Esquema com três volantes não funciona e Flu tem um dos piores aproveitamentos no returno

Flu tem aproveitamento baixo com três volantes e pelo terceiro ano seguido tem um dos piores desempenhos do returno. Aproveitamento, no momento, é abaixo de 2015 quando foi o pior do segundo turno do Brasileirão

Esquema com três volantes não funciona e Flu tem um dos piores aproveitamentos no returno
Foto: Lucas Uebel/Getty Images/Grêmio FBPA

Com apenas seis pontos conquistados nas últimas oito rodadas (24 pontos disputados), o Fluminense tem uma das piores campanhas do returno do Brasileirão. O aproveitamento é de 25%, inferior até do lanterna Atlético-GO, que tenta se recuperar do péssimo turno e tem jogado com mais dignidade.

A queda de rendimento do Fluminense - além da crise política interna que vive o clube - pode ser explicada pelo esquema com três volantes. Em todo o Brasileirão, foram apenas duas vitórias e cinco empates em 17 jogos com esse esquema. Quase um turno insistindo num esquema que só prejudica a equipe. Se continuar apostando nesta formação, correrá sério risco de rebaixamento.

É verdade que com três volantes o Fluminense passou a sofrer menos gols. Em comparação com o esquema anterior, que tinha apenas dois volantes, são sete gols a menos. Mas em média, a diferença é bem pouca, caindo de 1,4 gols sofridos por jogo para 1,3. Outros números que mostram que o esquema com três volantes é ineficiente é que o Flu é o 18º colocado em roubadas de bola e o penúltimo colocado em interceptações no Brasileirão. 

Embora tenha diminuído um pouco a quantidade de gols sofridos por conta do esquema mais retrancado, isso afetou também o ataque, que viu a média de gols cair drasticamente de dois por jogo para menos de um. A saída de Richarlison para o Watford, da Inglaterra, também influenciou para a queda. Com três volantes o Fluminense passou a sofrer mais do que marca, enquanto antes dessa formação era o oposto. Confira abaixo.

Aproveitamento do Fluminense COM três volantes:

4 vitórias
5 empates
8 derrotas
33,3% de aproveitamento
16 gols marcados
22 gols sofridos
Média de 0,9 gols marcados por jogo
Média de 1,3 gols sofridos por jogo

Aproveitamento do Fluminense SEM três volantes:

10 vitórias
5 empates
6 derrotas
55,6% de aproveitamento
42 gols marcados
29 gols sofridos
Média de 2 gols marcados por jogo
Média de 1,4 gols sofridos por jogo

Fluminense não marcou nos últimos dois jogos e Henrique Dourado tem sofrido com queda de rendimento do ataque (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Fluminense não marcou nos últimos dois jogos e Henrique Dourado tem sofrido com queda de rendimento do ataque (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Risco de rebaixamento aumenta e preocupa

A queda de rendimento do Fluminense na insistência com o esquema de três volantes afastou o clube do G-6 e o aproximou da zona do rebaixamento. Enquanto os times como São Paulo, Vitória, Avaí e Atlético-GO tentam se recuperar, o Tricolor desce cada vez mais. A diferença agora é de apenas um ponto e o risco preocupa.

Na atual edição, o aproveitamento no returno, no momento, é de 23,8% - pior que em 2015, quando o Fluminense foi o pior time do returno. Há três anos que o clube costuma ter uma das piores campanhas do returno do Brasileirão. A diferença de 2017 para 2015 e 2016 é que, desta vez, o Tricolor não construiu boa 'gordura' no turno e vai precisar se recuperar imediatamente.