Marlon minimiza situação do clube com Scarpa e dá voto de confiança à diretoria sobre atrasados

Lateral-esquerdo diz confiar na diretoria que atrasados seriam quitados até o fim de janeiro e negou mal-estar por acerto com Gustavo Scarpa antes do restante do elenco

Marlon minimiza situação do clube com Scarpa e dá voto de confiança à diretoria sobre atrasados
Foto: Divulgação/Fluminense FC

Em meio ao caos financeiro que o Fluminense vive, principalmente na batalha judicial com Gustavo Scarpa, o lateral-esquerdo Marlon preferiu minimizar o assunto quando questionado durante coletiva na tarde desta segunda-feira (8), no CT, e manteve o voto de confiança à diretoria, que prometeu quitar os atrasados até o fim de janeiro. O clube usará o dinheiro da venda de Wendel ao Sporting-POR, por 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 29,1 milhões) para encerrar as pendências.

"Conversamos com a diretoria. Eles estão engajados em sanar as dívidas e nos passaram que no fim de janeiro estaria tudo quitado. Eles nos deram essa confiança e cabe a gente esperar até o fim de janeiro para receber o que tem que ser recebido. Mas o mais importante é o nosso trabalho em campo. O que acontece fora tem pessoas capacitadas para fazer isso. Temos que ficar tranquilos, pois são pessoas de confiança que querem o melhor para o Fluminense e o melhor para todos", afirmou o lateral.

Marlon chegou ao Fluminense na metade do ano de 2017 e teve o empréstimo renovado junto ao Criciúma por mais uma temporada. O lateral-esquerdo já participava da pré-temporada e tinha conseguido o visto para disputar a Flórida Cup, mas só assinou o novo contrato neste fim de semana e celebrou a nova oportunidade.

"É mais uma oportunidade. Eu no ano passado tive um tiro curto, consegui mostrar meu valor. Estou em um grande clube, que é o Fluminense, estou me valorizando com a marca. Em nenhum momento quis voltar para o Criciúma. Desde que vim para cá, almejei ficar no Fluminense", disse.

Antes do começo da pré-temporada, o Fluminense confirmou a dispensa de oito jogadores, entre eles o lateral-esquerdo Léo, que foi titular até a chegada de Marlon. Entretanto, mesmo assim o jogador não se acha titular absoluto. 

"Tanto eu quanto qualquer jogador não se considera. Todo dia temos que estar provando, pois todos estão buscando seu espaço durante todo o tempo", explicou.

O Fluminense realizou o último treino no Rio de Janeiro nesta segunda-feira. A delegação tricolor embarca para os Estados Unidos na terça-feira (9), para a disputa da Flórida Cup, em Orlando. O Flu estreia na próxima sexta-feira (12), contra o PSV, da Holanda, às 22h (de Brasília). 

Confira outros trechos da coletiva de Marlon:

Mal-estar por pagamento a Gustavo Scarpa antes do elenco

"Não existiu mal-estar algum. Independentemente da situação do clube, nós viemos todos os dias trabalhar, somos profissionais, dependemos do Fluminense para estar trabalhando, gostamos do Fluminense, estamos todos os dias nos empenhando"

Briga judicial entre Flu e Scarpa

"É uma situação muito particular para se comentar. Não é da nossa alçada. Ele é um grande jogador, entendo o lado dele, entendo o lado do clube. Espero que as partes se entendam"

Saída de jogadores

"Chegadas e saídas são do futebol. São poucas equipes que conseguem manter todo seu elenco para a próxima temporada. Futebol todo dia está mudando. Você tem que estar preparado para isso"

Possível saída de Henrique Dourado

"Fez uma excelente temporada, foi artilheiro do país. Se chegou proposta e ele sair, vai ser uma perda, é um excelente jogador. Espero que fique"

Elenco após saída de jogadores e novos reforços

"Temos um elenco com vontade de vencer. Independentemente de qualquer coisa, temos um ambiente ótimo, com todos se esforçando ao máximo. São coisas que acrescentam"

Viagem ao Estados Unidos e Flórida Cup

"Estados Unidos é um lugar incrível. Mas o foco é a pré-temporada. Se der tempo de passear por lá, excelente"