Ministério Público abre inquérito contra Celso Barros

O Ministério Público Federal determinou a instauração do inquérito para a investigação do período em que Celso Barros, foi presidente da Unimed-Rio

Ministério Público abre inquérito contra Celso Barros
Celso Barros

O Ministério Público Federal determinou a instauração do inquérito (NF 1.30,001.004044/2016-80) para a investigação do período em que Celso Barros, foi presidente da Unimed-Rio. Celso Barros, comandou a coopertativa de médicos desde 1998 e foi destituído em Julho deste ano. A dívida da Unimed-Rio, hoje, passa de R$1,9 Bilhão. 

Celso Barros, foi destituído do seu cargo após uma Assembléia Geral Extraordinária feita de forma unânime. Além de Barros, todo o conselho administrativo e os demais conselhos técnicos também foram destituídos. A Assembléria Geral só ocorreu após longa batalha judicial. 

Após a Assembléia, o conselho provisório que assumiu a gestão da Unimed-Rio após a distituição da diretoria cooperativa, fez uma auditoria nas contas. Assim, descobrindo que o salário pago a Celso Barros, em julho, foi de R$ 134.906,53. 

Celso Barros oficializou sua candidatura à presidência do Fluminense, em evento que ocorreu no Edifício Argentina, na Praia de Botafogo, no Rio de Janeiro. Celso garante que consilidará o Flu com equilíbrio financeiro, administrativo e bons resultados no campo. 

"Minha paixão pelo Fluminense me impulsiona a ser candidato a presidente. Caso seja eleito, vou consolidar o Fluminense como clube que soma equilíbrio financeiro, organização administrativa e resultados imbatíveis em campo, como aconteceu nos 15 times", disse Celso.