Abad confirma interesse em Roger Machado e não crê que desempenho do time interfira na eleição

Candidato à presidência conversou com a VAVEL e comentou sobre eleição, expectativa pelo novo técnico e formação do elenco para 2017

Abad confirma interesse em Roger Machado e não crê que desempenho do time interfira na eleição
(Foto: Marcello Neves/VAVEL)

O Fluminense não anda bem das pernas no Campeonato Brasileiro. Sem chances matemáticas de G-6, o clube não vence há sete jogos. Vivendo período eleitoral, tal campanha vira munição para os candidatos à presidência. Apesar das críticas, Pedro Abad, nome da situação e apoiado por Peter Siemsen, conversou com a VAVEL e se mostra tranquilo, não acreditando que isso interfira em sua campanha eleitoral. 

"É natural que o torcedor fique mais chateado, mas acredito fortemente que ele vai entender que os resultados momentâneos do time não podem interferir na visão de futuro para o Fluminense. Entendo que o torcedor fique chateado. Também sou torcedor, também estou chateado pelos resultados. Mas analisar um futuro de gestão, um projeto para o Fluminense, ainda vai além do campo. Creio que o sócio do Fluminense vai entender que somos a melhor opção", declarou.

Já pensando em 2017, o Fluminense busca um novo treinador. Levir Culpi foi demitido após a goleada sofrida para o Cruzeiro, por 4 a 2, no Mineirão, pela 34ª rodada. Se antes Abad preferia esperar o término do torneio para se pronunciar, hoje afirma quem seria seu primeiro nome: Roger Machado. No entanto, também há conversas com outros nomes caso o mesmo não esteja disponível no mercado.

"Hoje, meu primeiro nome seria o Roger Machado, mas nós temos outras opções as quais trabalhamos. O Roger está estudando, ainda não está disponível e também há outros times que estão sem técnico. De qualquer maneira, o Fluminense tem que pensar em outras opções caso o Roger não esteja disponível. Já temos algumas conversas em andamento e estamos esperançosos que vamos apresentar um técnico que seja capaz de conduzir o clube à títulos"

Também visando a temporada 2017, Pedro Abad manteve os pés no chão quando perguntado sobre a formação do elénco. Segundo ele, é preciso analisar quais posições estão com deficiências e excesso de jogadores para definir os pontos de investimento. A busca por contratações na janela de transferências será feita por profissionais que serão integrados à sua gestão, caso eleito.

"Primeiramente nós chegaremos no departamento que cuida do nosso elenco. Nós estamo fazendo análises, os profissionais que escolhemos também já estão atentos, apesar de ainda não estarem no Fluminense. Vamos fazer uma modelagem completa para analisar quais são as posições mais carentes e as que estão com excesso de jogadores. A gente espera fazer que o elenco esteja equilibrado dentro de campo e financeiramente"

Por fim, Abad comentou sobre sua expectativa para a eleição e tocou no assunto 'estádio'. Segundo o candidato, o Fluminense vive um processo de reconstrução integrada entre Centro de Treinamento, categoria de base e estádio, projeto este que - caso eleito - terá seu processo inicializado em sua gestão.

"O Fluminense criou uma lógica muito interesse onde precisamos fechar uma relação estrutural entre Centro de Treinamento, categoria de base e o estádio. Isso é muito importante. Nós melhores muito Xerém, é outra coisa do que era em 2011, nosso CT é um dos melhores do Brasil e o próximo passo é o nosso estádio. Já demos o passo inicial, vai demandar um trabalho passado. Não podemos iludir o torcedor achando que é um trabalho de um ou dois anos. É um trabalho duro e temos certeza que nesta gestão já estaremos levando um tijolinho da construção"

A eleição presidencial acontece no próximo sábado (26), nas Laranjeiras, das 9h às 18h. O clube divulgou em seu site oficial a lista de sócios aptos a realizar o direito a voto. Pedro Abad concorre com Mário Bittencourt e Celso Barros ao cargo que hoje é ocupado por Peter Siemsen. O Fluminense ocupa a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro com 49 pontos conquistados.