Flu e América divulgam nota sobre operação que revelou liberação ilegal do Giulite Coutinho

Operação da Polícia Civil e Ministério Público do Rio prendeu 34 pessoas nesta terça-feira (12), maioria bombeiros militares que receberam propinas para liberarem estabelecimentos. Estádio do América, onde o Tricolor mandou seus jogos em 2016, foi liberado ilegalmente

Flu e América divulgam nota sobre operação que revelou liberação ilegal do Giulite Coutinho
Foto: Divulgação/Fluminense FC

Na manhã desta terça-feira (12) a investigação da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro prendeu 34 pessoas, sendo a maioria bombeiros militares. A 'Operação Ingenium' revelou que o Corpo de Bombeiros recebia propina para liberar estabelecimentos. De acordo com a investigação, o estádio Giulite Coutinho, do América, foi liberado em 2016 para uso do Fluminense a partir de uma conduta criminosa. 

O esquema funcionava da seguinte forma: a documentação era liberada, mesmo sem os cumprimentos de exigências de segurança, após o pagamento da propina. Segundo a investigação, a documentação do alvará e do laudo de prevenção e combate a incêndio foi fraudada. Os responsáveis pela investigação não revelaram se a propina partiu do América, dono do estádio, ou do Flu.

Em 2016, com o Maracanã cedido ao Comitê Olímpico do Rio 2016, o Fluminense buscou outras alternativas para mandar seus jogos e continuar próximo da torcida. O Giulite Coutinho, em parceria com o América, foi a solução. Desde julho de 2016, foram 14 jogos no local. 

A última partida do Fluminense no Giulite Coutinho foi no dia 20 de julho deste ano. Desde então, a diretoria Tricolor resolveu mandar os jogos no Maracanã até o fim do ano, para se manter mais próximo do torcedor. Porém, a parceria entre os clubes continua, e o estádio tem recebido jogos do sub-20.

Confira a nota oficial do Fluminense:

"O Fluminense Football Club vem a público afirmar que jamais se valeu de práticas ilegais e nem se utilizou de vantagens indevidas com qualquer órgão público. O clube repudia atitudes irregulares em todas as suas formas e preza pelo cumprimento da legislação em vigor. O Fluminense sempre cumpriu todas as exigências necessárias para atuar dentro da normalidade. A Instituição se coloca à disposição para o que for necessário."

Confira a nota oficial do América:

"O America Football Club esclarece que não tratou da obtenção de Laudo (LPCI) junto ao Corpo de Bombeiros em 2016, conforme veiculado em meios de comunicação. Portanto, o America Football Club não tem nenhuma responsabilidade sobre os fatos levantados e está à disposição das autoridades."