Em jogo com fim empolgante, Goiás e Paysandu empatam sem gols pela Série B

Nos últimos 10 minutos da partida os times se lançaram ao ataque, porém nada de bola na rede

Em jogo com fim empolgante, Goiás e Paysandu empatam sem gols pela Série B
Foto: Rosiron Rodrigues/GoiasEC
Goiás
0 0
Paysandu
Goiás: Renan; Johnatan, Wesley Matos, Anderson Salles, Juninho; Willian, Wendel (Cassiano, min. 68), Wagner (Leo Lima, min. 45), Léo Sena; Rossi (Jhon Cley, min. 80), Carlos Eduardo. Técnico: Leo Condé.
Paysandu: Emerson; Edson Ratinho (Domingues, min. 45), Lombardi, Gilvan, Lucas; Capanema, Augusto Recife, Jhonnatan, Rafael Costa; Leandro Cearense (Betinho, min. 64), Fabinho Alves (Mailson, min. 87). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.
ÁRBITRO: Diego Almeida Real (RS). Auxiliares: Alexandre Kleiniche (RS) e Leirson Martins (RS). Amarelos: Goiás - Wagner, Rossi, Wendel. Paysandu - Jhonnatan, Edson Ratinho, Fernando Lombardi, Fabinho Alves, Domingues.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no estádio Serra Dourada, em Goiânia/GO. Público pagante: 1.967. Presente: 2.343. Renda: R$ 20.760,00.

Numa partida que valeu mais pelos 10 últimos minutos, Goiás e Paysandu empataram em 0 a 0 na noite desta terça-feira (28) pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. O confronto se caracterizou pelo excesso de zêlo na primeira etapa e por várias chances perdidas no segundo tempo pelas duas equipes, sendo as mais significativas já nos acréscimos.

O resultado não ajudou nenhum dos times. O Esmeraldino caiu para o 16º lugar, com 14 pontos e o Papão da Curuzu, apesar de subir para a 12ª colocação, com 17 pontos, não conseguiu abrir distância dos últimos colocados. As duas equipes voltam a atuar no fim de semana. Na sexta-feira, 1º de junho, o Paysandu vai até São Luis/MA encarar o Sampaio Corrêa às 19h15 no Castelão e o Goiás visita CRB, no sábado (2), às 21h no estádio Rei Pelé, em Maceió/AL.

Primeiro tempo de muita cautela e poucas chances de gol

Dono da casa, o Goiás começou como manda o figurino. Posse de bola e marcação no campo de ataque. Na tentativa de achar espaços na defesa do Paysandu, o Esmeraldino trocava passes e chegou a tentar algumas pontadas, sendo a mais expressiva com Rossi, que finalizou para fora após cobrança de escanteio.

O Papão mal passava do meio campo, porém, quando passou, criou a melhor chance dos primeiros 20 minutos. Leandro Cearense deu dois toques na bola, um para girar sobre o marcador e outro para deixar Fabinho Alves na cara do goleiro Renan. O atacante bateu cruzado e a bola passou pela área sem que ninguém a desviasse, saindo pela linha de fundo.

O Verdão seguia trocando passes, até que resolveu aparecer efetivamente no ataque. Leo Sena, com um lançamento em profundidade, achou Carlos Eduardo, que dominou e tentou mandar no espaço entre Emerson e a trave. O goleiro foi mais esperto e desviou para escanteio. Outra boa chance foi criada aos 36 minutos, em cobrança de falta de Leo Sena que achou Wagner na pequena área. O meio-campista desviou de primeira e a bola subiu, indo junto a última boa chance do zero sair do marcador no primeiro tempo.

Segundo tempo com mais chances, porém sem gols

O panorama do início da segunda etapa não foi tão diferente da primeira. Um Goiás pouco efetivo ficava com a bola, tocava de um lado para o outro e buscava espaços na bem postada defesa do Paysandu. E, assim como na primeira metade da partida, quem chegou primeiro com perigo foi o Papão, em cobrança de falta alçada na área que não desviou em ninguém, mas passou perto.

Ainda no intervalo, o treinador do Verdão, Leo Condé, havia colocado Leo Lima no lugar de Wagner. Retornando de lesão, o meia deu outra cara ao setor ofensivo, assumindo a responsabilidade de conduzir a equipe. Outra substituição recorrente e quase sempre eficaz é a entrada de Cassiano. Aos 24 minutos, os dois estiveram envolvidos numa grande chance.

Passe de Leo Lima para Rossi pela direita, o atacante fez as vezes de garçom, cruzando em direção a área e Cassiano pegou de "sem pulo", lance plasticamente bonito e quase concluido em gol. Aos 30, novamente Leo Lima e Cassiano aparecendo. Depois do cruzamento de Johnatan e do desvio na área, Lima apareceu na sobra, dominou e mandou no travessão. No rebote, já desequilibrado, Cassiano cabeceou para fora com o gol vazio.

Depois do minuto 35, os dois times se lançaram de vez para o ataque, tornando o jogo franco e dando emoção ao final. Aos 44 minutos, ajeitada de Jhonnatan para um torpedo de Ricardo Capanema que Renan espalmou em escanteio. Dois minutos depois, em cobrança de escanteio, o Paysandu passou perto da vitória novamente. Bola mal tirada pela defesa goiana, que terminou em cruzamento que Betinho resvalou em direção a trave. Na sobra, sem goleiro, Lucas mandou por cima.

A última chance foi do Verdão do Cerrado, já aos 48 minutos. Carlos Eduardo ganhou na corrida de seu marcador e cruzou na cabeça de Leo Lima. No desvio, a bola passou perto do gol e o zero ficou no placar.