Fluminense arranca empate no fim, mas é derrotado pelo PSV nos pênaltis

Lammers abre o placar com golaço, enquanto Robinho, nos acréscimos, deixa tudo igual. Nos pênaltis, Romarinho desperdiça cobrança

Fluminense arranca empate no fim, mas é derrotado pelo PSV nos pênaltis
(Foto: Divulgação/PSV)
PSV (5)
1 1
Fluminense (4)
PSV (5): Room (Van Osch); Luckassen, Paal, Obispi e Rigo (Lozano); Pablo Rosario (Hendrix), Lundqvist (Gastón Pereiro) e Gapko (Isimat-Mirin); Malen, Lammers e Mauro Júnior (Maher).
Fluminense (4): Júlio César; Renato Chaves, Gum (Frazan), Reginaldo (Ibañez), Gilberto; Richard (Jadson), Douglas (Marlon Freitas), Marlon (Ayrton) e Sornoza (Robinho); Marcos Junior (Matheus Alessandro) (Romarinho) e Henrique Dourado (Pedro).
Placar: Lammers, aos 41 minutos do primeiro tempo (PSV); Robinho, aos 47 do segundo tempo (Flu).
ÁRBITRO: Esteban Rosano (EUA)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 1ª rodada da Florida Cup 2018.

O Fluminense estreou nesta sexta-feira (12) na Florida Cup disposto a deixar todos os problemas extracampo de lado. Entretanto, com esquema novo e um time bastante modificado, o Tricolor encontrou muitas dificuldades e saiu atrás com um golaço de Lammers. Na etapa final, o time de Abel Braga melhorou e foi coroado com belo tento de Robinho. Nos pênaltis, Romarinho desperdiçou uma cobrança e o PSV venceu por 5 a 4.

Com a vitória, o PSV foi a dois pontos e é o vice-líder da Florida Cup, atrás do Rangers, da Escócia. Quem somar mais é o campeão da competição. O Tricolor, que é o quarto com um ponto, enfrenta o Barcelona de Guayaquil, na última rodada.

Flu não se adapta ao novo esquema e é dominado pelo PSV

Jogo começou morno no Spectrum Stradium. Melhor entrosado, o PSV ficou mais com a bola no pé nos minutos iniciais. O primeiro susto que o Fluminense tomou veio de bola parada, um dos maiores algozes do time na última temporada. Aos 11 minutos, Malen se antecipou a Gum e cabeceou dentro da pequena área. Flu levou sorte no lance, pois a bola explodiu no travessão e voltou para as maõs de Júlio César.

A resposta tricolor veio nos minutos seguintes. Na primeira chegada com perigo na partida, Marlon cruzou para Dourado, que foi travado ao finalizar. Ainda assim, a superioridade do PSV era nítida. Líder do campeonato local, o time holandês fisicamente e taticamente mostrava-se melhor em campo, enquanto o Flu, desentrosado, preocupa-se apenas em defender. Principal articulador da equipe na ausência de Scarpa, Sornoza pouco apareceu.

Além disso, o Tricolor não se adaptou atuando no esquema 3-5-2. Pelo menos, não na etapa inicial. Gum, Renato Chaves e Reginaldo tinham dificuldade ao sair com a bola, sobrecarregando o meio campo. Também, Gilberto e Marlon, em tese com mais liberdade, pouco foram ao ataque. Na frente, Sornoza não conseguiu acionar os isolados Marcos Jr e Dourado.

Mais encorpado e organizado, o PSV, por sua vez, tinha mais a bola e, assim, chegou ao seu gol. Aos 41 minutos, Lammers recebeu na entrada da área, driblou Gum e Gilberto com facilidade e chutou no ângulo de Júlio César.

Flu volta melhor e consegue o empate no fim

Na volta para o segundo tempo, o técnico Abel Braga promoveu as entradas do zagueiro Ibañez e o atacante Robinho na vagas de Reginaldo e Sornoza, respectivamente. De início, as alterações surtiram efeito. O Fluminense, mais ofensivo, adiantava a marcação e não dava tanta tranquilidade ao PSV, como aconteceu na etapa inicial. Contudo, o time ainda não conseguia chegar de forma efetiva ao ataque para incomodar o goleiro Room.

A partir dos 20 minutos, o jogo ficou morno, com bastante paralisações por conta das substituições. Frazan, Jadson, Marlon Freitas, Matheus Alessandro e Pedro entraram nas vagas de Gum, Richard, Douglas, Marcos Junior e Henrique Dourado. Com a bola rolando, Flu conseguia neutralizar os ataques do PSV, que posteriormente também sofreu diversas alterações feitas pelo técnico Phillip Cocu.

Matheus Alessandro, pelo lado direito, incomodava bastante a defesa adversária e era a principal válvula de escape do time, que ainda substituiu os laterais Gilberto e Marlon pelo Matheus Norton e Aryton. Júlio César e Renato Chaves foram os únicos que ficaram em campo durante os 90 minutos. Jogando melhor, o Fluminense foi coroado no fim com o gol de empate. Aos 47 minutos, Robinho, de fora da área, chutou colocado e deixou o confronto tudo igual. No último lance, o Tricolor ainda teve a chance da virada. Jadson recebeu livre pelo lado direito, mas exagerou na força ao fazer o cruzamento.

PSV vence nos pênaltis e conquista ponto extra

Com o empate, o ponto extra foi decidido nos pênaltis. Nele, o PSV converteu todas as cobranças e venceu por 5 a 4. Romarinho, que entrou na etapa final, bateu para fora.

Cobradores:
PSV: Hirving Lozano, Obispo, Hendrix, Malen e Gastón Pereiro.
Fluminense: Robinho, Pedro, Jadson, Romarinho e Renato Chaves.