Fluminense surpreende e vira contra Osasco em cinco sets na Superliga

Equipe de Osasco chegou a abrir 2 a 0, mas cedeu três sets diretos. Agora o time busca reabilitação contra Brasília na sexta-feira (10), no José Liberatti

Fluminense surpreende e vira contra Osasco em cinco sets na Superliga
Fluminense surpreende e vira contra Osasco em cinco sets na Superliga

O Fluminense surpreendeu o Osasco e venceu, de virada, por 3 sets a 2, parciais de 19/25, 27/29, 25/20, 27/25 e 15/13, em 2h14min do jogo disputado no ginásio da Hebraica, no Rio de Janeiro. Tandara foi a maior pontuadora, com 24 acertos. Destaque também para Paula, com 22 e a peruana Angela Leyva, que derrubou a bola na quadra adversária 18 vezes. Porém, o troféu VivaVôlei ficou com a levantadora do Fluminense, Giovanna. Foi o primeiro resultado negativo da equipe paulista na Superliga, que buscará a reabilitação na próxima sexta-feira (10), diante do BRB/Brasília Vôlei. 

A levantadora Fabíola analisou a partida. “Perdemos a chance de fechar em 3 sets a 1. Estávamos na frente no placar e a quantidade de erros no final da parcial nos prejudicou. Isso é uma coisa que não podemos deixar acontecer. Agora é ter a cabeça no lugar, porque o campeonato é longo. Ninguém gosta de perder, é sofrido, especialmente quando se tem chance de vencer. Agora é ajustar o que não deu certo e trabalhar para buscar a reabilitação”.

Após um início equilibrado, o Osasco imprimiu seu volume de jogo contra o Fluminense. Quando Paula foi para a linha de saque, o placar apontava 10/9 para as donas da casa. Quando encerrou a sequência de sete serviços, o marcador era 16/10 para a equipe de Osasco. Com atuações efetivas da oposta e da ponteira Tandara, o Osasco ganhou a parcial inicial por 25/19.

O Fluminense abriu 9/5 no segundo set, obrigando Luizomar a pedir tempo. E como na parcial inicial, uma sequência de saques fez a diferença para o Osasco. Fabíola foi para o serviço no 5/10 e virou para 11/10. Mas os problemas na recepção complicaram a parcial para as jogadoras de Osasco e o treinador teve de parar o jogo novamente quando seu time perdia por dois pontos (18/16). As orientações deram resultado e Bia, com dois bloqueios, empatou e fez 20/19. Porém, o equilíbrio seguiu até o final e o Osasco precisou de cinco set points para fechar em 29/27 e abrir 2 sets a 0.

O terceiro set começou como terminou o anterior: equilibrado. O saque do Fluminense seguiu dificultando o passe do Osasco, o que comprometeu o ataque. Luizomar precisou pedir tempo quando o adversário vencia no 12/10 e 18/15. A equipe, porém, continuou com problemas em quadra. Tanto que as donas da casa abriram cinco pontos (20/15), vantagem que se manteve até o final da parcial, apesar do esforço e dos pontos seguidos de Tandara no ataque. Com 25/20, o Flu diminuiu a vantagem do Osasco para 2 sets a 1.

O Osasco voltou ligado para o quarto set e disposto a liquidar a fatura. Com bons ataques de Paula e bloqueios de Ninkovic, abriu 10/6 e obrigou o Fluminense a pedir tempo. Mas as donas da casa não estavam dispostas a se entregar. A equipe de Osasco contou com dois bons saques de Nati Martins (que entrou no lugar de Ninkovic) e dois bloqueios de Bia para abrir 18/14. Mas ainda estava longe do fim, pois as cariocas conseguiram empatar no 20/20 e virar para ganhar por 27/25 e levar o jogo para o tie-break.

O quinto e decisivo set foi tenso. O Osasco precisou correr atrás do placar. Embaladas pela vitória na parcial anterior, as cariocas viraram de quadra no 8/6 e logo abriram 11/7, obrigando Luizomar a pedir tempo. Apesar da dificuldade, a equipe de Osasco não se entregou e diminuiu para 12/10 em um bloqueio de Tandara. E apesar do esforço e de salvar três match points, o Osasco foi superado por 15/13.