Fluminense bate Corinthians em Brasília e entra na briga por vaga no G-4

Com emoção até o fim, Tricolor volta a vencer após três empates seguidos, enquanto Timão perde no primeiro jogo sem Tite

Fluminense bate Corinthians em Brasília e entra na briga por vaga no G-4
Foto: Mailson Santana/Fluminense F.C.
Fluminense
1 0
Corinthians
Fluminense: Diego Cavalieri; Jonathan, Gum, Henrique e Wellington Silva; Edson, Douglas, Cícero e Gustavo Scarpa (Osvaldo); Marcos Junior (Maranhão) e Richarlison (Magno Alves) Técnico: Levir Culpi.
Corinthians: Walter (Cássio); Fagner, Balbuena, Yago e Uendel; Bruno Henrique, Elias (Rodriguinho), Marquinhos Gabriel, Guilherme (Camacho) e Giovanni Augusto; Luciano Técnico: Fábio Carille.
Placar: 1-0, Cícero, aos 17 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG).
INCIDENCIAS: Jogo válido pelka 8ª rodada do Campeonato Brasileiro, realizado no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).

Nesta quinta-feira (16), pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, o Fluminense derrotou o Corinthians pelo placar mínimo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O meia Cícero marcou o único gol do jogo. Com o resultado, o Tricolor chega aos mesmos 13 pontos do Timão e entra na briga por uma vaga no G-4. 

A vitória quebra a série de três empates consecutivos do Fluminense – contra Atlético-MG (1 a 1), Chapecoense (0 a 0) e Grêmio (1 a 1). O Corinthians conhece a sua segunda derrota seguida na primeira partida sem o técnico Tite, que assumiu o comando da Seleção Brasileira.

Na próxima rodada, o Fluminense enfrenta o Sport na Ilha do Retiro. O Corinthians, por sua vez, recebe o Botafogo na Arena. Ambos os jogos acontecerão no domingo (19), às 16h (de Brasília).

Primeiro tempo movimentado, mas sem gols

O jogo começou agitado no Mané Garrincha. Apesar de estar jogando longe dos seus domínios, o Corinthians foi quem teve a primeira chance de gol com Uendel. O lateral arriscou de longe e assustou o goleiro Diego Cavalieri. Logo em seguida, o Fluminense conseguiu responder. Cícero deu belo passe para Marcos Junior, Walter saiu para dividir e impediu o gol. No rebote, Richarlison também tentou, mas parou novamente no arqueiro corintiano.

Mais organizado em campo, o Corinthians conseguia envolver o Fluminense no toque de bola. Em uma boa troca de passes, o Timão quase abriu o placar. Aos 14, Guilherme tocou para Marquinhos Gabriel dentro da área. O meia recebeu, dominou e bateu à esquerda de Diego Cavalieri.

Mais leve, o time do Fluminense buscava se aproveitar nos contra-ataques, principalmente explorando as velocidades de Marcos Junior e Richarlison. Mais espaçado em campo, o Corinthians, por sua vez, dava liberdade. Aos 35, Gustavo Scarpa bateu cruzado e assustou Walter. Minutos depois, Marcos Junior também tentou, mas em vão. No fim, os visitantes quase marcaram com Marquinhos Gabriel, mas o meia parou em Cavalieri.

Corinthians volta melhor, mas Cícero marca e dá vitória ao Flu

Na volta para o segundo tempo, o Corinthians começou mais no campo de ataque. Aos cinco, Luciano ajeitou para Marquinhos Gabriel dentro da área. O meia chutou, mas Henrique conseguiu travar. O Fluminense encontrava dificuldades na criação. Scarpa e Cícero estavam sendo bem marcados e não encontravam espaços.

Na primeira chegada do Flu na etapa final, Gustavo Scarpa cruzou da esquerda e Richarlison cabeceou para fora. Porém, Yago levou o segundo amarelo ao puxar a camisa do Cícero dentro da área e o árbitro marcou o pênalti. O camisa 7 cobrou, Cássio defendeu, mas no rebote, o próprio colocou a bola para o fundo do gol. O tento acabou sendo um balde de água fria na equipe corintiana, que estava melhor no jogo.

Mesmo com um a menos, o Corinthians não abdicou e foi em busca do empate. Entretanto, esbarrava na boa marcação feita pelo Fluminense, que quase fez o segundo com Douglas. O volante arriscou de fora, mas o goleiro defendeu. Aos 32, após escanteio, Magno Alves apareceu na pequena área e mandou para o gol, mas o atacante estava impedido. Nos minutos finais, já na base do desespero, o Corinthians foi em busca do empate, mas sem êxito.