Na primeira coletiva como presidente, Abad confirma projeto de estádio: "Próximo passo é a revitalização do terreno"

Eleito para o próximo triênio (2017-2019), novo presidente revelou o desejo de continuar com o projeto incoado por Peter Siemsen

Na primeira coletiva como presidente, Abad confirma projeto de estádio: "Próximo passo é a revitalização do terreno"
Foto: Marcello Neves/VAVEL

Em sua primeira entrevista coletiva como presidente eleito do Fluminense Football Club, o candidato da situação Pedro Abad defendeu três pontos principais a serem adotados no próximo triênio para sua gestão. Um desses pontos é a construção do estádio tricolor, projeto que foi tocado pelo então presidente Peter Siemsen e que seu sucessor retomará como objetivo para os próximos anos.

Abad afirmou que o próximo passo a ser dado é convencer a prefeitura do Rio de Janeiro a revitalizar a área que será usada para a construção do estádio, e assim intensificar o trabalho, podendo avançar o projeto para desenvolvê-lo junto ao orgão administrativo.

"O Próximo passo é o mesmo que sempre foi, agora que definida a eleição, nós partimos para um trabalho de convencimento da prefeitura de todo um projeto de revitalização de uma área enorme, é importante para a Barra da Tijuca, é importante para o Rio de Janeiro. Fazendo esse trabalho a gente altera o potencial de edificação urbana do terreno e aí nós conseguimos obter o terreno próprio para o estádio. Então eu diria que o próximo passo é justamente intensificar esse trabalho no sentido da gente fazer a gestão junto a prefeitura de convencimento de que esse projeto de revitalização é importante para a Cidade"  Explicou o novo presidente do Fluminense.

Após vencer com 2.126 votos (50% + 1), outro ponto considerado positivo na eleição do dirigente é o fato do mesmo ter conquistado grande parte do conselho deliberativo do clube, devido a superioridade no pleito. Facilitando assim a aprovação de projetos liderados por ele e sua equipe de gestores. O segundo colocado, Mario Bittencourt, terá direito a eleger 15 nomes para o cargo. Devido a porcentagem baixa, Celso Barros não elegerá nomes para a função.