Análise VAVEL: o que esperar de Jadson no Fluminense?

Volante assinou por duas temporadas vindo da Udinese-ITA e passou a ser jogador do Tricolor em uma parceria com o time italiano que mantém um percentual do passe do atleta

Análise VAVEL: o que esperar de Jadson no Fluminense?
Análise VAVEL: o que esperar de Jadson no Fluminense?

Jadson foi oficialmente anunciado como reforço do Fluminense. O volante assinou por duas temporadas vindo da Udinese-ITA e passou a ser jogador do Tricolor em uma parceria com o time italiano que mantém um percentual do passe do atleta. E após passagens por Botafogo, Atlético-PR, Santa Cruz e Ponte Preta, a VAVEL Brasil analisou: o que esperar de Jadson?

"Morei muitos anos no Rio e estou muito feliz por voltar, meu filho é daqui e tenho muitos amigos também. A expectativa para a temporada é que seja uma das melhores da minha carreira como jogador, tanto individual quanto coletivamente. Que possamos conquistar todos os objetivos que forem estabelecidos", completou Jádson.

Pontos fortes de Jadson

Sergio Santana, setorista do Botafogo na VAVEL: "Jadson é um volante “faz tudo”, já consegue ser participativo tanto na defesa quanto no ataque. Sua principal qualidade é conseguir ocupar espaços na faixa central do campo, conseguindo oferecer um apoio defensivo e, ao mesmo tempo, ser uma válvula de escape ofensivamente, já que aparece bastante para o jogo"

Lucas Filus, setorista do Atlético-PR no ESPN FC: "O que logo chamou a atenção na estreia dele foi o fato de “saber jogar”. É de se esperar o domínio dos fundamentos básicos para um reforço de Série A, mas entender o jogo é outra coisa. Jadson se destacou pela condução da bola, passes curtos e o posicionamento inteligente pra articular ataques"

Mateus Schuler, setorista do Santa Cruz na VAVEL: "É peça importante na ligação do meio para frente, sendo responsável por fazer ponte da defesa para o ataque. Atleta que ajuda na armação de lances ofensivos em velocidade"

Pontos fracos de Jadson

Sergio Santana, setorista do Botafogo na VAVEL: "Apesar de aparecer muito ao ataque, a finalização de média distância de Jadson não é das melhores. Além disso, a maioria de suas tentativas de passes longos, que tentam atravessar ou “quebrar” sistemas adversários, dá errado"

Lucas Filus, setorista do Atlético-PR no ESPN FC: "Não ficou claro qual seria a fraqueza em seu jogo, mas faltou certa consistência depois de umas partidas e isso pesou contra ele. Reproduzindo as atuações que agradaram em praticamente todos os aspectos, poderia ter se firmado como titular. "

Mateus Schuler, setorista do Santa Cruz na VAVEL: "Falho na marcação, cede espaços no meio e possui características ofensivas. Mesmo responsável pela transição em velocidade, deixa a desejar em alguns contra-ataques"

Jadson em ação pela Ponte Preta (Foto: Divulgação/Ponte Press)
Jadson em ação pela Ponte Preta (Foto: Divulgação/Ponte Press)

Qual a impressão que deixou?

Sergio Santana, setorista do Botafogo na VAVEL: "Ao lado de Gabriel, atualmente no Corinthians, Jadson formou uma das melhores duplas de volância do Botafogo na década. O jovem volante, em certo momento, conseguiu desbancar os experientes Renato e Marcelo Mattos, já que oferecia qualidade e equilíbrio ao meio campo do Alvinegro"

Lucas Filus, setorista do Atlético-PR no ESPN FC:"A sensação foi de perda de uma peça mais do que útil, considerando a dificuldade em produzir/encontrar meias de qualidade no Brasileirão. Não é do primeiro patamar, claro, mas tem os atributos para - dentro um sistema encaixado - ser importante. Poderia ser titular do Atlético hoje em dia. "

Mateus Schuler, setorista do Santa Cruz na VAVEL: "Esperado para ser titular, já que veio por indicação do - então - técnico Milton Mendes, não teve a mesma regularidade dos clubes anteriores. Caiu de produção junto ao grupo, sendo opção na maioria das vezes, oscilando em campo"

O que esperar no Fluminense?

Sergio Santana, setorista do Botafogo na VAVEL: "Desde que voltou da Itália, após uma passagem apagada pela Udinese, não conseguiu repetir as mesmas atuações no Botafogo, sendo um reserva no Santa Cruz, em 2016, e na Ponte Preta, em 2017. Apesar disso, possui muita qualidade e, se conseguir se achar no esquema de Abel Braga, pode render muitos frutos ao Fluminense, sendo uma das peças importantes ao meio-campo"

Lucas Filus, setorista do Atlético-PR no ESPN FC: "Jadson chegou com certa desconfiança em Curitiba, mas mostrou que tem qualidade. No Rio, provavelmente vai conquistar a confiança da torcida também. Por outro lado, junta-se o fator inconsistência com a incógnita que é a equipe tricolor e o resultado novamente pode ser apenas mediano. De qualquer forma, é sem dúvidas um bom reforço."

Mateus Schuler, setorista do Santa Cruz na VAVEL: "No Fluminense, espera-se que seja uma aposta para reforçar o setor depois da saída de Wendel. Na Ponte Preta, seguiu sem ir constante, vivendo altos e baixos, buscando agora se reafirmar na carreira"

Jadson atuou pela Ponte Preta na última edição do Campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação/Ponte Press)
Jadson atuou pela Ponte Preta na última edição do Campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação/Ponte Press)