Com gols de bola aérea, Fluminense e Coritiba empatam no Maracanã

Tricolor sai atrás, consegue virada relâmpago, mas cede empate ao Coxa. Destaque da partida foi o zagueiro Cléber Reis, que marcou um gol contra e outro a favor

Com gols de bola aérea, Fluminense e Coritiba empatam no Maracanã
Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.
Fluminense
2 2
Coritiba
Fluminense: Diego Cavalieri; Lucas (Matheus Alessandro), Renato Chaves, Henrique e Marlon; Mateus Norton (Wendel), Douglas, Gustavo Scarpa, Sornoza e Marcos Junior (Wellington Silva); Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga.
Coritiba: Wilson; Léo, Werley, Cleber Reis e Thiago Carleto; Jonas, Alan Santos, Tiago Real (Dodô) e Yan Sasse (Getterson); Rildo (Kleber) e Henrique Almeida. Técnico: Marcelo Oliveira.
Placar: Werley, aos 43 minutos do primeiro tempo; Cléber Reis (contra), aos 9, Henrique Dourado, aos 11, e Cleber Reis, aos 24 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A 2017.

Em jogo movimentado, Fluminense e Coritiba ficaram apenas no empate em 2 a 2, no Maracanã. Cléber Reis (contra) e Henrique Dourado marcaram para o Tricolor, enquanto Werley e Cléber Reis anotaram para o Coxa. Em confronto direto pela luta contra o rebaixamento, o resultado acabou sendo frustrante para ambos. O Flu fica em 12º, com 43 pontos, enquanto o Coritiba aparece mais abaixo, em 15º, com 39.

Artilheiro do Brasileiro com 17 gols, Henrique Dourado voltou a balançar as redes nesta quinta-feira após jejum de quatro jogos. A última vez havia sido contra o São Paulo, pela 29ª rodada. A reação do Coritiba, por sua vez, mostra o bom momento do time na competição – são três vitórias e dois empates nos últimos cinco jogos. A partida também marcou o retorno do atacante Kléber Gladiador, que estava dois meses longe dos gramados devido a uma lesão no joelho.

Próximo compromisso do Fluminense será contra o Cruzeiro, no Mineirão. O Coritiba, por sua vez, recebe em casa a Ponte Preta. Ambos os jogos acontecerão no domingo (12), às 19h (de Brasília).

Flu começa melhor, mas Coritiba equilibra e abre o placar

O jogo começou movimentado no Maracanã. Precisando da vitória para diminuir ainda mais o risco de rebaixamento, o Fluminense teve um gol anulado logo aos três minutos. Marcos Jr, após passe de Henrique Dourado, mandou para as redes, mas o juiz assinalou impedimento do camisa 35. No minuto seguinte, o Tricolor teve outra boa chance. Douglas arriscou de fora e obrigou Wilson a fazer grande defesa.

Em situação delicada no Campeonato Brasileiro, o Coritiba conseguiu responder com o lateral Thiago Carleto, ex-Flu, em também chute de fora da área. Jogando em casa, o time de Abel Braga partia para o ataque, mas encontrava dificuldades perante um Coxa fechado, armado para dar o bote nos contra-ataques. Era um teste de paciência tanto para os jogadores do Fluminense, como para a torcida presente no Maracanã.

Após início promissor, o Fluminense teve uma queda brusca de rendimento, com Gustavo Scarpa e Sornoza pouco acionados. Dos 20 minutos em diante, era o Coritiba quem tomava as rédeas do jogo e chegava com mais perigo. Aos 30 minutos, Carleto cruzou e Yan Sasse, de primeira, chutou para boa defesa de Diego Cavalieri.  Melhor na partida, o Coxa abriu o placar. Aos 43 minutos, após cobrança de escanteio, Werley, quase embaixo da trave, aproveitou o desvio de Alan Santos para colocar o time paranaense em vantagem no primeiro tempo.

Flu empata, consegue virada relâmpago, mas cede empate ao Coxa

Na volta para o segundo tempo, o técnico do Fluminense, Abel Braga, promoveu a entrada de Wendel na vaga de Matheus Norton. E a substituição deu resultado. Logo aos 10 minutos, o Tricolor empatou o jogo. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Cléber Reis desviou e mandou contra o próprio gol. No minuto seguinte, o Flu conseguiu a virada. Lucas foi à linha de fundo e cruzou para Henrique Dourado anotar o segundo tento tricolor no Maracanã.

Atenuado, o Coritiba, que terminou o primeiro tempo em vantagem, viu-se tendo que correr atrás do empate. E usando as mesmas armas do primeiro tempo: os contra-ataques. Mesmo vencendo, o Tricolor ia ao ataque de forma desordenada e cedia espaços ao Coxa. Desta maneira, o time paranaense conseguiu o empate. Aos 25 minutos, novamente na bola área, o zagueiro Cléber Reis se redimiu da lambança e, de cabeça, deixou tudo igual novamente.

Após o gol, o jogo ficou perigoso para o Fluminense e animado para o Coritiba. Abusando das bolas áreas, principalmente com Carleto, o Coxa pressionava. Aos 32 e 40 minutos, Kléber Gladiador quase virou para o time de Marcelo Oliveira, mas a bola saiu pela linha de fundo nas duas oportunidades. Na reta final, já na base do desespero, o Tricolor buscou o terceiro gol, mas sem sucesso.