Abad exalta aliança com Cacá e promete não distribuir cargos politicamente

Candidato à presidência do Flu também prometeu fazer uma 'dupla' para levar o clube à frente

Abad exalta aliança com Cacá e promete não distribuir cargos politicamente
Pedro Abad e Cacá Cardoso uniram candidaturas na reta final da campanha (Foto: Marcello Neves/VAVEL Brasil)

Liderando as pesquisas de boca de urna na eleição para presidência do Fluminense, o candidato Pedro Abad falou, em entrevista na sede do clube, sobre a importância de ter se aliado com Cacá Cardoso na reta final da campanha. No último dia em que as chapas concorrentes poderiam ser homologadas, os dois se uniram e Cacá abandonou sua candidatura própria para assumir o posto de vice-geral de Abad, que destacou a parceria como importante para responder algumas perguntas.

Segundo o candidato da situação, a maneira de pensar dos dois sempre foi parecida e, por isso, a união sempre esteve em mente: "Muita gente me perguntava por que eu não tinha um vice-presidente geral, me pressionavam. Na verdade, eu tinha certeza que até o último minuto que eu ia ter o Cacá ao meu lado. Nossa forma de ver Fluminense, nosso plano de gestão, era muito parecida e tenho certeza que essa sinergia vai fazer com que seja mais fácil a transição de um modelo amador, calcado em estruturas antigas, para um modelo de gestão compartilhado", afirmou Abad.

Ex-vice jurídico do Tricolor das Laranjeiras, Cacá também foi muito elogiado pela sua história dentro do clube: "O Cacá é uma pessoa senior dentro do clube, tem mais de 30 anos de quadro social, traz com ele um quadro de pessoas do meio corporativo e tenho certeza de que eles vão agregar muito à nossa gestão. Estou muito feliz que ele esteja fazendo dupla comigo. Não consigo ver como uma questão de primeiro ou segundo, é uma dupla que vai levar o Fluminense para frente", prometeu o candidato.

Abad também fez questão de ressaltar que o quadro composto para administrar o clube não terá distribuição de cargos: "A gente vai ter um comitê de gestão com pessoas que têm expertise em cada um dos assuntos e não vai ser uma mera distribuição política de cargos", garante o candidato, antes de comentar sobre os sentimentos em relação ao fim da eleição e sua primeira ação como presidente, caso eleito: "Sinceramente, a gente tá no corpo a corpo com o sócio e não vê o tempo passar. A primeira e única vez que vou ser egoísta nessa fase é que vou tomar uma cervejinha, porque mereço", brincou.