Goiás recebe Náutico buscando se distanciar da zona de rebaixamento da Série B

Equipe goiana vem de um empate no clássico contra o Atlético-GO e espera reencontrar o caminho das vitórias; Timbu perdeu para o CRB na Arena Pernambuco e busca a reabilitação fora de casa

Goiás recebe Náutico buscando se distanciar da zona de rebaixamento da Série B
(Foto: Randes Nunes/Foto Arena)
Goiás
Náutico
Goiás: Ivan; Felipe Saturnino, Anderson Salles, Wesley Matos e Juninho; David, Patrick, Léo Sena e Léo Lima; Eduardo e Rossi. Técnico: Léo Condé
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Léo Pereira e Mateus Müller; Ygor, Gastón e Maylson; Jefferson Nem, Rony e Hugo. Técnico: Alexandre Gallo
ÁRBITRO: Rafael Traci (PR)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 16ª rodada da Série B, no estádio Serra Dourada, em Goiânia

Neste sábado (16) às 16h30, no Serra Dourada, o Goiás enfrenta o Náutico pela 16ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Separados por seis pontos na tabela de classificação, os times irão atrás da vitória de qualquer forma, já que a competição está muito equilibrada e a margem para erros é pequena.

Vindo de um empate diante do Atlético-GO e com apenas três vitórias na Série B, Léo Condé tentará fazer o time deslanchar de vez. Nas últimas cinco partidas, o Goiás venceu apenas uma. Um retrospecto ruim para uma das equipes de maior orçamento da competição.

Pelo lado alvirrubro, a situação está igualmente complicada. Vindo de uma queda brusca de rendimento, o time comandado por Alexandre Gallo venceu apenas um dos últimos sete jogos. Para a partida deste sábado, seis jogadores devem desfalcar o Timbu, seja por lesão ou suspensão.

Esmeraldino terá mudanças em relação ao último jogo

Após o rebaixamento no ano passado, a diretoria do Goiás esperava por um começo de Série B bem mais fácil do que vem ocorrendo. Com um dos maiores orçamentos da competição e o título do Campeonato Goiano, a equipe vem rendendo abaixo do esperado e tem decepcionado até o momento.

Com apenas três vitórias em 15 partidas, o time goiano tenta engrenar diante de um Náutico bastante remendado por conta dos desfalques. 

"Não tem outro pensamento que não seja conquistar a vitória. Do outro lado tem um adversário que tem seus objetivos, mesmo desfalcado, mas tem bons jogadores, tem um treinador experiente... a nossa expectativa aqui é realizar um bom jogo", afirmou o treinador Léo Condé.

Para o confronto deste sábado (16), o time titular deverá ter quatro mudanças em relação aos onze jogadores que iniciaram o clássico contra o Dragão. Anderson Salles e David cumpriram suspensão e deverão retornar nos lugares de Alex Alves e Wendel, volante que deixou o clube nessa semana para assinar com a Ponte Preta. Johnatan recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora. Em seu lugar, o lateral-esquerdo de origem Felipe Saturnino está praticamente confirmado. Uma última mudança deverá ocorrer, mas por opção técnica. O volante Patrick provavelmente iniciará jogando na vaga de Willian.

Náutico terá muitos desfalques para o confronto

O escrete de Conselheiro Rosa e Silva começou a Série B com uma boa sequência de jogos, aplicando goleadas em casa e pontos importantes longe de seus domínios. Porém, estas boas apresentações viraram passado para o time alvirrubro. A equipe ocupa no momento a 9ª colocação na competição, com 21 pontos ganhos e tem se distanciado do grupo dos quatro melhores colocados.

Muito dessa quebra de ritmo, deve-se às lesões ocorridas no clube. Gallo quase nunca consegue repetir o time titular devido aos desfalques constantes que o Timbu tem. Para a partida contra o Goiás, a lista de jogadores indisponíveis é grande, e só um atleta está fora por suspensão, que é Eduardo. Taiberson, Bérgson, João Ananias, Yuri Mamute e Eurico estão machucados e não enfrentam o Esmeraldino. Com as ausências, uma mudança tática foi treinada.

"Não só os desfalques me fazem pensar nisso, mas a oscilação técnica.  A gente tem que ter calma para entender que um passo para trás pode significar algo importante mais à frente. Não tenho compromisso nenhum com o erro. Às vezes, é preciso ter a humildade de mudar o sistema. De entender o que a gente tem na mão para tentar fazer o melhor. Treinamos, na quarta, com dois sistemas diferentes", disse Alexandre Gallo, falando da oscilação técnica que o Náutico vem sofrendo.

"Na 15ª rodada do ano passado, o Santa Cruz era o nono. Em 2014, a Ponte Preta era o 10º. Essas equipes passaram por oscilações e conseguiram o acesso. Então, isso não nos traz um temor. Acho que todas as equipes vão passar por isso. Ainda estamos em crescimento, somos um time em formação ainda. Não consegui, por exemplo, usar a equipe que considero a ideal", completou.