Recomposição e elenco: como fica o Fluminense sem os oito atletas fora dos planos para 2018?

Diego Cavalieri, Henrique, Wellington Silva (lateral), Marquinho, Artur, Robert, Higor Leite e Maranhão estão fora dos planos da diretoria e o Fluminense busca recomposições e soluções para montar equipe competitiva para a próxima temporada

Recomposição e elenco: como fica o Fluminense sem os oito atletas fora dos planos para 2018?
O zagueiro Henrique foi um dos jogadores que deixou o Flu (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

A poucos dias de sua reapresentação para a temporada 2018, o Fluminense anunciou uma lista de jogadores com os quais não contará no próximo ano. Ao todo, oito nomes não vestirão mais a camisa tricolor, sendo eles Diego Cavalieri, Wellington Silva (lateral), Henrique, Marquinho, Artur, Robert, Higor Leite e Maranhão. O comunicado foi emitido nessa quinta (29).

A justificativa da diretoria foi "reduzir a folha salarial de modo que ela se adeque ao orçamento do clube". Com essas dispensas, o Fluminense deve economizar cerca de R$ 20 milhões. A decisão foi tomada para evitar que o Tricolor volte a atrasar salários, devendo haver também conversas com outros servidores da instituição para uma melhor adequação das finanças. 

Da lista, apenas Diego Cavalieri e Henrique eram titulares. No entanto, uma dispensa numerosa mexe na configuração do elenco, que se reapresentará no dia 3 de janeiro no CT da Barra. A VAVEL Brasil analisou as peças que não seguirão no clube carioca, o quanto representaram para a equipe ao longo de seus vínculos e como o time tricolor fica com essas modificações.

Diego Cavalieri

Cavalieri chegou ao clube em 2011 e foi figura importante na campanha que culminou na conquista do título brasileiro em 2012. No entanto, em 2017, conviveu com lesões que o fizeram perder boa parte da temporada. Retomou a titularidade apenas na 26ª rodada do Campeonato Brasileiro, na derrota por 1 a 0 contra o Grêmio.

Como fica? Tendência é que o clube busque uma reposição para a meta. Julio César assume a titular a princípio, com Marcos Felipe no banco. Além de Cavalieri, o terceiro goleiro Matheus Phillippe também não teve seu contrato renovado.

Elenco conta para a posição: Julio César e Marcos Felipe.

Contrato iria até: 31/12/2019

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Henrique

Henrique chegou ao Fluminense em dezembro de 2015 com contrato de três anos. Com status de estrelas, não demorou para assumir a braçadeira de capitão da equipe e se tornar uma liderança entre os mais jovens. Pelo clube, atuou em 119 partidas e marcou quatro gols. 

Como fica? Além de um dos melhores zagueiros do elenco, Fluminense perde também seu capitão. Liderança deve cair sobre Gum, que já assumiu a braçadeira em outras ocasiões. Renato Chaves e Reginaldo são outros que ganham espaço após a saída de Henrique. Vale lembrar que Nogueira foi emprestado ao Figueirense e Derlan foi para o Paysandu.

Elenco conta com: Gum, Renato Chaves, Reginaldo e Frazan.

Contrato iria até: 31/12/2018

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Marquinho

Herói após marcar o gol que salvou o Fluminense do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2009, Marquinho retornou com altas expectativas no pacotão de reforços anunciado em agosto de 2016, mas não conseguiu corresponder. Marcou apenas um gol desde que voltou e teve de passar por duas cirurgias que o fizeram perder boa parte da temporada.

Como fica? O alívio na folha salarial reflete na posição onde o Fluminense tem menos opções no elenco: o meio de campo. Marquinho chegou a atuar de volante e ponta-esquerda com Abel Braga, mas sua função original é a de meio-campista. As lesões fizeram o jogador não ter como disputar uma vaga entre os titulares.

Elenco conta com: Gustavo Scarpa, Junior Sornoza e Luquinhas.

Contrato iria até: 12/07/2019

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Wellington Silva

O lateral trocou o Flamengo pelo Fluminense e desembarcou nas Laranjeiras em 2013, pedido de Abel Braga para disputa da Libertadores. O jogador tem o apoio do treinador, que bancou sua titularidade e chegou a ser novamente pedido pelo técnico em 2014, quando estava no Internacional. Foi emprestado ao Bahia em 2016 e retornou após passagem sem brilho.

Como fica? Wellington Silva poderia ser a peça que substituiria Lucas, que retornou ao Palmeiras após não ter seu direito de compra exercido. Outro da posição que deixou o clube foi Renato, que teve seu contrato encerrado e acertou com o Ceará. Tendência é que o clube busque outro nome para disputar a posição com Gilberto.

Elenco conta com: Gilberto e Diogo.

Contrato iria até: 31/12/2018

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Robert

Robert era pra ser o que Gérson - no quesito financeiro - foi, mas não conseguiu brilhar como o esperado. Chegou a ser contratado pelo Barcelona, mas voltou e foi emprestado ao Boavista - onde terminou o Campeonato Carioca na reserva. Voltou ao Fluminense e chegou a ser relacionado para algumas partidas, mas não entrou em campo.

Como fica? A perda do Fluminense é técnica pela expectativa e principalmente financeira por ver o investimento em uma futura estrela não ser concretizado. Robert tinha salários altos desde a época de categoria de base, mas não vingou no profissional. No elenco atual, não deixou saudades e nem uma possível venda salvou.

Elenco conta com: Gustavo Scarpa, Junior Sornoza e Luquinhas.

Contrato iria até: 31/12/2019

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Higor Leite

Higor Leite foi destaque na campanha do Fluminense que foi vice-campeão da Copa SP de Futebol Júnior em 2012. Subiu aos profissionais e não conseguiu se firmar. A melhor época foi em 2015, quando teve uma pequena sequência como titular durante o Campeonato Carioca. Após isso, rodou em vários empréstimos até chegar no Volta Redonda, último clube por onde passou.

Como fica? Higor foi outra joia de base que não vingou como esperado. Assim como Robert, é outro que deixa a desejar pela expectativa sobre o jogador que poderia ser. 

Elenco conta com: Gustavo Scarpa, Junior Sornoza e Luquinhas.

Contrato iria até: 31/12/2018

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Maranhão

O atacante nunca caiu nas graças da torcida. Chegou ao Fluminense em 2016 ao lado de William Matheus e Dudu - os três já deixaram o clube - e empolgou após boas atuações contra Cruzeiro e Atlético-MG, mas não passou disso. Em 2017, chegou a entrar na final do Campeonato Carioca, contra Flamengo, mas pouco acrescentou. Foi emprestado à Ponte Preta onde também não brilhou.

Como fica? Maranhão soma a Wellington, que tem sua transferência encaminhada ao Internacional, entre os jogadores de velocidade que deixarão o clube em 2018. No entanto, ainda sim é a posição onde o Fluminense tem mais opções no elenco, então a falta não será tão sentida. 

Elenco conta com: Marcos Junior, Marcos Calazans, Matheus Alessandro, Robinho e Romarinho.

Contrato iria até: 31/05/2019

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Artur

Chegou ao Fluminense em 2015 após o rompimento com a Unimed e pouco teve chances. Fez apenas duas partidas e foi emprestado ao América-MG. Retornou e novamente ficou sem espaço. Em 2017, esteve no Paraná Clube e participou da campanha de acesso á primeira divisão.

Como fica? Não teve espaço nas outras passagens e a tendência é que não teria nesta também. 

Elenco conta com: Gum, Renato Chaves, Reginaldo e Frazan.

Contrato iria até: 31/12/2018

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)
(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)