Fluminense joga mal, empata com a Portuguesa e se complica na Taça Guanabara

Tricolor chega aos dois pontos no Grupo C e segue em último lugar na Taça Guanabara

Fluminense joga mal, empata com a Portuguesa e se complica na Taça Guanabara
Foto: Lucas Merçon / Fluminense
Fluminense
0 0
Portuguesa-RJ
Fluminense: Júlio César, Renato Chaves (Robinho), Gum e Ibañez; Gilberto (Pablo Dyego), Jadson, Douglas (Matheus Alessandro), Sornoza, Ayrton Lucas; Marcos Junior (Caio) e Pedro.
Portuguesa-RJ: Milton Raphael, Cássio, Luan, Marcão e Diego Maia; Muniz (Abuda) e Jhonnatan; Maicon Assis (Rayllan), Sassá (Fabinho), Alexandro e Romarinho (Philip).
ÁRBITRO: Grazianni Maciel Rocha
INCIDENCIAS: Partida da terceira rodada da Taça Guanabara.

Mais uma partida de nível baixo no Carioca. Fluminense e Portuguesa se enfrentaram nesta quarta-feira, no Estádio Giullite Coutinho. A partida era de extrema importância para o Tricolor, que ainda não tinha vencido no campeonato. E continua sem vencer. O time comandado por Abel Braga empatou sua segunda partida seguida. Com esse resultado, o Tricolor segue em último lugar com dois pontos no Grupo C. A Portuguesa é a terceira colocada, com três pontos somados.

O Tricolor das Laranjeiras retornará ao campo no próximo domingo (28), para enfrentar o Madureira às 19h (horário de Brasília), no Raulino de Oliveira. No mesmo dia, a Portuguesa-RJ irá ao Moacyrzão para enfrentar o Macaé, vice líder da chave até aqui. 

Fluminense com dificuldades e pênalti não marcado para Portuguesa

O primeiro tempo da partida esteve parecido com o visual do gramado do Giulite Coutinho: feio. As duas equipes não conseguiram apresentar um bom futebol. Pela parte do Fluminense foi até mais complicado. As melhores chances do primeiro tempo foram da Portuguesa em duas cabeçadas de Alexandro. O Tricolor teve muitas dificuldades para criar as jogadas, com Sornoza ficando bastante isolado no meio de campo.

Foto: Lucas Merçon / Fluminense
Foto: Lucas Merçon / Fluminense

O jogador mais acionado foi Ayrton Lucas, mas o ala não teve ajuda para conseguir criar jogadas pela esquerda. Apesar disso, o Flu chegou bem ao ataque em duas oportunidades: em uma falta cobrada por Sornoza, Milthon Raphael conseguiu a defesa com a ponta dos dedos, e em um cruzamento de Marcos Jr para Pedro que a zaga conseguiu atrapalhar a conclusão do centroavante. Antes do intervalo ainda teve tempo de uma polêmica ser criada. A Portuguesa reclamou muito de um pênalti de Gum em Sassá. O árbitro mandou o jogo seguir. 

Fluminense muda de esquema e Portuguesa cria melhores chances

Com a necessidade de vencer a partida, Abel Braga abandonou o esquema com três zagueiros e lançou o atacante Robinho na ponta esquerda. O jogador entrou no lugar do criticado Renato Chaves. A partida ficou mais movimentada, com o Flu tentando criar uma pressão no adversário. Nos primeiros quinze minutos da etapa final, a equipe acabou cedendo muitos espaços para a Portuguesa. Abelão ainda deixou a equipe mais ofensiva, tirando Douglas e colocando o jovem Matheus Alessandro. Em um contra-ataque, a Portuguesa desperdiçou uma grande chance em um 2 contra 1. O atacante Sassá acabou errando o passe dentro da grande área.

Matheus Alessandro passou a ser o principal jogador no ataque Tricolor. Apesar disso, a Portuguesa continuou tendo as melhores chances na partida. Fabinho recebeu dentro da área e bateu cruzado. A bola tocou caprichosamente na trave de Júlio Cesar. E logo em seguida o travessão salvou o Flu. Júlio Cesar saiu mal do gol e Marcão por pouco não abriu o placar. Com a entrada de Pablo Dyego, o Flu passou a pressionar ainda mais a Portuguesa tentando a vitória a qualquer custo se atirando ao ataque. 

Foto: Lucas Merçon / Fluminense
Foto: Lucas Merçon / Fluminense

No fim da partida, o Tricolor continuou com sua pressão sem muito efeito. A Portuguesa ainda teve outras chances de contra ataque que acabaram sendo evitados pela zaga Tricolor. A arbitragem acabou complicando o jogo com faltas trocadas, lances de bola saindo e o bandeirinha mandando o jogo seguir e muita reclamação das duas equipes. No fim, Sornoza foi expulso após sofrer uma falta por trás. No lance, o árbitro Grazianni Maciel Rocha alegou que o equatoriano deu um tapa na cabeça do adversário.