Análise: mudança de esquema e alterações fazem Fluminense melhorar no segundo tempo

Substituições surtem efeito, mas Flu não conseguiu tirar o empate do placar

Análise: mudança de esquema e alterações fazem Fluminense melhorar no segundo tempo
Foto: Divulgação/Fluminense FC

O Fluminense ficou no empate sem gols no clássico contra o Botafogo, pela segunda rodada da Taça Guanabara, na tarde deste sábado (17), no Maracanã. Na primeira partida dos titulares no estadual, o começo foi tímido e a equipe cresceu só no segundo tempo, principalmente após as mudanças promovidas por Abel Braga. Entretanto, a melhora não foi o suficiente para mudar o placar. 

+ Fluminense tem gol anulado e clássico com Botafogo fica empatado

+ Ibañez brilha e reservas se destacam mais que titulares pelo Fluminense; confira as notas

No primeiro tempo, o Fluminense teve dificuldades para atacar. Gilson e Luiz Fernando pela esquerda, e Arnaldo e Rodrigo Pimpão pela direita, deixaram os laterais Gilberto e Marlon presos, e com isso a equipe se limitou a marcar com uma linha de cinco na defesa.

Sem os laterais, presos com os ataques dos jogadores do Botafogo, o Fluminense não conseguiu armar contra-ataques. Quando atacava, subia com três jogadores e apenas Marcos Júnior como opção de velocidade. Sendo assim, a bola pouco chegou em Pedro, que só teve oportunidades em bolas aéreas e tomou decisões erradas na hora de finalizar.

Robinho criou boas oportunidades pela esquerda (Foto: Divulgação/Fluminense FC
Robinho criou boas oportunidades pela esquerda (Foto: Divulgação/Fluminense FC

Na etapa final, Abel Braga soltou os laterais e o Fluminense cresceu na partida, ficando mais perigoso na bola aérea. Ibañez chegou a abrir o placar, mas o gol foi anulado pelo assistente da linha de fundo, que viu falta de Renato Chaves em João Paulo. A mudança tática, com os laterais atuando como alas, obrigou o Botafogo a se defender mais.

Mesmo com a mudança tática e de postura, o zero não saiu do placar. A entrada de Ayrton no lugar de Marlon aos 27 minutos deu mais velocidade pela esquerda, mas faltava algo a mais. Somente aos 39 minutos, Abel colocou Robinho e Matheus Alessandro, que entraram bem e aproveitaram o cansaço e espaços do Botafogo para incendiar a partida. Porém, tiveram pouco tempo para mudar o panorama. Abel demorou demais para fazer essas mudanças, que deveriam ter acontecido mais cedo. 

Matheus Alessandro deu mais velocidade pela direita (Foto: Divulgação/Fluminense FC)