Pedra no sapato dos grandes e força do interior: Caldense desafia Fluminense na Copa do Brasil

Com dificuldades no início de temporada, Tricolor não terá vida fácil diante do time mineiro, uma das grandes forças do interior e acostumada a dar trabalho aos principais times do estado

Pedra no sapato dos grandes e força do interior: Caldense desafia Fluminense na Copa do Brasil
(Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro)

O Fluminense não terá vida fácil na primeira fase da Copa do Brasil. Na quarta-feira (31), o Tricolor estreia na competição nacional contra a Caldense, em Poços de Calda, Minas Gerais. O time mineiro é uma das grandes forças do interior do estado e costuma dar trabalho aos grandes como Cruzeiro, Atlético-MG e América-MG. 

Em 1979, Fluminense e Caldense se enfrentaram em amistoso e a partida terminou empatada em 1 a 1. Neste ano, a Vetarana conseguiu parar o ataque titular do Cruzeiro pelo estadual. A equipe do técnico Zezito costuma ser forte defensivamente e irá dificultar a vida do time comandado por Abel Braga, que diferentemente do ano passado, perdeu força no ataque com as saídas de jogadores importantes. 

Quem é o destaque?

Primeira contratação da Caldense para 2018, o atacante Potita é o grande destaque da equipe. Aos 33 anos, o jogador coleciona passagens por vários clubes, sendo o time de Poços de Caldas a sua 18ª experiência como atleta profissional. Revelado pelo Atlético de Três Corações, passou por equipes mais modestas, como Remo, Genus, Nacional-PR, São Raimundo-AM e Anapolina, mas também defendeu instituições de maior expressão, como Bahia e Chapecoense.

Mesmo tendo um currículo extenso, com 18 times defendidos, Potita não chegou a viver nenhuma grande temporada. O ano em que mais atuou foi 2013, quando esteve na Chapecoense emprestado pelo Bahia. Em 2017, defendeu a camisa do Gama, com dez partidas disputadas e dois gols. Agora, chega ao alviverde de Poços de Caldas para encabeçar o ataque da equipe, sendo um dos grandes nomes do grupo da Caldense.

(Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro)
(Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro)

Como chega a Caldense?

A Caldense é uma das grandes forças do interior mineiro. Chega para o confronto frente ao Fluminense em meio à disputa do Mineiro. Na atual edição do Estadual, a Veterana chegou a parar o ataque titular do Cruzeiro em casa, jogo no qual registrou uma de suas fortes características. A equipe do técnico Zezito não adota uma postura muito ofensiva, tampouco busca propor o jogo, mas é muito fechada.

Com as peças que tem, a Veterana consegue esquematizar boa marcação e pressão na saída de bola do adversário, oferecendo poucos espaços. Como tem um bloco defensivo bem postado, procura povoar bem o seu campo de defesa, o que dificulta a criação de jogadas do oponente. O time carioca, portanto, vai precisar de criatividade, ousadia e perspicácia para furar o paredão alviverde.

Mudanças no Verdão

A Caldense, no início de 2017, contratou 25 jogadores visando os torneios da então temporada. A diretoria do clube assinou vínculos com velhos conhecidos da torcida, como o atacante Cristiano, que no ano anterior defendeu as cores do América-MG

No entanto, a equipe não foi muito longe nos campeonatos que disputou. Ficou pelo caminho no Estadual, em quinto lugar, ainda na primeira fase; no Brasileiro da quarta divisão, foi eliminado precocemente na fase de grupos e ainda caiu para o Corinthians na Copa do Brasil. 

Em 2018, Caldense reestrutura equipe

Para 2018, a Caldense aposta novamente na reformulação da equipe. Apenas oito atletas são remanescentes das últimas temporadas alviverdes. Outros 18 atletas foram confirmados antecipadamente no dia 9 de outubro de 2017. 

À frente da comissão técnica desde o fim do ano passado, Zezito também teve seu nome confirmado pela direção do clube. Além dele, os preparadores Luiz Carlos Caldirón e Willian Júnio Basso, e o treinador de goleiros, Alexandre Vargas, terão a responsabilidade de cuidar das questões técnicas, táticas e físicas dos jogadores.

Elenco da Caldense para 2018:

Goleiros: Omar, Edvaldo e Fernando;
Laterais: Jefferson Feijão, Alexandre Lazarini, Fernandinho e Jhonatan;
Zagueiros: Marcelinho, Robinho, Davy, Rodolfo e Tharsus;
Volantes: Lucas, Mineiro, Jean e João Vitor;
Meias: Charles, Djalminha, Matheus, Marquinhos e Anderson Rosa;
Atacantes: Juninho, Potita, Carlinhos, Willian e Neílson.

Estádio

A Caldense manda seus jogos no estádio Doutor Ronaldo Junqueira, com capacidade para 14 mil torcedores.

(Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro)
(Foto: Vagner Silva/Light Press/Cruzeiro)