão e ainda finalizando o grande ano ao levar o Peru à Copa. Já Dourado, em um time limitado, pouco pôde conquistar coletivamente. Mesmo assim, mostra que pode agregar em muito ao time rubro-negro na próxima temporada e tem a chance de firmar sua carreira em um alto nível, sem mais altos e baixos.