Cícero almeja duelo contra o Corinthians, pela Copa do Brasil: 'Mata-mata é o filé mignon'

Artilheiro do Tricolor na temporada, Cícero acredita que Flu tem total condição de avançar na competição

Cícero almeja duelo contra o Corinthians, pela Copa do Brasil: 'Mata-mata é o filé mignon'
Michel Filho/Agência O Globo

O confronto contra o Corinthians, válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil, só será realizado no dia 31 de agosto, no entanto, a expectativa já é grande. Artilheiro tricolor na temporada, Cícero acredita que a equipe comandada por Levir Culpi tem total condição de avançar na competição. Autor do gol no único confronto entre as equipes neste ano, o jogador avalou o duelo contra a equipe paulista.

"É jogo bom, já enfrentamos eles este ano e vencemos com um gol meu. Se você quer ser campeão da Copa do Brasil, que dá vaga na Libertadores, você tem que enfrentar qualquer time de igual para igual. Se realmente queremos ser campeões é um boa oportunidade para mostrarmos nessas oitavas", declarou o camisa 7.

Entre os jogadores do atual elendo do Flu, Cícero é o único que estava presente na conquista da Copa do Brasil de 2007, derrotando o Figueirense na decisão. Por isso, o volante é um dos mais acostumados ao estilo da competição, classificando-o como "filé mignon".

"Todo campeonato que entramos tem que ser com a mentalidade de buscar o título. Entramos na Primeira Liga assim. Vimos que tínhamos condições e nos fechamos para ganhar. Estamos chegando agora no mata-mata decisivo, é uma fase gostosa. É casa cheia sempre, só confrontos bons. É o famoso filé mignon", comentou.

Para a partida, o Fluminense contará com o fator casa. Isso porque a CBF confirmou que a partida de ida, que tem mando do Tricolor, será no dia 31 de agosto, e, por isso, poderá ser realizada na cidade do Rio de Janeiro, visto que os Jogos Olímpicos já estarão encerrados.

No Estádio Giulite Coutinho, o retrospector do Flu é positivo. São duas vitórias em dois jogos, e, em ambos, Cícero marcou. Para o jogador, jogar no local será fundamental para o Tricolor Carioca.

"Você ter o torcedor próximo é diferente. A atmosfera que tivemos nesses dois jogos foi espetacular. Deu bastante torcedor, acho que o que botaram de ingresso foi vendido. Então virou um caldeirão. Você jogar dentro dos seus domínios, com seu adversário pressionado, é outra coisa", finalizou o camisa 7.