Abel revela desejo de continuar no Fluminense e analisa temporada: "Podia ser melhor"

Técnico lembrou das dificuldades com lesões de alguns titulares e elogiou jogadores mais experientes por ajudarem a controlar o grupo nos momentos mais difíceis

Abel revela desejo de continuar no Fluminense e analisa temporada: "Podia ser melhor"
Foto: Divulgação/Fluminense FC

Após o término do último jogo do Fluminense na temporada, no empate diante do rebaixado Atlético-GO, na tarde deste domingo (3), o técnico Abel Braga escutou alguns torcedores pedindo para que continuasse no clube no próximo ano. O treinador revelou o desejo de permanecer e cumprir seu contrato até dezembro de 2018.

"Conversamos bastante sobre isso. Falta definir uma coisa ou outra. Essa semana que vou ter a cabeça no lugar para decidir. Há boa intenção da direção e minha vontade é cumprir o contrato. Foi um ano muito pesado. Acho que a gente poderia ter feito melhor", revelou o treinador.

Abel tem razão quando diz que foi um ano pesado. O Fluminense jogou 75 partidas e sofreu com muitas lesões com jogadores importantes, e a falta de reposição e de experiência do elenco prejudicou o trabalho. Além disso, o clube sofreu com problemas financeiros e precisou vender Richarlison. Segundo a análise do treinador, apesar disso tudo o ano poderia ser melhor.

"Apesar de todos os problemas, tendo de formar três ou quatro times na temporada, vou falar de cinco jogadores que perdemos. Cinco titulares: Scarpa, Sornoza, Douglas, Richarlison e Wellington Silva. É metade do time. Mesmo assim, poderíamos ter feito melhor. Tivemos quatro jogos que desconcentramos em momentos cruciais. Tivemos jogos com oito jogadores da base. Estou feliz com o grupo. Muito feliz. Ganhamos a Taça Guanabara, chegamos às quartas de final da Sul-Americana e, via Brasileirão, voltamos para a Sul-Americana. Alguns meninos cresceram esse ano. O retrospecto não é mal", analisou.

Apesar de criticado por parte da torcida por conta da irregularidade ao longo do ano, Gustavo Scarpa foi o único jogador de linha que atuou em todas as 38 rodadas do Brasileirão, igualando feito de Conca em 2010. Abel elogiou o camisa 10 do Fluminense pela entrega tática e por ajudar o grupo nos momentos mais difíceis.

"Ele cumpriu uma meta fantástica de jogar todos os jogos do Brasileiro. Hoje começou em posição diferente. Depois, mudou. Ele atuou em umas cinco posições na temporada. Quero agradecer a ele, ao Cavalieri, ao Julio (César), ao Gum, ao Henrique e ao (Henrique) Dourado, os mais experientes. Eles seguraram a onda dos garotos. Quando o negócio estava fervendo, seguraram", elogiou.

Sobre o último jogo do Fluminense no ano, contra o lanterna e rebaixado Atlético-GO, Abel elogiou a postura do time, revelou que o time jogou sem entrosamento e afirmou que o Flu foi melhor que o adversário, apesar do empate no placar.

"Fizemos um jogo diferente, melhor do que o adversário. Atuamos de forma diferente, com dois treinos na quarta e na sexta. Fizemos isso pois não tivemos jogo no meio de semana. A assimilação foi rápida, com apenas dois treinos. Gostei do que eu vi. Jogamos sem entrosamento. Os atletas têm cultura tática, e isso me mostrou que a gente poderia arriscar. E é essa maneira que, dentro dos conformes, quero no ano que vem", disse.