Apresentado no Fortaleza, Rogério Ceni diz estar acostumado a pressão: "Vim para ganhar"

Novo treinador leonino falou sobre a pressão de treinar o clube e sobre a montagem do elenco para 2018

Apresentado no Fortaleza, Rogério Ceni diz estar acostumado a pressão: "Vim para ganhar"
Foto: Gêra Lobo/VAVEL Brasil

Rogério Ceni finalmente chegou ao Fortaleza. Nesta quarta-feira (15), o novo treinador tricolor foi apresentado na Arena Castelão para milhares de torcedores. Ceni falou com a imprensa antes de subir ao gramado do estádio, falando sobre a pressão em treinar um clube que retorna à segunda divisão após oito anos e se mostrando bastante animado com a chance de retomar sua carreira à beira do campo.

"Estou acostumado à pressão. Se a pressão vier para mim, os jogadores terão tranquilidade para trabalhar. Especialmente as coisas negativas, espero que caiam sobre mim. É um desafio diferente, mas algo que me deixa muito feliz é que estou trabalhando com o maior carinho e profissionalismo do mundo. Desafio de retomada de carreira", disse.

Além disso, o ex-goleiro comentou sobre a montagem do elenco para 2018, planejando uma equipe competitiva e com contratações de jogadores inteligentes e decisivos. Ele também citou o excesso de jogadores na sua passagem pelo São Paulo, afirmando que foi um dos motivos para insucesso tricolor.

"Vamos tentar contratar jogadores mais decisivos, importantes. Oito ou nove do atual elenco devem ficar. Depois vamos montar um grupo, 22 atletas no máximo. No São Paulo, foram 34, e não deu certo, né? Conheço muita gente de muitos clubes. Paulo autuori, por exemplo. Mas acho que tem muito clube interessado em colocar atletas em um clube que é uma vitrine. Estamos correndo atras de bons jogadores. Já estamos observando e conversando com alguns jogadores", afirmou Ceni.

Para fechar, Ceni afirmou que não pensa no seu futuro no atual momento, e sim no Fortaleza, além de garantir o desejo de estar no Centenário do clube, brigando pelo acesso: "Eu gostaria que o Fortaleza fosse a minha realidade, meu momento. Não penso no futuro. Gastar energia com o presente já é bastante cansativo. Eu tenho certeza de que nós vamos fazer muitas melhorias estruturais. Legado não se faz só com títulos. Quero estar no Centenário, comemorando e brigando por uma vaga na Série A. Eu vim para ganhar", finalizou.