Desesperado Goiás busca retomar caminho das vitórias diante do irregular Avaí

Sem vencer desde a estreia, Esmeraldino tenta reabilitação no torneio; catarinenses visam dar fim à série negativa

Desesperado Goiás busca retomar caminho das vitórias diante do irregular Avaí
Foto: Divulgação/Goiás
Goiás
Avaí
Goiás: Renan; Johnatan, Wesley Matos, Anderson Salles e Jefferson; Willian, Wendel, David e Léo Sena; Rossi e Rafhael Lucas. Técnico: Léo Condé
Avaí: Renan; Alemão, Fábio Sanches, Célio Santos e João Paulo; Luan, Lucas de Sá e Tatá (Braga ou Caio César); Romarinho, William, Tauã. Técnico: Silas
ÁRBITRO: Vinícius Furlan (SP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 10ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, a ser disputada no Serra Dourada, em Goiânia, Goiás

Apesar da briga ser boa por vagas no G-4, a Série B do Campeonato Brasileiro 2016 também está reservando bons jogos na parte inferior da tabela. Buscando encerrar a série negativa, Goiás Avaí duelarão no Serra Dourada na noite desta sexta-feira (17), às 21h30, em partida válida pela 10ª rodada.

Sem saber o que é vencer desde a estreia, quando derrotou o Tupi, o Esmeraldino vive o pior momento nessa temporada. Na última terça-feira (14), contra o Paraná, foi batido por 2 a 0 e somou o quinto revés na competição, ficando na 18ª colocação, com somente seis dos 27 já pontos disputados até o momento.

Já os avaianos também vem mal para o compromisso, mas busca dar fim à sequência de três embates sem vitória na Segundona. Diante do Paysandu, na estreia de Gilmar Dal Pozzo, a equipe catarinense saiu com a derrota e reclamando de gol irregular. O resultado negativo a deixou na 13ª posição, somando dez pontos ganhos, dois a mais que o Bragantino, que abre a degola.

A arbitragem do duelo é do paulista Vinícius Furlan, aspirante à Fifa. Ele terá como auxiliares os brasilienses Lucas Costa Modesto e Lehi Sousa Silva, ambos membros do quadro da CBF. Essa será a segunda apresentação do árbitro no torneio, uma vez que antes havia apitado Luverdense 0x2 Vila Nova, pela 7ª rodada.

Goiás vai com uma mudança no time titular

Apesar da situação desesperadora na temporada, o treinador recém-chegado Léo Condé decidiu não mexer o que o interino Danny Sérgio vinha fazendo após a saída de Enderson Moreira. O último treino do Goiás antes do jogo com o Avaí, porém, foi cercado de muito mistério, fechando à imprensa e à torcida.

Em relação ao time que foi batido pelo Paraná, apenas uma mudança será realizada. Willian ocupa o espaço de Thales na cabeça de área e, com isso Wendel e David ganham mais liberdade para ir ao ataque, a depender de como estiver a partida. Por conta de má atuação contra a Gralha, o goleiro Renan poderia ceder a vaga ao reserva Ivan, mas a tendência é do titular seguir.

O comandante alviverde reconhece o momento conturbado e destaca o fator emocional para o rendimento abaixo das expectativas. Condé ressalta a juventude do elenco, dizendo que apenas os atletas podem ser capazes de superar a fase ruim e a sequência sem vitórias desde a estreia.

"É uma equipe muito jovem e, por isso, talvez os jogadores mais novos estejam sofrendo um pouco mais com tudo isso. De um modo geral, os atletas estão muito sentidos, pois é um sentimento de muita frustração e decepção. Só quem pode afastar o Goiás desse momento ruim somos nós mesmos. Agora é o momento de buscar forças, pois não pode ficar pior", declarou Léo.

Avaí será definido apenas momentos antes do início

Para o confronto que poderá deixar o Leão mais afastado da zona de rebaixamento, o técnico Silas colocou interrogações na equipe e não confirmou como vai a campo. Indicando que vai precisar mexer por conta de desgaste, o comandante avaiano optou por não revelar qual seria a mudança.

Certeza, contudo, é que o zagueiro Célio Santos assume a titularidade no lugar de Gabriel, suspenso. Quem também ficará de fora do duelo por suspensão é o lateral-direito Renato, após ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Papão, nesse meio de semana, com Alemão sendo seu substituto. No meio-campo, a única dúvida é cotada a saída de Tatá, enquanto Braga e Caio César disputam a vaga.

Reconhecendo o cansaço natural do elenco, o treinador leonino disse que o pouco tempo para realizar os treinos vem afetando no possível desempenho positivo. Para ele, as análises feitas dos adversários vem sendo fundamentais para evitar que o time sofra dentro de campo e tenha uma evolução.

"A gente tem que ter uma noção melhor do cansaço e do desgaste, pois estamos com 20 atletas aqui. É muito mais por conta do desgaste, uma vez que jogamos e descansamos ao mesmo tempo, sem sobrar tempo de treinar. Depende muito de como o adversário vai atacar também, já que nas análises que estamos fazendo, vamos tentar melhorar algumas coisas para que possamos sofrer menos, como foi diante do Paysandu e do Ceará, no começo. Sempre é no intuito de melhorar", disse.